Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

MATO GROSSO

Segmentos do comércio se juntam em prol da liberdade econômica

Publicados

em

Para fomentar a importância da Declaração de Direitos de Liberdade Econômica, prevista na medida provisória nº 881/2019, de autoria da Presidência da República, o deputado estadual Ulysses Moraes (DC), participou de reunião realizada, na Fecomércio-MT, para convidar, dessa vez, as entidades sindicais filiadas à Federação para audiência pública que será realizada no dia 18 de junho, às 09 horas, na Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso (ALMT).

O deputado, que segue uma linha liberal econômica, afirma que a MP traz muitos avanços a Mato Grosso. Além disso, será lançado o aplicativo Destrava MT, um dispositivo responsável que irá ajudar a identificar leis, portarias e resoluções que o setor produtivo do estado entendam como atrapalhadoras do desenvolvimento de Mato Grosso para, então, revoga-las posteriormente.

Os representantes legais dos sindicatos patronais do comércio confirmaram a participação na audiência pública, já antecipando a aceitação da medida proposta pelo governo federal, como afirmou o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos de Mato Grosso (Sincofarma-MT), Hamilton Domingos Teixeira.

Leia Também:  Recursos do FCO para a indústria de MT crescem 144% em 2019

“Essa MP vem de encontro ao que o Sindicato almeja, de desonerar a categoria de requerer a licença ambiental, por exemplo. Isso se aplica, pois o segmento está regulamentado pelo Plano Nacional de Resíduos Sólidos, além de terceirizar o serviço de coleta de lixo, isentando assim, o empresário de pagar mais uma taxa para exercer a atividade empresarial”, disse Hamilton.

Para o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Tecidos, Confecções e Armarinhos de Mato Grosso (Sincotec-MT), Roberto Peron, a medida provisória é mais um caminho de como os estados e municípios devem agir para destravar o comércio. “Essa audiência pública quer fazer com que todos os empresários falem a mesma língua e que os estados e municípios entendam que tem que desonerar, realmente, quem produz”.

O vice-presidente da Fecomécio-MT, Manoel Procópio, que coordenou a reunião, afirmou também que a entidade tem atuado junto aos deputados, levando as reivindicações do setor comercial. “Nós queremos colocar à disposição dos deputados, informações que a entidade possui, como a Renalegis (Rede Nacional de Assessorias Legislativas) e, assim, estreitar a atuação da entidade junto aos Poder Legislativo no estado”.

Leia Também:  Vendas do comércio caem 0,1% em maio, 2º recuo mensal seguido

Fonte: Fecomércio

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

MATO GROSSO

Mato Grosso tem sete dos municípios com maior dinamismo no mercado de trabalho do país

Publicados

em

Mato Grosso tem sete municípios na lista dos 100 com maior dinamismo no mercado de trabalho do país. O levantamento foi realizado pela Confederação Nacional de Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), a pedido do jornal Estadão, e mostra que as cidades ligadas ao agronegócio ampliaram a quantidade de empregos formais em 2020.

Campo Verde, Querência, Mirassol D’Oeste, Nova Mutum, Sapezal, Sorriso e Barra do Bugres são os representantes estaduais na lista, respectivamente, em 22º, 60º, 67º, 69º, 77º, 95º e 100º lugar. O economista chefe da CNC, Fabio Bentes, responsável pelo estudo, explica que quando é feita a pesquisa pelo crescimento proporcional de emprego estes municípios se destacam.

Para o secretário de Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso, César Miranda, para além de bons resultados no campo, o agronegócio também gera emprego e renda nos municípios mato-grossenses. “Os números cada vez mais mostram que há este movimento de mais e melhores empregos nas cidades agropecuárias. E o Governo do Estado investe para melhorar ainda mais, focando em agroindustrialização, em trazer empreendimentos e mais riquezas para todos os cidadãos que vivem nas cidades”, afirma.

Leia Também:  Simpósio de iniciação científica reúne alunos de várias instituições na Fatec Senai Cuiabá

Exemplo de que o agronegócio é sólido em Mato Grosso foi a pandemia da Covid-19, que pouco afetou o setor. A safra estadual de soja no ciclo 2019/2020 teve produção de 35 milhões de toneladas. Demanda chinesa e outros países asiáticos, preços internacionais em alta e desvalorização do câmbio foram fatores que levaram ao bom resultado.

Dos sete municípios na lista da CNC, cinco são destaque na produção de soja: Sorriso é o primeiro produtor, com 2,2 milhões de toneladas nesta safra; Nova Mutum produziu 1,4 milhão de toneladas; Sapezal produziu 1,2 milhão de toneladas, Querência, 1,1 milhão de toneladas e Campo Verde, que produz 753 mil toneladas. Mirassol D’Oeste é um município com aptidão para pecuária e Barra do Bugres tem produção de cana-de-açúcar e usina.

Para o economista Fabio Bentes, o agronegócio tem investido fortemente em tecnologia e isso, teoricamente, deveria torna-lo um setor poupador de mão de obra. “Os números mostram que, mesmo com a tecnologia, o setor tem contratado mão de obra em um esforço para o aumento da produtividade”, afirma.

Leia Também:  Comissão mista do Congresso aprova relatório da MP da Liberdade Econômica

O levantamento considerou o estoque de emprego formal dos municípios pela Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), do Ministério da Economia, e cruzou essas informações com os micro dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) até setembro. Foram excluídos municípios com menos de 5 mil postos formais de trabalho no fim de 2019.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA