Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

MAIO AMARELO

Senado recebe iluminação amarela em apoio ao mês de segurança no trânsito

Publicados

em

A cúpula e o edifício principal do Senado serão iluminados de amarelo a partir da noite desta sexta-feira (30 de abril) até 7 de maio, em alusão ao mês de segurança no trânsito.

O pedido, aprovado pela Primeira-Secretaria do Senado, é do Ministério da Saúde e do Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER-DF), em apoio ao movimento internacional Maio Amarelo, cujo tema para 2021 é “Respeito e responsabilidade: pratique no trânsito”.

Instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2011, o movimento internacional Maio Amarelo visa chamar a atenção para o alto número de mortos e feridos no trânsito em todo o mundo. Além do Senado, outros edifícios e monumentos da capital, como a Esplanada dos Ministérios, a Catedral de Brasília, o Palácio do Buriti e a Caixa D’Água da Ceilândia, entre outros, também receberão iluminação especial.

Segundo o diretor-geral do DER-DF, Fauzi Nacfur, a cor amarela representa a atenção no trânsito, e o símbolo do movimento é um laço amarelo, que remete à preservação da vida.

— O intuito é despertar na sociedade a reflexão e o debate sobre as boas práticas de segurança no trânsito e reforçar a cultura e o respeito ao Código de Trânsito Brasileiro, o que tem sido uma marca na capital federal e referência para todo o Brasil — afirma.

Leia Também:  Bairro Santa Cruz I recebe mais de 2 km de pavimentação

Mortes em acidentes

A Assembleia-Geral das Nações Unidas editou, em março de 2010, uma resolução definindo o período de 2011 a 2020 como a Década de Ações para a Segurança no Trânsito. O documento foi elaborado com base em um estudo da OMS (Organização Mundial da Saúde) que contabilizou, em 2009, cerca de 1,3 milhão de mortes por acidentes em 178 países. Aproximadamente 50 milhões de pessoas sobreviveram com sequelas. Se nada for feito, a OMS estima que, em 2030, o número de mortos no trânsito poderá chegar a 2,4 milhões.

São 3 mil vidas perdidas por dia nas estradas e ruas, ou a nona maior causa de mortes no mundo. Os acidentes de trânsito são o primeiro responsável por mortes na faixa de 15 a 29 anos de idade; o segundo, na faixa de 5 a 14 anos; e o terceiro, na faixa de 30 a 44 anos. Atualmente, esses acidentes já representam um custo de US$ 518 bilhões por ano, ou um percentual entre 1% e 3% do PIB (produto interno bruto) mundial.

Leia Também:  Projeto facilita responsabilização judicial de dirigentes partidários

Com informações do site oficial do Movimento Maio Amarelo, da ONU.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

LEGISLATIVO

Comissão de juristas realizará debate sobre afroempreendedorismo

Publicados

em

A comissão de juristas que analisa aperfeiçoamentos na legislação de combate ao racismo estrutural no Brasil vai promover, na segunda-feira (17), debate sobre afroempreendedorismo.

A reunião é organizada pelo grupo de trabalho Direito Econômico, Financeiro e Tributário e Questões Raciais. O debate está marcado para as 10 horas.

Instalada em janeiro na Câmara dos Deputados, a comissão é formada por 20 juristas negros e presidida pelo ministro Benedito Gonçalves, do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Convidados
Foram convidados para o debate:

  • a pesquisadora do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Suzana Matos;
  • o presidente e diretor de Inovação da organização Fa.Vela, que atua no desenvolvimento do empreendedorismo, João Souza;
  • a representante da rede de aceleração de negócios Negras Plurais, Caroline Moreira;
  • o pesquisador Lucas Sena, do Grupo de Estudos Observatório de Políticas Públicas da Universidade de Brasília (Geopp/UnB);
  • o fundador da Incubadora Afro-Brasileira, Giovanni Harvey;
  • a diretora de Negócios e Vendas do Diaspora.black, canal de vendas para o turismo voltado para a cultura negra, e representante do Movimento Black Money, Cíntia Ramos;
  • a idealizadora do festival Feira Preta, Adriana Barbosa;
  • o doutor e mestre em Direito Daniel Vargas.
Leia Também:  Projeto proíbe demissão pela administração pública durante a pandemia

Da Redação
Edição – Pierre Triboli

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA