Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

ELEIÇÕES

Odílio Balbinotti Filho é opção da direita bolsonarista para disputar governo de MT

Publicados

em

Da Redação

Em busca de um nome para disputar o Governo de Mato Grosso na eleição do próximo ano, lideranças de direita alinhadas com o presidente Jair Bolsonaro articulam-se para lançar a pré-candidatura de Odílio Balbinotti Filho ao Palácio Paiaguás.

Agricultor e produtor de sementes proprietário de uma empresa líder nacional do setor, Balbinotti é um dos principais nomes da direita bolsonarista em Mato Grosso e reúne todas as condições para administrar o estado com o apoio do presidente da República.

Alinhado com o campo conservador, Balbinotti ganhou destaque pela sua atuação em diversas empresas e entidades durante seus mais de 30 anos de carreira empresarial. Foi membro fundador do Comitê Estratégico Soja Brasil (CESB), presidente da Associação Brasileira dos Obtentores Vegetais (Braspov) e presidente da COABRA – Cooperativa Agro Industrial do Centro Oeste do Brasil. Atualmente é presidente do Conselho Curador da Fundação Mato Grosso e presidente do Conselho de Administração da TMG.

Durante a pandemia teve papel de destaque no apoio a montagem de UTIs Covid-19 na Santa Casa de Misericórdia Rondonópolis e ajudou a idealizar e implantar o Missão Cidadão, ação desenvolvida por um pul de entidades de Rondonópolis com a finalidade de apoiar o Município na identificação e tratamento de infectados pelo novo coronavírus.

Leia Também:  Ivete Sangalo é confirmada no Rock in Rio Lisboa do ano que vem

“Competente e com credibilidade, Odílio representa o sentimento do mato-grossense que está descontente com uma gestão que ostenta os cofres cheios de dinheiro enquanto pessoas passam fome ou morrem por falta de leitos de UTIs. Odílio será um governador de resultados, que cumpre os compromissos e que governará para todos. Além disso, será parceiro do presidente Bolsonaro e reconhecerá todo o apoio do Governo Federal ao nosso estado”, destaca o deputado José Medeiros, que é vice-líder do governo Bolsonaro na Câmara Federal.

“Estamos na expectativa de efetivar esse projeto e oferecer assim aos mato-grossenses uma alternativa viável e credível para o governo. Além de defender a família, Odílio vai trabalhar junto com o presidente Bolsonaro para melhorar a economia e a vida da população de Mato Grosso. Essa parceria é fundamental para o nosso estado”, frisa Victório Galli, presidente estadual do Patriota.

Antes de se definir por Balbinotti, as lideranças bolsonarista analisaram outros nomes para concorrer ao governo, entre eles, o do senador Wellington Fagundes (PL), do deputado federal José Medeiros (PODE), o ex-deputado federal Nilson Leitão (PSDB), o ex-deputado federal Victório Galli (Patriotas), o ex-prefeito Dilceu Rossato (PSL) e o empresário Reinaldo Moraes (PSC). Dos nomes cotados para a disputa majoritária, Wellington e Leitão encontraram resistência na base bolsonarista, que busca um candidato ao governo que tenha histórico de atuação na defesa das pautas defendidas pela direita que derrubou o governo petista e elegeu Bolsonaro presidente do Brasil.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍTICA MT

Dal Bosco diz que União Brasil já tem nomes suficientes para disputar proporcional

Publicados

em

Hipernotícias

Antes da homologação da fusão entre DEM e PSL no Tribunal Superior Eleitoral, que resultou no chamado União Brasil, os partidos já conseguiram formar chapas para eleição deste ano, que ocorre no dia 2 de outubro, no sistema proporcional. A informação é do deputado estadual Dilmar Dal Bosco (DEM). O democrata também declarou que a legenda tenta emplacar candidatura à reeleição do governador Mauro Mendes.

“Tivemos uma reunião com a presença das lideranças do DEM e também do PSL. Foram apresentados alguns nomes como pré-candidatos para deputados estaduais e federais. Nós falamos com o governador que nós temos um projeto para majoritária. Vamos tentar convencer o governador Mauro Mendes ir à reeleição. Esse é o compromisso dessa fusão do União Brasil, do DEM, do PSL e, depois, duas proporcionais que seria deputado estadual e federal”, declarou à imprensa na terça-feira (4), sem dar mais detalhes.

Nessa linha, o parlamentar informou que o União Brasil também pretende construir candidatura própria ao Senado Federal.

Dilmar também destacou que o União Brasil terá nomes suficientes para atender o mínimo de 30% de mulheres filiadas para concorrer no pleito nas proporcionais, como determina o Tribunal Superior Eleitoral. “Mas dá pra atender aquele critério da legislação da fase de cem por cento mais um e 30% da base feminina. Nós já temos nomes suficiente pra disputa, tanto do sexo masculino quanto feminino, para Câmara e no estadual nós estamos terminando de remodelar”, destacou.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Horóscopo do dia: previsões para 30 de maio de 2021
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA