Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

ATUALIZAÇÃO

Covid-19: Brasil registra 165 mil mortes e tem 5,84 mi de casos

Publicados

em

Os casos de pessoas infectadas no Brasil pelo novo coronavírus ao longo da pandemia aproximam-se de 5,85 milhões. Nas últimas 24 horas, as autoridades de saúde notificaram 38.307 novos diagnósticos positivos para a covid-19, totalizando 5.848.959. Ontem (13), o painel de informações marcava 5.810.652 casos acumulados.

Ainda de acordo com a atualização do Ministério da Saúde, as mortes por covid-19 chegaram a 165.658. Nas últimas 24 horas, foram registradas 921 mortes. Ontem, o painel de estatísticas marcava 164.737 óbitos. Ainda há 2.388 falecimentos em investigação, mas esse número ainda se refere à última quinta-feira (12).

O balanço foi divulgado pelo Ministério da Saúde na noite deste sábado (14). Segundo a pasta, as dificuldades de atualização nesta semana devem-se a um problema nos sistemas informatizados que pode ser um ataque cibernético.

O balanço apontou também 391.790 pacientes em acompanhamento. Outros 5.291.511 já se recuperaram da doença.

Ministério da Saúde divulga casos confirmados do novo coronavírus no da 14/11/2020Ministério da Saúde divulga casos confirmados do novo coronavírus no da 14/11/2020

Ministério da Saúde divulga casos confirmados do novo coronavírus no da 14/11/2020 – Reprodução/ Ministério da Saúde

Covid-19 nos estados

Os estados com mais mortes são São Paulo (40.459), Rio de Janeiro (21.284), Minas Gerais (9.504), Ceará (9.439) e Pernambuco (8.815).

As unidades da federação com menos casos são Roraima (706), Acre (708), Amapá (777), Tocantins (1.133) e Rondônia (1.501).

 

 

Edição: Kleber Sampaio

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Congresso derruba vetos e receitas médicas serão aceitas em formato digital
Propaganda

Saúde

USP busca voluntários para testar vacina contra HIV

Publicados

em

A Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) está buscando  voluntários no Brasil para testar uma vacina contra o HIV. O estudo, chamado Mosaico, iniciado há cinco anos, está sendo desenvolvido em cooperação por instituições de diversos países.

Até o momento, as pessoas que receberam a vacina conseguiram produzir satisfatoriamente anticorpos e imunidade contra a infecção. A pesquisa já foi aprovada pela fase pré-clínica, animal, e fases 1 e 2 em humanos.

No Brasil, os voluntários devem ser homens gays ou bissexuais cisgêneros e homens ou mulheres transexuais entre 18 e 60 anos. Os interessados podem entrar em contato com o Programa de Educação Comunitária da USP pelo Instagram ou pelo e-mail [email protected].

A tecnologia empregada na vacina em desenvolvimento é a de vetor, em que são injetadas informações genéticas de proteínas do HIV dentro de um outro vírus, inofensivo a seres humanos.

Quando o indivíduo é vacinado, o vírus inserido no organismo se multiplica, fazendo com que o corpo receba as proteínas que foram injetadas em seu material genético. Assim, o vacinado produz resposta imune contra proteínas do vírus inofensivo e também contra as do HIV.

Leia Também:  Pesquisadores desenvolvem aparelho que detecta amostras de coronavírus

Edição: Nádia Franco

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA