Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

HENRIQUE SCHNEIDER NETO

Opróbrio

Publicados

em

Preste atenção à dança de raios que rasga o velho véu

Como luminosos fogos de artifício a brilharem no céu

 

Siga o chamado inquietante que há no estrondo perturbador deste trovão

Ouça o grito aflito que ecoa a voz de uma geração

Por justiça, empatia e libertação

Foi [só]assim que a humanidade enxergou a desumanidade da escravidão!

 

A força da natureza impõe ao tempo indeléveis sinais

Incitando a rosa de muitos ventos

À realizar sutis movimentos

E apontar novos pontos cardeais

 

 

Racismo, ladrão de sonhos, manipulador de destinos!

Teu credo é legado maldito impresso na memória

Manchaste de lágrimas e sangue [todas] as páginas do livro da nossa história

 

 

Deleitas-te em ver a raça humana trafegar às cegas pela contramão

Tua lei é” Irmão contra irmão”

Teus súditos sutis veem escorrer sangue inocente

E lavam as mãos

Como Pilatos, regam a terra com o fel da própria obstinação

 

 

Mas

Movidos pela esperança de chamar meu céu de “seu”

Leia Também:  Não há crescimento sem dor!

Confinados no moderno Coliseu

Futuro e passado se enfrentam frente a frente na arena

[Já assistimos a essa cena]

E a antiga crença empunha sua lança

Ensaiando repetir os passos de uma velha dança

E se lança contra toda ânsia por justiça e liberdade

 

 

Mas

Justiça e Liberdade só serão verdade

Se forem inteiras

Nunca pela metade

 

 

E a Liberdade tem pressa

Porque custa alto preço

A quem a conhece apenas pelo avesso

Por isso é preciso recontar [mil vezes] a história toda

Do fim para o começo

 

 

Neste jogo de dados

O tempo [ainda] é aliado

Mas o presente lança seus dardos

E tenta escapar por entre os dedos

Mas ainda é cedo

Ele está em nossas mãos

Clamando por [mais] ousadia, sensibilidade e prontidão

 

 

Porque o planeta entrou novamente em ebulição

Para que se evapore da face da terra

Todo vestígio

Do opróbrio da escravidão

 

Henrique Schneider Neto é promotor de Justiça.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Opinião

Desacreditadas

Publicados

em

Quando ocorre de uma mulher vir a público expor o que acontecia em seu relacionamento, muitas pessoas se veem no direito de julgá-la: “Por que não terminou antes?”; “Ficou tanto tempo porque quis”; “Com certeza aceitava ser traída”; “Não ouviu os pais, deu nisso”.

O que essas mesmas pessoas não sabem, mas deveriam procurar saber é que existe um ciclo de violência, onde a mulher nem percebe que está nele. Ela confia que realmente está louca, porque é assim que o companheiro a faz sentir; ela acredita que apanhou por culpa própria; ela crê que ele a agride verbalmente e/ou fisicamente porque a ama demais.

Fora o fato de que muitas têm medo da pessoa que está ao seu lado e não sabe como se livrar desse homem, concordando piamente que se ela terminar, ele irá matá-la.

Cuidado ao julgar mulher que está ou esteve em relacionamento abusiv
É muito importante sempre acreditarmos na palavra da vítima, afinal ninguém apanha ou é traída porque quer. O que acontece depois de uma briga são flores, declarações de amor, promessas de que irá mudar e o pior: dizer que ela é maluca e inventou tudo pelo seu ciúme excessivo. A mulher acaba se sentindo verdadeiramente culpada e ainda pede perdão ao companheiro por ter causado todo o transtorno, onde o único culpado é ele.

Leia Também:  Covid-19

Então, muito cuidado ao julgar uma mulher que está ou esteve em um relacionamento abusivo. Já não basta todas as cicatrizes que ela terá que carregar pelo resto da vida.

Quando perceber de uma amiga, prima, irmã, etc. estar passando por um namoro/casamento tóxico, não aponte o dedo a ela, fique a seu lado e esteja lá para quando ela precisar. Ofereça ajuda e a faça se sentir amada e incrível. Com o tempo, a mesma vai notar que merece mais e precisará que as pessoas que querem o seu bem estejam lá para tirá-la das mãos do agressor, evitando que o pior aconteça.

Mulheres, vocês precisam acreditar nas outras mulheres. Já não basta tudo que nós passamos em virtude do machismo diariamente. Nós somos as únicas que conseguimos entender umas as outras.

Quando uma abrir a boca para discorrer sobre suas feridas de um relacionamento ruim, não atire pedras, diga: “Amiga, eu estou aqui e isso nunca mais vai acontecer com você”.

Portanto, agora quero falar para você que está sem coragem e está lendo esse texto: Você é extremamente maravilhosa, não está louca e não merece sofrer. Eu estou aqui, eu acredito em você e juntas seremos mais fortes para te fazer livre. Não tenha medo.

Leia Também:  Ferrovia e o foro decisivo

Michelle Leite de Barros é advogada em Cuiabá-MT.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA