Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

INTERIOR

Polícia Civil cumpre ordens judiciais em investigação contra vereador

Publicados

em

A Polícia Civil em Rio Branco (356 km a oeste de Cuiabá) deflagrou nesta terça-feira (11.05) a Operação “Luva Branca” para cumprimento de mandado de busca e apreensão e indisponibilidade de bens em desfavor de um vereador do município de Lambari d’Oeste, que é investigado por furto qualificado.

A operação teve origem em investigações realizadas pela Delegacia da Polícia Civil de Rio Branco que apurou que vereador, que também é técnico de enfermagem do município, teria, durante o gozo de licença prêmio, se utilizado do cargo para enganar um idoso e subtrair seu cartão de crédito.

Segundo a vítima, o vereador marcou uma consulta que não foi solicitada por ela. Durante a realização de um exame, o servidor público pediu que o idoso fechasse os olhos por 15 minutos.

Após a consulta, a vítima foi ao banco e não encontrou seu cartão magnético. Para sua surpresa, ao tentar pedir o bloqueio do cartão, o idoso descobriu que alguém estava utilizando-o para realizar saques em sua conta bancária.

Ao conferir as filmagens da agência bancária, os policiais civis descobriram que o suspeito era o vereador e foi a única pessoa que esteve no banco no momento em que os saques foram realizados.

Leia Também:  Foragidos por crimes como homicídio, roubo, tráfico e associação criminosa são presos em Cuiabá e VG

Em decorrência da operação, o vereador teve bens bloqueados em quantia equivalente ao prejuízo causado à vítima. Os policiais cumpriram busca em sua residência para localização do cartão bancário subtraído e de outros elementos que possam auxiliar a Polícia Civil no esclarecimento dos fatos.

Fonte: PJC MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍCIA

Homem é preso em flagrante após sessão de tortura e cárcere privado

Publicados

em

Um homem de 34 anos foi preso em flagrante, por estupro, cárcere privado, tortura no âmbito da Lei Maria da Penha, cometidos contra a companheira, de 31 anos. Com o suspeito também foram apreendidas diversas armas de fogo, pelas quais ele foi autuado também por posse ilegal.

A Polícia Civil de Primavera do Leste recebeu uma denúncia sobre uma tentativa de feminicídio que havia ocorrido em uma fazenda da região. Equipes das unidades policiais do município e de Paranatinga foram até o local para checar as informações, onde resgataram a mulher, de 31 anos, e os filhos menores de idade que eram mantidos na propriedade sob cárcere privado.

Na fazenda, os policiais civis aprenderam oito armas tipo espingarda e diversas munições.

A vítima relatou que desde o dia 09 de junho vinha sendo torturada, quando o suspeito começou a agredindo com um copo de vidro em seu rosto. Depois, ele a levou a uma estrada na mata, onde novamente a agrediu com socos e chutes.

Em uma das ocasiões, ela estava com o filho no colo, um bebê, e para desviar os socos da criança, o suspeito lhe agredia na cabeça. Uma das agressões foi feita com uma das armas de fogo, quando o homem a jogou no chão e depois mirou em sua direção fazendo um disparo contra a mulher.

Leia Também:  Polícia Civil prende suspeito pela morte de mulher encontrada no bairro Capão do Pequi

Conforme as declarações da vítima, as sessões de agressões e torturas continuaram, quando o suspeito usou fios elétricos para provocar choques pelo corpo da mulher, que deixaram inúmeras marcas na vítima, inclusive nas partes íntimas. Ele disse ainda que a mataria sem deixar provas do crime.

A vítima relatou ainda que o agressor a impedia de sair de casa para que os vizinhos não pudessem ver as lesões em seu rosto. Na madrugada desta quinta-feira, ele tornou a agredi-la, batendo com um fio de eletricidade.

Durante as diligências na propriedade, os policiais entrevistaram o suspeito, que confirmou os crimes cometidos e ainda atribuiu a culpa à vítima.

A mulher e os filhos foram retirados do local e encaminhados para atendimento na Delegacia da Mulher de Primavera do Leste.

O suspeito foi preso e autuado em flagrante pelos crimes de tortura, estupro, cárcere privado e posse ilegal de arma de fogo. Após os procedimentos policiais, ele será encaminhado à unidade prisional da cidade.

Fonte: PJC MT
Leia Também:  Marido vai preso por posse ilegal de arma de fogo e ameaça a esposa

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA