Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

NOVIDADE

Novidade no WhatsApp: mensageiro vai permitir fundo customizado

Publicados

em

Um novo update do WhatsApp , 2.20.199.5, deve trazer mais funcionalidades relacionadas a customização do ambiente de chat para o usuário. O progresso da novidade estará nos wallpapers do mensageiro. Desta forma, o WhatsApp permitirá ao usuário customizar seu plano de fundo com base no tema utilizado no aplicativo. Como resultado, o app contará com mais opções de customização que apenas os modos “claro” e “escuro” presentes em sua atual versão.

A nova versão também irá sugerir a instalação do aplicativo “WhatsApp Wallpapers”, pertencente a WhatsApp Inc. na Play Store . O programa tem sua última atualização registrada em 24 de maio de 2011.

Fica, assim, o questionamento se os desenvolvedores vão oferecer novas atualizações para um aplicativo como este, dado que o público do WhatsApp cresceu consideravelmente, desde então, e a própria arquitetura dos aplicativos também sofreu mudanças drásticas nos últimos anos.

Leia Também:  Dicas para prevenir e recuperar a pele ressecada para a primavera

Os desenvolvedores do mensageiro também seguem trabalhando em outras customizações de planos de fundo dos chats. Haverá também a possibilidade de customização para cada chat, individualmente, novidade que deve chegar inicialmente ao iOS . Em criação, a versão 2.20.199.5 do WhatsApp ainda não tem previsão de disponibilidade para download na Google Play e App Store .

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

TECNOLOGIA

Cuidado! 85% dos apps para rastrear a Covid-19 podem vazar dados

Publicados

em


source

Olhar Digital

Covid-19
Unsplash/Alex Ware

Apps para rastrear Covid-19 podem ser perigosos

Um estudo produzido pela Intertrust afirma que a maioria dos aplicativos usados para monitorar a proliferação do novo coronavírus (Sars-Cov-2) não são seguros. Foram investigados 100 aplicativos de saúde ao redor do mundo, incluindo os de iniciativas como do Google e Apple para rastreamento da doença.

Segundo o relatório, 71% dos aplicativos de saúde têm pelo menos uma vulnerabilidade crítica que poderia resultar em um vazamento de dados . Ainda mais alarmante, 91% dos apps analisados falharam em um ou mais testes criptográficos.

Isso não significa que eles não possuem criptografia . Mas, sim, que são mais vulneráveis e podem ter a criptografia mais facilmente quebrada. Apesar dos dados, o relatório não divulgou abertamente quais são as falhas encontradas. 

Leia Também:  Horóscopo do dia: previsões para 18 de setembro de 2020

Sobre aplicativos específicos voltados para monitorar a Covid-19 , o relatório aponta que 85% deles podem resultar em um vazamento de dados. No caso do sistema compartilhado por  Apple Google  no  Android iOS , é utilizado o Bluetooth para alertar o usuário se ele esteve recentemente em contato com alguém que testou positivo para a doença. Ambas as empresas alegam que não são coletados dados que possam identificar as pessoas.

Falhas podem ser corrigidas

O estudo sugere que esses problemas de segurança podem ser corrigidos. É citado, por exemplo, que 83% das ameaças de alto nível que foram encontradas poderiam ser resolvidas com tecnologias de proteção já utilizadas em outros serviços – especialmente na detecção de violações e criptografia.

“Infelizmente, há um histórico de vulnerabilidades de segurança na área de saúde e medicina”, disse Bill Horne, CTO da Intertrust.

Comparando os sistemas móveis, o Android (34% dos apps) é o que mais sofre com vulnerabilidades que permitem extrair a chave de criptografia. Cerca de 60% dos apps de saúde da plataforma também armazenam informações em locais não criptografados e que podem ser legíveis e editadas. No iOS , cerca de 28% dos aplicativos trazem falhas do tipo.

Leia Também:  Dicas para prevenir e recuperar a pele ressecada para a primavera

A lista de aplicativos reúne ferramentas de organizações em todo o mundo. Foram feitos testes de segurança nos software usando as técnicas ‘SAST’ (Static Application Security Testing) e ‘DAST’ (Dynamic Application Security Testing).

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA