Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

MORTE ESTRANHA

Prefeitura do Rio interdita clínica onde funkeira fez procedimento

Publicados

em

A Subsecretaria de Vigilância Sanitária da prefeitura do Rio interditou hoje (30) uma clínica de estética em Vila Isabel, onde a funkeira Fernanda Rodrigues, de 43 anos, a MC Atrevida, se submeteu a uma hidrolipo com enxerto nos glúteos no dia 16 de julho e morreu, na segunda-feira (27), por infecção generalizada, que pode ser uma consequência do procedimento estético.

Na ação realizada com o apoio de policiais da Delegacia de Defesa do Consumidor (Decon), os fiscais encontraram o estabelecimento fechado, o que impediu a inspeção. Sem a licença sanitária, uma das exigências para o funcionamento, a clínica acabou interditada pela Vigilância Sanitária, pasta vinculada à Secretaria Municipal de Saúde.

Além da falta de licença sanitária, o estabelecimento, que usa o nome de Rainha das Plásticas, não tem permissão para serviços de internação. Segundo a Subsecretaria de Licenciamento, Fiscalização e Controle Urbano da Secretaria Municipal de Fazenda, o alvará de funcionamento ativo é específico para clínica e assistência médica.

De acordo com a prefeitura do Rio, a funkeira MC Atrevida, morreu dias após passar por um procedimento em uma clínica de estética em Vila Isabel, zona norte do Rio, e ter uma infecção generalizada. O procedimento estético consiste em retirar gordura de uma parte do corpo e aplicar em outra. No caso da funkeira, ela retirou gordura das costas para aplicar no bumbum.

Leia Também:  Pesquisa revela impactos da artrite reumatoide em pacientes

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Fernanda foi levada ao Hospital Municipal Evandro Freire, na Ilha do Governador, no dia  26 de julho apresentando fortes dores. A paciente foi encaminhada para Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em estado grave, mas morreu no dia seguinte. O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML), que vai identificar a causa da morte. MC Atrevida foi enterrada ontem (29), no Cemitério da Cacuia, na Ilha do Governador, bairro da zona norte, onde morava.

Outro lado

A dona da clínica de estética, Wania Tavares, usou a rede social para falar sobre o caso. Ela disse que está com a consciência tranquila. A empresária disse que gostaria de analisar o laudo médico antes de se pronunciar, mas que decidiu se defender depois que o caso saiu na imprensa.

“Como vai sair na TV, eu já vou explanando porque vocês têm o direito de já saber. Eu estou com a minha consciência supertranquila quanto ao procedimento, que foi feito corretamente”, disse.

Leia Também:  Vacinação contra a gripe começa amanhã em todo o país

Edição: Fábio Massalli

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Saúde

Radar Covid-19 tem mais de 43 mil acessos em quatro meses

Publicados

em

Lançado em abril deste ano pelo Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT), o Radar Covid-19, painel de análise e monitoramento do coronavírus em Cuiabá, Mato Grosso, Brasil e Mundo, recebeu mais de 43 mil acessos em quatro meses dos 27 estados da federação.

A ferramenta é atualizada diariamente e está disponível para o acesso da população e dos fiscalizados pelo link (https://covid.tce.mt.gov.br). No Radar Covid-19, é possível acompanhar os casos de coronavírus, a estrutura hospitalar disponível por município ou em nível estadual e a projeção da população de risco.

Por meio do Radar Covid-19, é possível acompanhar as aquisições dos gestores estaduais e municipais no combate a Covid-19. Ao todo, foram 1.051 licitações relacionadas ao novo coronavírus, e um montante de R$ 156 milhões homologados para o enfrentamento da pandemia.

Em relação as fiscalizações realizadas pelo TCE-MT, são 90 processos em andamento que podem ser verificados no painel de análise e monitoramento sobre qual órgão, município, detalhamento do objeto licitado e com qual relator está o processo.

Leia Também:  Prefeitura divulga lista de candidatos convocados a vários cargos

“Com o início da pandemia, o TCE-MT se preparou para cumprir o dever de fiscalizar e orientar os gestores. O Radar Covid-19 contempla a análise dos casos, óbitos em Cuiabá, no Brasil e no mundo, os números de leitos, respiradores, estrutura hospitalar, número de médicos e posteriormente, ampliamos a ferramenta com o mapeamento de aquisições e as fiscalizações realizadas pelo órgão de controle, além da progressão da doença”, explicou a auditora e assessora técnica da Secretaria-geral de Controle Externo do TCE-MT, Lisandra Hardy Barros.

Nas próximas semanas, o Radar-Covid 19 vai lançar uma nova aba, que vai mostrar quanto de recurso cada município recebeu do Governo Federal e do Governo do Estado.

Kleverson Souza
Secretaria de Comunicação/TCE-MT
E-mail: [email protected]

Fonte: TCE MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA