Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

CONSELHO DE SEGURANÇA

Regional de Guarantã do Norte recebe novas armas adquiridas em parceria com Conseg e MPE

Publicados

em

Unidades da regional da Polícia Civil de Guarantã do Norte receberam nesta quarta-feira (03.02) fuzis calibre 556 adquiridos pelo Conselho Comunitário de Segurança de Peixoto de Azevedo com recursos de transação penal destinado pelo Ministério Público.

A entrega das armas foi realizada pelo promotor de Justiça Marcelo Beato e o juiz Evandro Juarez Rodrigues ao delegado regional da Polícia Civil, Geraldo Gezoni Filho.

A aquisição foi realizada após a Delegacia Regional apresentar um projeto ao MPE para a compra das armas utilizando recursos de transações penais. Os armamentos serão distribuídos entre as delegacias de Peixoto de Azevedo, Guarantã do Norte e Matupá.

“Em meados do ano passado apresentamos um projeto ao Ministério Público da Comarca de Peixoto de Azevedo, via Conseg, para aquisição de fuzis modelo Taurus T4 e hoje colhemos o fruto do planejamento”, disse o delegado regional.

Participaram também da entrega das armas os delegados de Peixoto de Azevedo, Guarantã do Norte e Matupá, Edmundo Félix de Barros Filho, Victor Hugo Caetano e Waner dos Santos Neves, respectivamente.

Leia Também:  Polícia Civil prende receptador e recupera aparelho celular furtado

Capacitação

Doze policiais da Regional receberam entre terça e quarta-feira participaram do Curso de Alinhamento 556 ministrado pela Gerência de Operações Especiais (GOE), da Polícia Civil. A capacitação coordenada pela Delegacia Regional qualificou os policiais na operação do armamento com alto poder de fogo.

Participaram da capacitação, policiais de Guarantã do Norte, Matupá e Peixoto de Azevedo, entre delegados e investigadores.

De acordo com o instrutor da GOE, investigador Edcarlos da Silva Campos, o armamento é moderno e com grande poder de fogo, exigindo capacitação especial para sua utilização. “A Delegacia Regional de Guarantã do Norte entrou em contato com a Diretoria de Atividades Especiais, que acionou a GOE que imediatamente enviou uma equipe para a capacitação”, disse o instrutor.

 

Fonte: PJC MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍCIA

Polícia Civil identifica condutor que causou morte de motociclista na MT-251

Publicados

em

A Polícia Civil, através da Delegacia Especializada de Delitos de Trânsito (Deletran), esclareceu o acidente ocorrido na manhã de domingo  que resultou na morte de um motociclista, na MT-251, rodovia que liga Cuiabá a Chapada dos Guimarães.

O motorista do veículo Honda Civic envolvido no acidente foi identificado. D.S.G., de 25 anos responderá pelos crimes de homicídio culposo no trânsito, fuga do local, omissão de socorro e embriaguez ao volante, de acordo com as novas regras do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

O acidente causou a morte de Célio Marques de Oliveira, de 49 anos, que teve o corpo jogado para fora da pista após a colisão entre sua motocicleta e o veículo Honda Civic.

As investigações indicaram que o ponto de colisão entre os veículos ocorreu próximo ao acostamento da faixa de direção em que a motocicleta trafegava. Os danos sofridos pela motocicleta indicam que a vítima pilotava o veículo em alta velocidade no momento do acidente.

O condutor do Honda Civic fugiu do local logo após os fatos, não prestando socorro à vítima. Desde o acidente, a equipe da Deletran realizou diligências para localizar o suspeito, que foi identificado no mesmo dia.

Leia Também:  Nono envolvido em latrocínio em Nova Lacerda é preso após investigações da Polícia Civil

Nesta quinta-feira (22), o delegado responsável pelas investigações, Christian Alessandro Cabral, ouviu na delegacia a primeira pessoa que esteve no local dos fatos, que confirmou a identidade do motorista do Honda Civic e também que o suspeito estava embriagado no momento do acidente.

Segundo o delegado, o suspeito deverá ser ouvido ainda nesta quinta-feira na Deletran e responderá pelos crimes de homicídio culposo, fuga de local, omissão de socorro e também pela embriaguez ao volante.

“Ele ficará sujeito a pena de até oito anos de reclusão e será o primeiro a se sujeitar ao novo rito do Código de Trânsito Brasileiro, com as mudanças implementadas no início do mês. Com as novas regras, ele terá que cumprir, ao final do processo, toda a pena pelo qual for condenado, encarcerado”, disse o delegado, acrescentando que o rápido desfecho do caso deve-se à colaboração prestadas por meio do Disque Denúncia da Polícia Civil.

Fonte: PJC MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA