Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

Meio Ambiente

Comissão se reúne e discute adequações do Zoneamento de MT ao MacroZEE

Publicados

em

A Comissão Estadual do Zoneamento Socioeconômico Ecológico de Mato Grosso (CEZSEE/MT) se reuniu na Secretaria de Estado de Planejamento (Seplan-MT), nesta segunda-feira (21.08). Na ocasião o grupo tratou de diversos temas relacionados a este instrumento de planejamento, como a readequação do Macrozoneamento Ecológico-Econômico (MacroZEE) da Amazônia Legal ao que está sendo estabelecido em Mato Grosso.

“Essa foi a primeira reunião que efetivamente começamos a tratar dos temas do zoneamento. Sobre a readequação ao MacroZEE da Amazônia Legal, identificamos quais categorias locais recaem sobre as unidades territoriais do MacroZEE e as suas compatibilidades, pontos esses que serão traduzidos em diretrizes que possam complementar o que está especificado no MacroZEE”, explicou Elaine Corsini, secretária adjunta de Informações Socioeconômicas, Geográficas e de Indicadores da Seplan.

Também foi discutido pelo grupo, que ao todo é integrado por oito secretarias estaduais, mais a Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), e 13 instituições como membros convidados, a atualização de dados socioeconômicos e a proposta de um índice que possa monitorar anualmente o zoneamento após a sua implementação.

Leia Também:  Ministro interino da Saúde presta contas à comissão mista da covid nesta-quinta

“Basicamente nós tivemos uma primeira discussão já dentro do conteúdo, objetivo principal da Comissão, para que eles possam acompanhar o nosso trabalho de revisão do zoneamento com esses dois primeiros produtos”, completou Corsini.

O Zoneamento Socioeconômico Ecológico consiste em um instrumento de organização do território a ser obrigatoriamente seguido na implantação de planos, obras e atividades públicas e privadas. Por meio dele também são estabelecidas medidas e padrões de proteção ambiental destinados a assegurar o desenvolvimento sustentável e a melhoria das condições de vida da população.

Da região da Amazônia Legal, além de Mato Grosso os estados de Rondônia e Tocantins não finalizaram seus zoneamentos. De acordo com o secretário da Seplan, Guilherme Müller, é uma determinação do governador que esse trabalho seja concluído em 2017.

“Há um compromisso com o Ministério do Meio Ambiente de que até o final deste ano seja protocolada na Assembleia Legislativa a nova lei do zoneamento”, disse Müller.

A próxima reunião ordinária da Comissão do Zoneamento Socioeconômico Ecológico de Mato Grosso deve acontecer no dia 02 de outubro.

Leia Também:  Julia Joia desmistifica padrão de beleza e discute auto-estima em "Zen"

Regiões de Planejamento de MT

A Seplan tornou público, neste mês de agosto, um estudo no qual os 141 municípios de Mato Grosso têm o perfil detalhado em 12 regiões de planejamento. O documento denominado “Regiões de Planejamento de Mato Grosso” faz uma ampla análise sobre a dinâmica do espaço mato-grossense de forma regionalizada, em uma perspectiva social, econômica e ambiental, que serve de insumo para a revisão do Zoneamento. Os resultados da publicação foram apresentados aos membros da Comissão durante a reunião.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

MATO GROSSO

Em uma hora, chuva em Cuiabá atinge metade da média esperada para abril

Publicados

em

Por

A chuva de forte intensidade, registrada na manhã desta quarta-feira (3), em Cuiabá, atingiu somente em uma hora, mais da metade da média esperada para todo o mês de abril, de acordo com a Defesa Civil Municipal.

Segundo o diretor da Defesa Civil de Cuiabá, coronel Paulo Wolkmer, na primeira hora de chuva, foram registrados 65 mm de precipitação, o que é considerado um volume de intensidade muito forte. A norma climatológica esperada para todo o mês de abril é de 117,8 mm.

“É uma chuva com característica de muito forte intensidade. Apenas na primeira hora, registrou 65 mm de chuva. A partir da segunda hora, está sendo registrado de 8 a 15 mm. E, o pior, continua chovendo e com perspectiva de chover o dia todo. Então, somente hoje devemos ter uma chuva acima de 85 mm, o que será confirmado amanhã. Trata-se de uma chuva muito atípica em Cuiabá”, afirmou Wolkmer.

Mais de 15 ocorrências foram registradas pela Defesa Civil somente pela manhã. Em casos de chuva com forte intensidade, as consequências são: alagamentos, inundação e enxurradas.

Leia Também:  ÁGUA PARA O FUTURO

Para a população que reside em área de risco, próximos à córregos, APP (Área de Preservação Permanente), é importante colocar seus pertences em locais elevados, documentos pessoais em sacos plástico para evitar que molhe. “Dependendo da localidade, é recomendada a desocupação dessas casas, ir para a casa de um vizinho, parente, amigos, ou seja, locais que estão mais seguros”, recomendou o responsável pela Defesa Civil Municipal.

Já a comunidade que está no centro da cidade, e precisa atravessar ruas, em casos de alagamento e enxurradas, é fundamental buscar locais abrigados, como de alvenaria. “É importante evitar atravessar ruas sob enxurradas. E pontos de alagamento, onde não se consegue enxergar onde vai passar, pode ter buracos, e a pessoa pode cair e se machucar. Em casos de descargas atmosféricas, o carro é um local seguro, caso esteja seco por dentro”.

A população pode entrar em contato com a Defesa Civil pelo telefone: 65 3623-9633. A Prefeitura de Cuiabá está em alerta para qualquer emergência no período e após a chuva.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA