Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

CASO ISABELE

MPE pede prisão de adolescente que atirou e matou amiga em mansão em Cuiabá

Publicados

em

Do Folhamax | O Ministério Público Estadual (MPE) e delegado Wagner Bassi ingressaram uma representação solicitando a internação compulsória imediata da adolescente de 15 anos que matou a amiga Isabele Guimarães Ramos, 14 anos, no condomínio de luxo Alphaville, no dia 12 de julho. O pedido foi protocolado na última terça-feira (8).

A informação foi divulgada pelo jornallista Pablo Rodrigo, do portal Gazeta Digital. O pedido ocorre após a conclusão do inquérito policial, que comprovou incoerências entre a versão apresentada pela autora do disparo e os fatos ocorridos no dia crime.

As investigações responsabilizaram a jovem por ato infracional análogo a homicídio doloso. De acordo com o delegado, ela assumiu o risco de matar ao apontar a arma para o rosto de Isabele.

Segundo a conclusão da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), o disparo foi executado mediante o acionamento do gatilho, dentro do banheiro. Marcelo, pai da adolescente que efetuou o disparo, foi indiciado por quatro crimes, entre eles homicídio culposo.

Não há nenhum pedido de medida cautelar contra o pai da adolescente. No entanto, ele corre risco de ser condenado a até 16 anos de prisão.

Isabele faria 15 anos no dia 12 de novembro, data em que ela e seus familiares comemorariam a tão esperada festa de debutante. Nesta semana, amigos e familiares iniciam uma campanha nas redes sociais intitulada: “Não foi acidente – Justiça por Bele”.

Leia Também:  Netflix ou Prime Video? Compare o catálogo de todos os serviços

A campanha pede que os internautas utilizem uma foto da jovem com o slogan da campanha como forma de apelo para que as autoridades responsabilizem os envolvidos no caso. O protesto será feito todo dia 12 de cada mês.

INQUÉRITO

Isabele Ramos foi morta dentro do banheiro por um tiro de arma de fogo disparo pela amiga, que à época também tinha 14 anos, filha do empresário Marcelo Cestari. Inicialmente, o caso era tratado como acidental, mas as investigações apontaram que houve um acionamento do gatilho, o que descartou a versão da menor.

Cestari foi indiciado por quatro crimes, entre eles homicídio culposo, por ter deixado a filhar pegar a arma que resultou na morte de Isabele. Somados a outros crimes pelos quais foi indiciado (porte ilegal de arma, fraude processual e permitir uso de arma de fogo por menos de idade), ele oode pegar até 16 anos de prisão.

Já a menor que efetuou o disparo, responderá por ato infracional equivalente a homicídio. A punição prevista para o caso é de seis meses a cinco anos de internação.

Leia Também:  Maia quer retomar debates sobre despesas públicas e gatilhos fiscais

O namorado da menor responderá por ato infracional equivalente a porte ilegal de arma de fogo, por ter se dirigido de sua residência à mansão da família Cestari com duas pistolas. O pai dele, segundo a PC, foi indiciado por omissão de cautela.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍCIA

Homem é preso após extraviar carga de 32 toneladas de milho em Querência

Publicados

em

Policiais militares de Querência (a 945 km de Cuiabá) prenderam nesta quarta-feira (16.09), um homem por furto e uso de droga.

Os agentes foram informados pelo representante de uma transportadora de grãos que o suspeito tinha pegado uma carga de 32 toneladas de milho para entregar em Imbituba, Santa Catarina. Acrescentou que o homem já tinha até recebido 90% do serviço avaliado em R$ 250 por cada tonelada de grão. Mas o homem alegou que tinha extraviado a carga e não sabia onde.

Em diligência, os militares encontraram o denunciado com a carreta estacionada. Ele aguardava para recarregar o veículo a mando de outra transportadora.

Dentro da carreta, os policiais encontraram porções de pasta base de cocaína.  O homem carregava as duas guias de transporte, a da carga extraviada e do novo carregamento.

Serviço

A sociedade pode contribuir com as ações da Polícia Militar de qualquer cidade do Estado, pelo 190 ou, sem precisar se identificar, por meio do disque-denúncia 0800.65.3939. Nesse número, sem custo de ligação, qualquer cidadão pode informar situações suspeitas ou crimes. Exemplos: a presença de foragidos da Justiça com mandado de prisão em aberto e ponto de venda de droga.

Leia Também:  Radar escondido em rodovias e vias urbanas é proibido por Conselho Nacional de Trânsito
Fonte: GOV MT
COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA