Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

EMANUELZINHO PINHEIRO

O que penso

Publicados

em

Essa semana fiz o lançamento da minha campanha e hoje eu quero compartilhar com você a minha visão sobre Várzea Grande e o que nos espera pelos próximos anos.

Eu vejo VG como uma cidade em transformação. Uma cidade que tem um grande potencial, com pessoas dedicadas e honestas, e com condições para que todos tenham não somente o seu sustento garantido, mas também a qualidade de vida assegurada.

Essa minha visão não começou com a candidatura para prefeito. É o resultado de muitos anos convivendo entre realidades distintas, separadas apenas por um rio, em que uma cidade se tornou próspera e mais acolhedora, enquanto a outra sofre com problemas de primeira ordem, como a falta de um abastecimento de água, a ausência de unidades de saúde, o pequeno número de espaços de convivência e lazer para as famílias e, não menos importante, a falta de oportunidades que levem para a mesa de todos a dignidade.
Não entendo uma cidade apenas como uma questão matemática, em que o que interessa são índices, que podem muito bem ser manipulados de acordo com os interesses dos governantes. Em minha visão, o que mais vale, é se o governo tem entendimento sobre o acolhimento que precisa proporcionar à quem vive nela.

Quando uma jovem mãe, que precisa trabalhar, mas não encontra uma vaga na creche para deixar seu filho em segurança e bem alimentado, é sinal de que o governo falhou. Quando uma pessoa não consegue trazer o sustento para o seu lar, e tem que olhar nos olhos de seus familiares sem ter o que dizer, é sinal de que o governo falhou. Quando um idoso não consegue um remédio que faz uso regular, para que tenha um mínimo de reconhecimento por todo o seu suor dedicado, é sinal de que o governo falhou.

Leia Também:  35 anos de história

Coloquei aqui apenas algumas das questões para não me alongar, já que não posso descumprir a minha primeira promessa, que foi a de ser breve, mas há mais ainda há ser dito, e muito mais ainda a ser discutido com todos.

A política é o maior elemento de transformação de uma sociedade, sendo ela o instrumento da vontade das pessoas e do seu desejo de mudança. Hoje, me coloco a disposição para enfrentar os desafios e as dificuldades, lado a lado com você.

Eu acredito que cada gestor tenha feito o seu melhor para a cidade, independente do resultado, e tenho certeza de que para o momento que viveremos nos próximos anos, após superarmos a crise na saúde, a batalha se dará pela volta da renda e do poder aquisitivo de nossas famílias, e será preciso outro tipo de visão.

O orçamento da cidade é pequeno? É. Mas eu sei onde podemos buscar os recursos, e com isso gerarmos oportunidades. Minha experiência como deputado federal, meu relacionamento com a classe política e a minha postura, que sempre foi firme, mas conciliatória, me mostram que há um caminho a seguir.

Leia Também:  Contratos de prestação de serviço de transporte aéreo: uma análise crítica das inovações introduzidas pela Lei 14.034, de 2020

Aproveito, em minhas últimas linhas, para falar o que você pode esperar de mim nessa campanha e, se assim a sua confiança eu conquistar, também como prefeito: trabalho, trabalho e trabalho.

Aqueles que pensam que eu entrarei em disputas ideológicas, ataques pessoais ou qualquer outro tipo de assunto que não tenha relação com as prioridades de VG, irão se decepcionar muito.

De hoje, até o final dessa campanha, todo o foco do meu trabalho será o de escutar as pessoas com quem conversarei em minhas agendas e também pelas minhas redes sociais, bem como, apresentar soluções para os problemas que temos.

Quero contar com você nessa campanha. Com seu voto e, sobretudo, com o seu apoio. É hora de um novo tempo. E esse tempo é agora.

*Emanuelzinho Pinheiro é deputado federal por Mato Grosso filiado ao PTB e candidato a prefeito de Várzea Grande

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Opinião

Agenda positiva na universidade pública

Publicados

em

Desde a última eleição presidencial e nos primeiros meses do novo mandato as universidades públicas vêm sendo alvo de muitos ataques. Se concentravam numa demolição, com falas como desaparelhar a educação, desesquerdizar,  despetizar, desideologizar, endireitar, balbúrdia e outras do gênero. O foco era numa negação destas instituições e sua privatização como a grande saída. O Ministério da Educação chegou a apresentar a proposta de um programa denominado Future-se. Mas teve pouco avanço e, até onde pude acompanhar, foi descontinuado com a troca de ministro. Espero que o atual titular do MEC possa apresentar um rumo para a educação brasileira.

Mas, enquanto isto, muita coisa boa continua acontecendo. As universidades vêm se mantendo e inovando nesse contexto de cortes orçamentários contínuos e dos enfrentamentos políticos citados. Tiveram que se adaptar a este contexto de aulas à distância gerado pela pandemia, eleições on line para a reitoria e a implantação de teletrabalho para boa parte dos seus servidores.

No caso da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) tivemos a divulgação de números positivos no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade). Medicina de Cuiabá e Rondonópolis atingiram nota máxima (5), juntamente com  Arquitetura e Urbanismo na capital. O resultado vem de uma prova realizada pelos estudantes e que acaba sendo uma expressão da qualidade de todo o curso, já que os egressos são seu produto final.

Leia Também:  OPINIÃO DO DIA - Eduardo Botelho: liderança política que faz a diferença em Mato Grosso

O curso de Medicina de Cuiabá é um excelente exemplo de como enfrentar as dificuldades e buscar um novo modelo. Saíram da nota 2 na última avaliação do Enade em 2016 para 5 agora. Eles vêm inovando bastante em aspectos pedagógicos, com formatos mais voltados para a resolução de problemas e integração das disciplinas, facilitados por tutorias. Houve também investimento em novos equipamentos acadêmicos capazes de melhorar o aprendizado, com a incorporação definitiva da tecnologia na relação ensino-aprendizagem.

Um outro ponto positivo foi o empreendedorismo, marcado pela relação com o setor privado. Um dos maiores projetos hoje desenvolvidos pela UFMT está lá. Trata-se da Revalidação de Diplomas de Medicina obtidos no exterior. Teve um salto gigantesco nos últimos 5 anos e tornou-se referência nacional. Além disto, os saldos positivos gerados por ele auxiliaram no financiamento na infraestrutura e nas inovações citadas.

A comunidade acadêmica está de parabéns por este sucesso, na pessoa da Diretora da Faculdade, Doutora Bianca Borsatto. Que o exemplo que estão dando de como buscar uma agenda positiva para a universidade pública no Brasil possa ser seguido e servir de estímulo nesse momento Brasil afora.

Leia Também:  "Penso nele todos os dias", diz Thiago Salvático sobre Gugu Liberato

Vinicius de Carvalho é gestor governamental, analista político e professor universitário.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA