Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

TECNOLOGIA

TikTok: Trump diz que não vai prorrogar prazo de venda do aplicativo

Publicados

em


source

Olhar Digital

TikTok
Unsplash/Kon Karampelas

TikTok terá que apressar sua venda para não ser banido

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump , afirmou nesta quinta-feira (10) que não irá prorrogar o  prazo estabelecido por seu governo para que a empresa chinesa ByteDance venda a operação do TikTok nos EUA antes que o app seja banido no país.

“Vamos ver o que vai acontecer. Ou ele será fechado, ou irão vender”, disse Trump antes de embarcar no avião presidencial, o Air Force One, na base aérea de Andrews, em Maryland.

No início de agosto o presidente assinou uma Ordem Executiva que impedirá a operação do app nos EUA a partir de 20 de setembro, a não ser que tenha sido adquirido por uma empresa norte-americana até lá. O texto cita “evidência factível” de que a ByteDance poderia “tomar ação que ameaça a segurança nacional dos Estados Unidos”.

Leia Também:  Prazo para regularização do Simples Nacional termina 31 de janeiro

O cerne da questão é uma lei de cibersegurança chinesa, que exige que as empresas estabelecidas no país atendam a pedidos do governo local por dados dos usuários. Os EUA temem que esta lei seja usada para obter dados de usuários norte-americanos, transformando o app em um veículo de espionagem para o governo chinês.

A ByteDance, por sua vez, já afirmou que irá resistir a tentativas do governo chinês de obter acesso aos dados. A empresa  recorreu à justiça nos EUA contra a decisão e afirma que toma “medidas extraordinárias” para proteger a privacidade e segurança dos dados dos usuários do TikTok , armazenando-os em servidores nos EUA e em Singapura e criando barreiras entre eles e os dados de outros produtos da empresa como o Douyin, a versão chinesa do app.

A controvérsia aumentou quando, em meados de agosto, foi descoberto que o app usa práticas vetadas para coletar informações dos aparelhos de usuários no Android, como o endereço MAC dos dispositivos, um identificador único associado às interfaces de rede (como a interface Wi-Fi) de cada aparelho.

Leia Também:  Instagram oferece dinheiro para influenciadores saírem do TikTok, diz jornal

Segundo a ByteDance, o TikTok tem, nos EUA, mais de 100 milhões de usuários e emprega 1.500 pessoas. Entre as empresas norte-americanas cotadas para adquirir a operação do app nos EUA estão a Microsoft , Twitter , Google e Oracle . Até mesmo o Walmart demonstrou interesse, em uma potencial parceria com a Microsoft.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

TECNOLOGIA

iPhone 12 mini é tendência? Xiaomi já planeja produzir celular pequeno

Publicados

em


source
iphone 12 mini xiaomi
Reprodução/Apple

iPhone 12 mini pode lançar tendência de celulares pequenos

Se a retirada dos carregadores das caixas dos novos iPhones foram criticadas pela Xiaomi , outra novidade da Apple pode se tornar tendência no mercado de smartphones – inclusive para a fabricante chinesa. 

O iPhone 12 mini tem chamado bastante a atenção do público, e os celulares pequenos podem se tornar uma tendência se as vendas forem tão bem quanto a fama. A Xiaomi foi uma das empresas que já comentou sobre o assunto. 

Em uma publicação na rede social Weibo , o vice-presidente da Xiaomi, Lu Weibing, disse que um celular mini está no radar da companhia. “Queremos produzir um mini, mas a capacidade de bateria vai ser um grande sacrifício”, afirmou.

Leia Também:  Catálogo renovado: veja as estreias de setembro no Amazon Prime Video

Com o tamanho reduzido, a bateria também tem que ser menor. Ter baterias duradoruas, porém, é um dos pontos mais fortes da Xiaomi – o que gera o impasse. 

O iPhone 12 mini , por exemplo, tem apenas 2.227 mAh de bateria para suas 5,4 polegadas. Parece pouco, mas a otimização permitida pelo iOS 14 junto ao processador A14 Bionic  promete dar conta de 15 horas fora da tomada. Para o Android , é difícil encontrar processadores com desempenho tão econômico.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA