Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

IDOSOS

Idosos asilados já estão recebendo a segunda dose da vacina contra a covid-19 em Cuiabá

Publicados

em

A Prefeitura de Cuiabá, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), iniciou,  a aplicação da segunda dose da vacina contra a covid-19 nos idosos institucionalizados, que são aqueles que vivem em asilos e casas de repouso. Entre esta e a próxima semana, 290 idosos e cuidadores que trabalham nessas instituições completarão o esquema de imunização com a Coronavac. Em abril, outras 110 pessoas asiladas que receberam a primeira dose da vacina de Oxford/Astrazeneca também serão contempladas, já que este imunizante tem intervalo maior entre a primeira e a segunda dose.

Quem está executando o plano de vacinação nesse grupo de pacientes são duas equipes do programa Consultório na Rua, da Atenção Primária da Secretaria Municipal de Saúde. Na segunda-feira (15), eles visitaram o Abrigo Bom Jesus de Cuiabá, onde 140 doses foram aplicadas. Na tarde desta quinta-feira (18), 40 pacientes do Abrigo Recanto Feliz foram contemplados. De acordo com Vera Lúcia Ferreira, coordenadora do Consultório na Rua, o momento foi de muita emoção. “Muitos choram na hora da aplicação da vacina. A gente vê eles com os olhos cheios de lágrimas e pergunta porque estão chorando e eles respondem: Agora vou poder ver meu filho, vou poder ver meus netos. É muita emoção”, relata.

Leia Também:  Maioria de adolescentes acompanhados na atenção básica se alimenta mal

Os asilos que ainda serão atendidos com a aplicação da segunda dose da Coronavac são: Lar Doce Lar, na sexta-feira (19), com a vacinação de 40 pessoas e a instituição Casa Nova, na segunda-feira (22), com a imunização de 70 pessoas. Para abril, serão atendidos 60 pessoas no asilo Village Bitencourt e 50 pacientes na Casa de Repouso Shalom. Ambos serão contemplados com a vacina de Oxford/Astrazeneca.

“Esse momento de vacinação da segunda dose causa uma felicidade muito grande porque é o mais próximo que temos de saber que eles estão realmente imunizados. Entre 18 e 28 dias após a segunda dose que a imunização é realmente efetiva. Eles ficaram tão felizes que o pessoal do Abrigo Bom Jesus nos ligou agradecendo a atenção da equipe, não só com os idosos mas também com os profissionais, pelo compromisso de estar lá efetivando a dose”, destacou Vera Lúcia Ferreira.

Vacina Cuiabá

Além da vacinação em segunda dose dos idosos asilados, a campanha “Vacina Cuiabá – sua vida em primeiro lugar” também está realizando a vacinação em primeira dose dos idosos a partir de 85 anos acamados, que estão sendo atendidos em seus domicílios por quatro equipes do programa Melhor em Casa. O atendimento é feito por regionais, sendo quarta (17) e quinta (18) a imunização de 102 idosos acamados da regional Leste. Na sexta-feira (19) serão vacinados os idosos da regional Norte, com um total de 79 pessoas. Na próxima segunda-feira (22) será a vez dos idosos da regional Oeste. Serão 68 doses aplicadas para este público. E na terça (23) os idosos acamados da regional Sul serão os contemplados. Estão agendadas 46 pessoas desta regional.

Leia Também:  Primeira-dama entrega brinquedos a mais de 500 crianças carentes de Poconé

No Centro de Eventos foram vacinados 2460 idosos entre os dias 11 e 15 de fevereiro. Até o dia 16 de fevereiro, foram vacinadas 23.569 pessoas com a primeira dose e 8.521 pessoas já haviam recebido a segunda dose da vacina contra a covid-19.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Saúde

Reino Unido identifica seis casos da variante de Manaus do coronavírus

Publicados

em

Seis casos da variante do novo coronavírus identificada na cidade de Manaus, no Amazonas, foram detectados pela primeira vez no Reino Unido, disseram autoridades de saúde inglesas neste domingo (28).

Três casos foram identificados na Inglaterra e outros três, na Escócia.

O risco para a comunidade em geral é considerado baixo, mas, como precaução, as autoridades que investigam os casos ingleses estão agindo rapidamente para implantar testes em massa e aumentar o sequenciamento de amostras positivas de coronavírus da área, disse a Public Health England (PHE), agência do Departamento de Saúde do Reino Unido.

Dois dos três casos encontrados na Inglaterra eram de uma família na área de South Gloucestershire que tinha um histórico de viagens ao Brasil. Há um terceiro caso, atualmente não vinculado, disse a PHE.

Os casos escoceses não estavam ligados aos da Inglaterra.

Variante

A variante P.1 detectada em Manaus compartilha algumas mutações com uma cepa identificada pela primeira vez na África do Sul e é possível que responda menos às vacinas atuais, mas é necessário mais trabalho para entender isso, disse a agência.

Leia Também:  Brasil tem 2,7 milhões de casos e 93,6 mil mortes por covid-19

Susan Hopkins, diretora de resposta estratégica da PHE para a covid-19, disse que os avançados recursos de sequenciamento de genes no Reino Unido explicam por que o país está identificando mais variantes e mutações do que muitas outras nações.

No final do ano passado, o Reino Unido detectou uma variante mais transmissível do coronavírus, que acredita-se ter se originado perto de Londres e levou a um aumento acentuado de casos no país e em outras nações.

“O importante a ser lembrado é que a covid-19, não importa qual variante, se espalha da mesma maneira. Isso significa que as medidas para impedir sua propagação não mudam”, disse Susan.

A agência PHE e o sistema oficial de teste e rastreamento estavam acompanhando todos os passageiros do voo LX318 da Swiss Air de São Paulo para Londres via Zurique, que pousou no aeroporto londrino de Heathrow em 10 de fevereiro, para testá-los, bem como seus familiares.

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA