Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

DOR COMPARTILHADA

Mãe de Isabella Nardoni troca mensagens com pai de Henry Borel

Publicados

em

Ana Carolina Oliveira e a filha Isabella Nardoni
Reprodução

Ana Carolina Oliveira e a filha Isabella Nardoni

caso do menino Henry Borel comoveu o Brasil. A suspeita é que o garoto de 4 anos foi assassinado pelo padrasto, o vereador Dr. Jairinho , com anuência da mãe, Monique Medeiros. Essa tragédia tocou particularmente Ana Carolina Oliveira, mãe da menina Isabella Nardoni, que foi assassinada pelo pai e pela madrasta em março de 2008.

Em entrevista à revista Piauí, Ana Carolina contou que mandou mensagens de apoio a Leniel Borel, pai de Henry. “A morte brutal, os desdobramentos das investigações e a comoção causada na população são muito parecidos e doloridos”, diz a mãe de Isabella.

Ana Carolina fala que percebeu a grande semelhança entre os casos quando assistiu à entrevista que Jairinho e Monique deram ao jornalista Roberto Cabrini. “Senti frieza, uma emoção falsa e versão combinada dos fatos. Naquele momento, pensei o pior mesmo e vi semelhanças com o ocorrido com a minha filha, Isabella. Por mais que as pessoas ensaiem, criando uma versão falsa para o crime, a verdade não consegue ser escondida nem por elas mesmas”, fala.

Leia Também:  Anitta realiza ensaio sensual com Nego do Borel no Instagram

A mãe da menina diz que sentiu mandou a mensagem para Leniel na última sexta-feira (9). Ela conta que se colocou no lugar dele e diz que, assim como aconteceu com ela, Leniel deve estar recebendo muitas mensagens de apoio neste momento. Ana Carolina defende que essa comoção deve ter um propósito, que é incentivar a busca por Justiça.

“Sabe o que é mais dolorido? Eu e Leniel entregamos os nossos filhos para quem deveria cuidar e zelar. Entregar um filho para nunca mais voltar é o que mais machuca, revolta. Não consigo explicar o tamanho dessa dor. No caso da Isabella o pai foi o culpado. No do Henry, a mãe está presa como suspeita de participar da morte do próprio filho. Justo a mãe, que deu vida à criança. Eu sou da seguinte opinião: as dores não são comparáveis. Mas elas são enormes, imensuráveis”, diz.

Ana Carolina fala que Leniel agradeceu por ela ter entrado em contato com ele. “Ele me disse: ‘Você não sabe como suas palavras são importantes neste momento. Está sendo muito difícil. Não paro de pensar no meu filho. Além do meu filho, eles levaram a minha paz'”, conta.

Leia Também:  Polícia Civil prende integrante de associação criminosa e recupera carga de soja
Fonte: IG Mulher

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

POLÍCIA

Polícia apreende rapaz de 17 anos que “sequestrou” filho de empresário em Tangará

Publicados

em

Da redação – Única News

Tangará em Foco

image

O adolescente, de 17 anos, identificado como um dos autores do roubo com restrição de liberdade da vítima, cometido contra o filho de um empresário em Tangará da Serra (a 239 km de Cuiabá) foi apreendido pela Polícia Civil, no final da tarde desta sexta-feira (14), durante diligências ininterruptas para esclarecimento do crime. Ele foi reconhecido pela vítima, Rafael Lorenzetti, como um dos envolvidos no roubo e foi apreendido durante cerco policial na bairro Jardim Shangri-lá.

O crime ocorreu na quarta-feira (12), quando a vítima retornava da escola, conduzindo um veículo Volkswagen Polo. O rapaz foi abordado por dois suspeitos em uma moto, no momento em que reduziu a velocidade para entrar em casa.

Na ocasião, o suspeito que estava na garupa da moto, desceu em posse de uma arma de fogo rendendo a vítima e assumindo a direção do veículo Polo. A vítima foi levada junto a ele.

Assim que foram acionadas, as equipes da Polícia Civil e Polícia Militar iniciaram as diligências para localizar a vítima. Durante as buscas na zona rural do município na comunidade conhecida como Bezerro Vermelho, os policiais localizaram na noite de quarta-feira o veículo da vítima, fora da estrada e com avarias.

Em continuidade as diligências, os policiais encontraram a vítima em uma região de mata, próxima ao Distrito de Progresso, na MT-358. O adolescente foi entregue a família sem lesões corporais.

Investigação e apreensão do suspeito

Leia Também:  Investigado por tentativa de homicídio contra o próprio amigo é preso pela Polícia Civil

Desde que tomou conhecimento dos fatos, a Polícia Civil já vinha trabalhando com a hipótese de participação de dois suspeitos, já conhecidos do meio policial. Na delegacia, a vítima foi ouvida e fez o reconhecimento fotográfico do adolescente como um dos autores do crime, confirmando as suspeitas da equipe policial.

Com a informação, os policiais intensificaram as buscas pelo suspeito que a todo momento trocava de endereço para escapar de uma possível abordagem policial, inclusive conseguindo fugir dos policiais em uma tentativa de abordagem anterior, também no bairro Jardim Shangri-lá.

No final da tarde desta sexta-feira (14), os policiais receberam novas informações de que o suspeito havia retornado para o bairro e montaram uma operação para realizar a apreensão do menor. Ao perceber a presença dos policiais, o adolescente tentou fugir pelos quintais das casas, porém acabou detido durante o cerco.

Três pessoas que estavam nas imediações no momento da apreensão e que tem amizade com o suspeito foram conduzidas para prestar esclarecimentos, sendo ouvidos e liberados. Apenas dos menores conduzidos responderá a Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por uso de droga.

Tipificação

O caso está sendo tratado como roubo com restrição de liberdade da vítima, uma vez que não houve o pedido de resgate, não caracterizando assim o sequestro. Informações preliminares indicam que os suspeitos tiveram um desentendimento, pois um queria pedir o resgate pela vítima e o outro queria apenas roubar o veículo

Segundo o delegado, Adil Pinheiro de Paula, o adolescente que teve o envolvimento identificado no roubo, ficou todo momento com a vítima, sendo o responsável por realizar a abordagem, indo com ela em direção à Nova Olímpia e ficando escondido na região de Novo Progresso.

Leia Também:  Polícia Civil prende integrante de associação criminosa e recupera carga de soja

“O caso está sendo tratado como roubo com restrição de liberdade da vítima, uma vez que não houve o pedido de resgate, não caracterizando assim o sequestro. Informações preliminares indicam que os suspeitos tiveram um desentendimento, pois um queria pedir o resgate pela vítima e o outro queria apenas roubar o veículo”, disse o delegado.

Diante das evidências, o delegado representou pelo pedido de internação do adolescente pelo ato infracional de roubo com restrição de liberdade da vítima, que foi deferido pela Justiça. O menor poderá ficar até cinco dias na Delegacia de Tangará da Serra aguardando a vaga no sistema socioeducativo.

As investigações seguem em andamento para prender o segundo envolvido no crime já identificado pela Polícia Civil.

O delegado-geral, Mário Derveval, parabenizou a equipe de Tangará da Serra pela rápida e brilnhante atuação no caso, que tirou de circulação um suspeito que apesar de ainda ser menor de idade, já pode ser considerado de alta periculosidade.

“A equipe está de parabéns pelo trabalho de investigação e campanas, que resultaram na apreensão do adolescente infrator. Esperamos que com a detenção do suspeito e em breve do seu comparsa, livrar a sociedade desse tipo de pessoas comprometidas com crimes tão graves”, disse o delegado-geral.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA