Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

SERVIÇO RUIM

Energisa deve pagar R$ 15 mil a cliente por demorar para religar energia

Publicados

em

A Energisa Mato Grosso foi condenada a pagar R$ 15 mil por danos morais a um cliente teve o fornecimento de energia elétrica suspenso em sua unidade consumidora em  20 de dezembro de 2017, sem nenhum aviso prévio.  A decisão é do juiz  Yale Sabo Mendes, da 7ª Vara Cível de Cuiabá. Segundo os autos, a Energisa ainda foi condenada pela demora em religar a energia da família, que ultrapassou às 48 horas após o pagamento da fatura.

Na ação, o usuário havia pedido condenação da empresa ao pagamento de uma indenização por danos morais no valor equivalente a 50 vezes o salário mínimo vigentes à época da prolação. No curso, uma audiência de conciliação foi realizada em 17 de abril de 2018, sem êxito.

A Energisa, por sua vez, alegou que a interrupção do serviço ocorreu no dia 22 de dezembro de 2017, mesma data em que a fatura causadora do corte foi adimplida. Afirma que o cliente foi devidamente notificado que a fatura 10/2017 estava em atraso. Quanto à alegação do cliente  de que não foi notificado acerca da possibilidade de corte no fornecimento dos serviços da empresa, o juiz entende  tenho que “não merece prosperar”, tendo em vista que consta na fatura do mês subsequente que a fatura 10/2017 estava em atraso.

Em sua decisão, o juiz destaca que o prazo para religação, de acordo com a legislação, deve ocorrer 24 horas após o pagamento. “Desta forma, considerando o disposto no Artigo 176, § 5º da Resolução 414/2010 da Aneel, tendo em vista que o pagamento foi registrado após as 18:00, o inicio da contagem do prazo de 24(vinte e quatro) horas se deu a partir das 08:00 do dia 21/12/2017. No entanto, o fornecimento de energia só foi religado pela Requerida no dia 22/12/2017 às 19:37, ou seja, após o prazo de 24(vinte e quatro) horas estabelecido pela Resolução 414/2010 da Aneel. Logo, a conduta da Requerida, ao não restabelecer o fornecimento de energia no prazo estabelecido pela resolução da ANEEL, mostra­se abusiva e desproporcional”.

Para o juiz, houve falha na prestação do serviço que ultrapassa o mero aborrecimento. Desta forma, entendeu que a concessionária de ser responsabilizada.

“A par disso, entendo razoável a condenação da Requerida ao pagamento de R$ 15.000,00 (quinze mil reais) à título de danos morais. Ante o exposto, nos termos do artigo 487, inciso I, do Código de Processo Civil, julgo procedentes os pedidos iniciais formulados pelo Autor em face de Energisa Mato Grosso ­ Distribuidora de Energia S.A, para condenar a requerida, ao pagamento no valor de R$ 15.000,00 (quinze mil reais), pelos danos morais sofridos, acrescido de juros de 1% (um por cento) ao mês a partir da citação e correção monetária (INPC) a partir do arbitramento. condeno a Requerida ao pagamento das custas e despesas processuais e dos honorários advocatícios sucumbenciais, estes fixados em 20% (vinte porcento) sobre o valor da condenação, nos termos do art. 85, § 2º do Código de Processo Civil. Transitado em julgado e decorridos 15 (quinze) dias sem a manifestação da parte vencedora expressando o desejo de executar a sentença, arquive­se”, diz a decisão.

Leia Também:  Menina diz que era abusada desde os 7 anos pelo tio e avô
COMENTE ABAIXO:
Propaganda

GERAL

Transformação digital do saneamento será assunto da Brazil Water Week

Publicados

em

“Transformação digital” será um dos temas de destaque da Brazil Water Week, encontro internacional, que será promovido online de 26 a 30 de outubro pelaABES – Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (confira a programação geral no site – https://www.brazilwaterweek.com.br/resumo-sessoes). A discussão faz parte do Tema 3 – Gestão Eficiente do evento, que terá 26 sessões em 8 temas principais, mais de 50 horas de conteúdo online e mais de 100 palestrantes do Brasil e de outros países. Inscrições neste link: https://www.brazilwaterweek.com.br/inscricoesO credenciamento para jornalistas está aberto neste link: https://www.brazilwaterweek.com.br/credenciamento-de-imprensa

A sessão terá a participação do especialista Sam Azimi (SIAAP – Service Public de l’Assainissement Francilien), Rogério Marques (Ministério do Desenvolvimento Regional) e Helena Alegre (Laboratório Nacional de Engenharia Civil – Portugal). A coordenação da sessão e moderação é de Samuel Alves Barbi Costa, da ARSAE – Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais.

A transformação digital é mais processual e baseada em pessoas do que tecnológica. Identificar corretamente os desafios e as necessidades informacionais das organizações em termos de aspectos ambientais e econômicos são essenciais para estruturar as abordagens digitais. Com base nisso, os sistemas de infraestrutura física, instrumentação e controle podem ser adaptados à transformação digital, bem como à comunicação e análise.

Leia Também:  Projeto garante 30 horas de trabalho semanal ao assistente social do serviço público

Nesta sessão, concessionárias de água europeias e brasileiras vão apresentar roteiros para aumentar as abordagens digitais e os participantes do painel discutirão como os governos podem incentivar as concessionárias em sua jornada digital.

A Brazil Water Week, que já ocorre em outros países, como Suécia e Cingapura, reunirá profissionais e empresas do Brasil e outros países e envolverá também a comunidade acadêmica, especialistas e organizações internacionais para discutir a água em sua concepção mais ampla, abordando desafios, políticas públicas e soluções e tecnologias existentes no Brasil e em todo o mundo, com foco no Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 6 da ONU: ODS 6 – Água e Esgoto para todos até 2030!

Uma grande oportunidade para os participantes compartilharem conhecimentos e realizarem networking com públicos do Brasil e exterior. A Brazil Water

Week tem patrocínio da Sabesp, Miya, Suez, Aegea, Cedae e Iguá Saneamento.

Sobre a ABES

Com 54 anos de atuação pelo saneamento e meio ambiente no Brasil, a Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental – ABES reúne em seu corpo associativo cerca de 10.000 profissionais do setor. A ABES tem como missão ser propulsora de atividades técnico-científicas, político-institucionais e de gestão que contribuam para o desenvolvimento do saneamento ambiental, visando à melhoria da saúde, do meio ambiente e da qualidade de vida das pessoas.

Leia Também:  Proposta recria dedução do IR para contribuição patronal por empregado doméstico

Inscrições em: https://www.brazilwaterweek.com.br/inscricoes

Para mais informações, acesse: https://www.brazilwaterweek.com.br/

www.abes-dn.org.br

Fonte: Assessoria de Imprensa

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA