Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

TECNOLOGIA

Ataques cibernéticos aumentam antes da Black Friday; saiba como se proteger

Publicados

em


source

Olhar Digital

black friday
Unsplash

Cibercriminosos aplicam golpes antes mesmo da Black Friday

Um estudo da empresa de segurança digital Kaspersky mostra que, nas semanas que antecedem a Black Friday , os ataques de  phishing aumentaram em 9%. Entre os dias 29 de outubro e 18 de novembro de 2020, a companhia registrou 196 tentativas de golpe do tipo por minuto na América Latina.

O phishing  é o método mais comum de ser usado por hackers para roubar senhas e credenciais de acesso, bem como clonar cartões de crédito de compradores na internet.

Segundo a Kaspersky, o mês de novembro tem sido especialmente único no e-commerce durante o período de Black Friday. É normal que varejistas online criem promoções que perdurem todo o mês de novembro, mas devido à pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2), algumas lojas expandiram suas ofertas, seja em volume ou tempo de duração.

Leia Também:  Diego e Tiago Homci "somem" aumentam rumores sobre "A Fazenda 12"

Quase seis milhões de golpes

De acordo com Fabio Assolini, analista sênior do time de investigação e análise da empresa, foram bloqueadas 5.936.074 tentativas de acesso a sites de phishing na América Latina no período de 29/10 a 18/11 deste ano. Em 2019, este número foi de 5.464.524 no mesmo período, o que representa um aumento de 9% na comparação ano-a-ano.

“A Black Friday é uma data muito especial. Já é tradição em muitos países latinos e não surpreende ver um crescimento nos ataques. Mas é curioso ver que existe uma tendência de leve queda nas atividades maliciosas e isso indica que os cibercriminosos não estão focando nessa fraude neste ano. Revisando as detecções por país na Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México e Peru, verificamos um grande crescimento das atividades na Argentina, de 25%. Porém, nos demais países, houve queda de 40%, 22%, 52%, 37% e 43%, respectivamente”, disse Assolini.

O especialista continuou sua conclusão afirmando que o contexto pode estar “ligado aos impactos da pandemia nos países e em como o cibercrime reagiu frente a este cenário, priorizando os ataques contra empresas ou focando a fraude nos beneficiários dos auxílios emergenciais devido à pandemia”.

Leia Também:  Feminicídio: 'Gosta de surpresa?', diz suspeito antes de matar ex-mulher

Como forma de assegurar sua proteção durante o período de ofertas, a Kaspersky ressalta algumas medidas que podem ser conduzidas rotineiramente pelo usuário, como verificar o link de uma promoção antes de clicar nele e sempre preferir fazer as compras em lojas oficiais , averiguando os canais de reputação online para assegurar a idoneidade da empresa.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

TECNOLOGIA

Rede social anti-Facebook e sem anúncios bomba em número de usuários; conheça

Publicados

em


source

Olhar Digital

MeWe Facebook
Divulgação

MeWe cresce com polêmicas envolvendo o Facebook

Com foco na privacidade dos seus usuários e livre de propagandas, a rede social MeWe ganhou 2,5 milhões de usuários em uma semana. As políticas de privacidade invasivas, a falta de segurança cibernética e os recentes episódios de suspensão de milhares de contas após a  invasão do Capitólio foram alguns dos fatores que têm gerado uma migração massiva e recente do Facebook  a outras plataformas menos populares.

Desde o seu lançamento, em 2016, até outubro do ano passado, os números do MeWe revelam que o serviço ganhou mais 6 milhões de usuários, ultrapassando a marca dos 15 milhões.

Você viu?

De acordo com o MeWe, isso se deve ao fato das pessoas procurarem uma “rede social que respeite seus usuários”. O objetivo da plataforma é aproveitar esse cenário positivo para tentar se tornar a rede social mais popular do momento.

Por enquanto, o principal desafio é trabalhar com uma infraestrutura capaz de suportar esse crescimento tão rápido sem apresentar falhas ou interrupções no serviço. Segundo os investidores da plataforma, o MeWe está pronto para receber novos usuários.

Leia Também:  Você sabia que estas 8 séries da Netflix foram baseadas em quadrinhos?

Aplicativo mais baixado no Android

Vale destacar que o MeWe chegou a ocupar, na última sexta-feira (15), a primeira posição no ranking de aplicativos mais baixados da categoria ‘Social’ na Google Play Store .

O aplicativo, entretanto, acabou perdendo a liderança para o Signal e o Telegramduas alternativas que também vêm crescendo graças às novas políticas de privacidade e compartilhamento de dados do WhatsApp .

Com tradução para 20 línguas diferentes, a rede social também ocupou a primeira posição entre os aplicativos mais baixados em Hong Kong.

Além de gratuito, o MeWe também oferece um serviço premium dentro da plataforma por US$ 1.99 para páginas de negócios. Por fim, resta saber como as outras plataformas rivais, ainda dependentes do formato tradicional de anúncios e coleta de dados , vão responder à ameaça desse novo concorrente.

Leia Também:  Among Us está chegando ao Nintendo Switch

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA