Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

Saúde

Esportes de raquete são os mais recomendados para a saúde cardiovascular, aponta estudo

Publicados

em

Dizer que praticar atividades físicas faz bem ao coração não é novidade. Também não é segredo que exercícios físicos apresentam ações protetoras contra as doenças cardiovasculares: infartos, doença aórtica, hipertensão, vascular periférica e vascular cerebral. No entanto, ainda era um mistério o esporte mais recomendado para a perenidade da saúde desse músculo vital. Algo que, agora, já temos a resposta.

Ao avaliarem mais de 80 mil pessoas, pesquisadores do Reino Unido, Finlândia, Áustria e Austrália trabalharam em conjunto para determinar e os resultados desse estudo foram publicados no British Journal of Sports Medicine. Segundo o estudo, os esportes que mais reduzem o risco de morte por culpa de uma doença cardiovascular são, por ordem, os esportes de raquete (como o tênis), a natação e o aeróbico intervalado – o que inclui a dança, entre outras atividades físicas.

Dado reiterado pela Escola de Medicina de Harvard ao destacar que, “além de oferecer um bom treino cardiovascular, os esportes de raquete ajudam a fortalecer os membros superiores e inferiores do corpo, devido à diversidade de movimentos executados durante a prática, que variam de componentes intervalados de alta intensidade com descansos entre os pontos de jogo”.

Para o presidente da Federação Mato-grossense de Tênis (FMT), Rivaldo Barbosa, 49, o resultado das pesquisas também pode ser explicado por conta de o tênis ser um esporte para todos, bem como por ser uma modalidade individual que incentiva o participante a disputar consigo mesmo para querer melhorar a saúde e superar o desempenho em quadra.

Leia Também:  Centro de Triagem Covid-19 continuará atendendo durante todo o mês de novembro

“O tênis é um esporte bastante atrativo e em que você pode ingressar em qualquer idade. A recomendação é de que, como é uma modalidade que exige algumas corridas, mesmo que em curta distância, a pessoa tenha seu check-up em dia e nenhuma restrição médica. Sem contar que o tênis é uma via de mão dupla. Para que a pessoa renda mais em quadra, ela acaba optando por um estilo de vida mais saudável com uma boa alimentação e um melhor condicionamento físico”, explica.

EXPANSÃO EM MATO GROSSO – Ao reconhecer que a prática do tênis está em evolução em Mato Grosso, Rivaldo destaca que os espaços para esta atividade esportiva estão em expansão, graças a grandes empreendimentos. Conforme destaca o presidente da FMT, antes os praticantes do esporte de raquete contavam apenas com clubes e academias. Agora, os grandes condomínios já se atentaram para os benefícios do tênis e oferecem a possibilidade da prática dentro “de casa”.

Em Cuiabá, por exemplo, condomínios como o Brasil Beach Home Resort contribuem para o fortalecimento da modalidade no Estado. Além de prezar por diferenciais como uma praia artificial particular com 32 mil metros quadrados, o empreendimento aposta no esporte e conta com quatro quadras de tênis de saibro. “Nesses locais, você cria um nicho que vai olhar para o esporte diariamente e se lembrar dele, o que resulta em novos adeptos ou admiradores da modalidade”, pondera.

Leia Também:  Covid-19: Brasil tem 149 mil mortes e 5,05 milhões de casos acumulados

O presidente da FMT conta ainda que, hoje, o tênis está organizado no viés profissional, com diversas competições e acesso mais fácil em Mato Grosso. “O esporte tem evoluído no Estado e, consequentemente, ganha novos adeptos. Atualmente, há cerca de oito competições oficiais em Cuiabá, além de torneios em Primavera do Leste, Sinop, Sorriso e Rondonópolis”, ressalta.

Rivaldo complementa que esse movimento tem como grande aliado a expansão da prática esportiva com a inserção de quadras de tênis em condomínios. O presidente da FMT enfatiza que, desta forma, “o novo entusiasta acaba por convidar um amigo para iniciar no esporte, que é bastante sociável. Assim como, uma mãe, que antes teria que se deslocar até um clube ou academia, passa a contar com a comodidade de ter seu filho tendo aulas dentro do local em que moram. Existe espaço para todos: há o tênis kids, o infanto-juvenil, a fase de transição, o tênis profissional e o amador”.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Saúde

Notícia sobre animal com Covid é alarme desnecessário” e pode gerar crise de saúde pública

Em plenário do Senado, Wellington Fagundes pediu que imprensa ajude a esclarecer o fato à população para que não haja pânico

Publicados

em

Por

Foto meramente ilustrativa

Médico veterinário e membro da Academia Brasileira de Medicina Veterinária, o senador Wellington Fagundes (PL-MT) alertou nesta terça-feira, 20, no plenário do Senado Federal, para os efeitos da notícia do primeiro caso de animal doméstico, que contraiu o vírus da Covid-19. O caso envolve uma gata e foi registrado em Cuiabá (MT). Ele pediu que a população não entre em pânico porque não há nenhum caso de registro de animal transmitindo a Covid para o ser humano.

Wellington Fagundes ressaltou que a ciência e a pesquisa no mundo inteiro garantem não haver risco de animais transmitirem o vírus para as pessoas mesmo na convivência próxima no ambiente doméstico. Esse fato é confirmado pelo próprio Conselho Federal de Medicina Veterinária. “Já há esse registro e um segundo registro também, mas, ao contrário, do humano levando o vírus para os animais”, observou.

O senador pediu aos veículos de comunicação para que ajudem a esclarecer notícia publicada pelo jornal ‘O Globo’ e repercutida por outros meios de imprensa. Disse temer, principalmente, que a população se apavore e abandone os animais doméstico. Além de ser crime – ele enfatizou – a demasiada ocorrência de animais sem cuidados nas ruas pode provocar “um problema ainda mais sério de saúde pública”.

Wellington Fagundes ressaltou que a ciência e a pesquisa no mundo inteiro garantem não haver risco de animais transmitirem o vírus para as pessoas

No caso de Cuiabá, segundo a veterinária Valéria Dutra, professora da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Mato Grosso, a gata foi infectada porque teve contato com os donos durante o período de isolamento deles. O animal pertence a um casal com um filho pequeno. Todos foram infectados em uma festa de família, em setembro. Os pais adoeceram, mas a criança ficou assintomática, assim como o animal.

Leia Também:  Estudo propõe tarifa de R$ 4,10 para 2019

O animal testou positivo pelo exame molecular de PCR, feito pela própria UFMT, mas não apresentava sintomas do coronavírus. Os donos da gata que teve a confirmação da doença também estavam com coronavírus e tinham alta carga viral.

“Todos os cientistas do mundo garantem que não há nenhuma hipótese, até agora, comprovada nem possibilidade de contaminação dos animais domésticos para o ser humano em relação à Covid. Fica esse registro” – disse o senador.

ONÇA NO PANTANAL

Wellington Fagundes também celebrou esta semana a notícia da recuperação e volta ao Pantanal da onça pintada que havia sofrido queimaduras em função dos incêndios florestais que abateram o bioma com muita intensidade. Na época, o animal, além de ferido, estava desidratado. Ele parabenizou o trabalho dos médicos veterinários e ressaltou que o retorno da onça ao seu habitat é representativo e uma vitória de todos os envolvidos na luta contra o fogo.

‘Ousado’, nome dado ao animal, foi solto no Parque Estadual Encontro das Águas, no Pantanal, mesmo local onde havia sido encontrado. Ele foi transportado de carro, de Goiás até Mato Grosso, e será monitorado nos primeiros dias de volta a natureza.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA