Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

TECNOLOGIA

Chrome 87 executa comandos na barra de endereços; saiba como

Publicados

em


source

Tecnoblog

google chrome 87
Unsplash

Veja como ativar funções ocultas no Chrome 87

A barra de endereços do Google Chrome 87 não serve apenas para entrar em sites ou fazer buscas. A nova versão do navegador do Google para computadores possui um recurso oculto que executa comandos para abrir novas janelas anônimas, configurações e afins ao digitá-los na barra. A função, no entanto, requer a ativação prévia.

Conhecido como “Chrome Actions”, o recurso permite que os usuários executem comandos diretamente pela barra de endereços. Funciona assim: ao digitar “abrir janela anônima”, por exemplo, o navegador sugere um atalho que, ao clicar sobre a opção, executa a ação solicitada.

O Tecnoblog teve acesso ao recurso nesta quinta-feira (26) com o Google Chrome 87.0.4280.67 instalado no macOS Big Sur (11.0.1). Durante os testes, foi possível abrir janelas anônimas, limpar os dados de navegação, gerenciar senhas e mais com comandos em português do Brasil .

Leia Também:  TikTok fecha acordo com a Sony e usuários podem usar milhares de músicas

A função está disponível para computadores com Chrome OS, Linux, macOS e Windows e a versão 87 do navegador, disponibilizada na semana passada com a promessa de melhorias no desempenho e novo leitor de PDF, instalada. Para utilizar o recurso, é preciso ativá-lo pelo Chrome Flags , conforme explicamos logo abaixo.

Como executar comandos na barra de endereços do Chrome 87?

Os comandos devem ser executados diretamente na barra de endereços para serem acionados. Por exemplo, caso queira limpar os dados de navegação, basta digitar “limpar o cache”. O browser irá sugerir em seguida um botão com a ação solicitada, que levará o usuário diretamente às configurações do Chrome após o clique.

O Chrome Actions , no entanto, não vem ativado por natureza. Saiba como habitá-lo em seu navegador:

  1. Atualize o seu navegador para o Chrome 87 caso a nova versão ainda não esteja instalada;
  2. Acesse o “chrome://flags”;
  3. Procure por “Omnibox suggestion button row” e “Omnibox Pedal suggestions”;
  4. Ative as duas opções ao alterar de “Default” para “Enable”;
  5. Reinicie o navegador.

Após a reabertura do browser do Google , será possível utilizar as centenas de comandos disponíveis, conforme encontrado no código-fonte do Chromium (source.chromium.org). Caso queira desativar o Chrome Actions , basta reverter os passos do procedimento listado anteriormente.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

TECNOLOGIA

Tuíte de Bolsonaro sobre Covid-19 é sinalizado por ter “informações enganosas”

Publicados

em


source
Presidente Jair Bolsonaro
Marcos Corrêa/PR

Bolsonaro tem criticado prefeitos e governadores que não seguiram a orientação do Ministério da Saúde de recomendar o tratamento precoce contra a Covid-19

O Twitter sinalizou uma publicação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) por ter “informações enganosas e potencialmente prejudiciais” acerca da Covid-19 , doença causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2). De acordo com o alerta, o conteúdo do tuíte viola as regras da rede social.

Captura de tela do tuíte do presidente Jair Bolsonaro
Reprodução/Twitter

Captura de tela do tuíte do presidente Jair Bolsonaro

Na publicação, Bolsonaro fala sobre o tratamento precoce da Covid-19 e diz que o uso de medicamentos antimaláricos podem reduzir a progressão da doença, prevenir a hospitalização e diminuir a mortalidade de pacientes. Não há comprovação científica alguma de que os remédios citados pelo presidente sejam eficazes contra a Covid-19.

Embora a publicação tenha sinalizada, ela não foi tirada do ar pelo Twitter. A justificativa foi a de que ela ainda poderia ser de interesse público. A rede social, no entanto, está limitando o alcance do tuíte e não está permitindo que usuários interajam com ela.

A única coisa que é possível fazer é retuitar a publicação. Mesmo assim, a maioria das republicações também está marcada como violadora das regras de uso do Twitter.

Esta não foi a primeira vez que o Twitter agiu contra postagens do presidente. Em março de 2020, tuítes de Bolsonaro foram apagados também por violação de regras relacionadas a conteúdos que envolvam a pandemia.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA