Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

INCENTIVO

Organizações e iniciativas sociais podem se inscrever para receber incentivos da Fundação André e Lucia Maggi

Publicados

em

A Fundação André e Lucia Maggi (FALM) está com inscrições abertas para o Incentivo Emergencial, voltado para organizações sociais formalizadas e iniciativas sociais formadas por voluntários, que estão atuando com ações diretas frente à pandemia com os públicos mais vulneráveis nas áreas de saúde, educação ou proteção social em Mato Grosso, Amazonas e Rondônia. Além de recursos financeiros, a FALM irá oferecer uma série de incentivos para apoiar as organizações e iniciativas nesse momento de crise. As inscrições vão até o dia 30 de outubro pelo site https://www.fundacaoandreeluciamaggi.org.br/incentivo.  

Quem pode participar? 

Podem se inscrever organizações sociais (pessoa jurídica sem finalidade econômica), como por exemplo, associações, cooperativas sociais ou organizações não governamentais. Outra modalidade de inscrição é voltada para pessoas que participam de uma iniciativa social (pessoa física), como por exemplo, pessoas que atuem em grupos de voluntários, lideranças comunitárias ou movimentos sociais. 

Quais os incentivos oferecidos? 

Além de recursos financeiros (até R$ 10 mil para organizações sociais e até R$ 5 mil para iniciativas sociais), a FALM também irá oferecer uma série de incentivos como formação sobre captação de recursos por meios digitais, encontros online de fomento ao trabalho em rede, capacitação online para os não classificados e a Vitrine Virtual, onde as organizações e iniciativas terão suas causas divulgadas para que possam captar recursos de doações e ampliar a visibilidade. 

“O recurso pode ser utilizado para pagamento de despesas fixas e para atividades diretas para minimizar os impactos da COVID-19 junto aos públicos mais vulneráveis”, explica a coordenadora de Projetos da FALM, Lorraine Souza.  

Quais as áreas de atuação? 

O Incentivo Emergencial contempla ações e projetos desenvolvidos nas áreas de educação, como ensino e atividades educacionais à distância; empregabilidade e educação profissional e geração de renda para populações vulneráveis, entre outros. Já na área de saúde, os projetos podem ser voltados para saúde física, mental e emocional, diagnóstico e prevenção ao Coronavírus, entre outros. Já na área de proteção social, o incentivo quer apoiar projetos que atuem na prevenção e redução de da violência doméstica, assistência às comunidades e pessoas em vulnerabilidade social, entre outros.  

Como se inscrever? 

Acesse o site https://www.fundacaoandreeluciamaggi.org.br/incentivo, leia atentamente o regulamento, separe os documentos para consulta, prepare a planilha de custos (disponível no site) e tire suas últimas dúvidas na área “perguntas frequentes”. Após isso, é só clicar no botão “Fazer Inscrição” de acordo com o perfil do projeto, pessoa física ou jurídica, e será direcionado para o formulário de inscrição. Também é possível fazer o download do rascunho da ficha de inscrição, antes de preencher o formulário final.   

A Fundação André e Lucia Maggi (FALM) é uma organização social, responsável pela gestão do Investimento Social Privado da AMAGGI nas regiões estratégicas para a empresa. Acompanhe a FALM pelo siteFacebookYoutube e Instagram (@sigafalm). 

Fonte: Assessoria 

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Lei de Botelho institui selo para estabelecimentos que resguardam a saúde de seus clientes
Propaganda

GERAL

Governo de MT lamenta morte do fotojornalista Lenine Martins

Publicados

em

O Governo de Mato Grosso lamenta o falecimento do fotojornalista Lenine Martins de Oliveira nesta sexta-feira (23.10), vítima da Covid-19. Ele tinha 64 anos e estava internado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) por complicações da doença desde o início de outubro.

Lenine era servidor efetivo e atuou por 41 anos na Secretaria de Comunicação. Mesmo após a aposentadoria continuou fotografando e permaneceu no Estado como funcionário comissionado entre os anos de 2014 a 2019.

Ele começou a trabalhar para o governo na gestão de José Fragelli, entre os anos de 1971 e 1975. Na época, um funcionário da assessoria de imprensa do então governador. Tornou-se fotógrafo no governo de Frederico Campos, entre 1979 e 1983.

O secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, lamentou a morte do fotógrafo e externou condolências à família e amigos. “Foi um funcionário que dedicou sua vida a servir ao Estado. O trabalho de Lenine, está registrado na história da fotografia de Mato Grosso. Que Deus dê forças aos familiares e amigos e abençoe a todos neste momento difícil”.

Leia Também:  Brasil libera R$ 2,5 bilhões para aderir à aliança contra covid-19

A secretária adjunta de Comunicação, Laice Souza, lembrou dos tempos em que trabalhou com o fotógrafo. “Tive o prazer de trabalhar com Lenine. Um profissional que amava o que fazia e um ser humano incrível. Fará muita falta. Meus profundos sentimentos à família”.

O repórter fotográfico Mayke Toscano fez questão de destacar ter aprendido muito com Lenine. “Perco um grande amigo, que conheci no início da minha carreira. Lenine, o fotógrafo que trabalhou por mais tempo na Secom, 40 anos de história. Aprendi muito com ele”.

A assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública, Débora Siqueira, contou ter trabalhado com Lenine entre os anos de 2016 e 2018. “Sempre foi muito respeitado, sempre disposto para fotografar operações, o que fazia dele um cara muito querido pelas forças policiais”.

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA