Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

PRATA

De fadinha às Olimpíadas: A trajetória de Rayssa Leal, a sensação brasileira no skate

Publicados

em

“Vivendo um sonho”. É assim que Rayssa Leal, a ‘Fadinha’, descreve a sensação de ser a atleta brasileira mais jovem a participar de uma edição dos jogos olímpicos. A estreia dela nos jogos aconteceu neste domingo (25), uma data especial para a menina que nunca imaginou chegar tão longe em tão pouco tempo: aos 13 anos, Rayssa conquistou a medalha de prata, tornando-se a mais jovem medalhista olímpica do Brasil.

‘Ainda não tô acreditando não, mas parece que foi grande o negócio’, brinca Rayssa Leal

Tímida e de poucas palavras, Jhulia Rayssa Mendes Leal era mais uma criança que gostava de praticar skate em Imperatriz, no sudoeste do Maranhão, quando seu dom para o esporte apareceu para o mundo, em 2015.

Em um 7 de setembro, aos sete anos de idade, em meio aos colegas, ela insistia em acertar uma manobra conhecida como ‘heelflip’, considerada bem difícil. Após diversas quedas, Rayssa enfim teve êxito e ‘viralizou’ na internet por estar fantasiada de fada azul (veja abaixo).

Leia Também:  Virginia Mendes visita Núcleo da Mulher, Criança, Adolescente e Idoso em Lucas do Rio Verde

Na época, o vídeo chegou a ser visto mais de 4,8 milhões de vezes e compartilhado por mais de 60,6 mil usuários. Até a lenda do skate, Tony Hawk, publicou o vídeo. O americano está no Japão e, desde a última semana, está ‘tietando’ Rayssa e gravando vídeos dos treinos da garota em Tóquio.

G1
COMENTE ABAIXO:
Propaganda

GERAL

Eduardo Bolsonaro está com covid, diz site

Publicados

em

O deputado federal Eduardo Bolsonaro está com covid-19, segundo o site R7. Filho do presidente Jair Bolsonaro, o parlamentar está sem paladar e com coriza.

Ele foi vacinado com a primeira dose da vacina da Pfizer contra o coronavírus há menos de 1 mês. Ao site, ele disse que está bem e se cuidando.

Integrante da comitiva com 18 pessoas que foram ao Assembleia Geral da ONU no início da semana, o deputado disse, em entrevista à Rádio Brado, que o teste deu negativo em Nova York, mas positivou no Brasil. Isso serviu como munição para criticar medidas de prevenção contra a covid, como o passaporte sanitário.

“Em NY [o teste] deu negativo, aqui no Brasil 2 dias depois positivou. O meu caso e do Queiroga são exemplos que descredibilizam o passaporte sanitário. Sinto-me melhor do que ontem e nem te conto o que tomei…”, disse ele.

Todo o grupo que esteve nos Estados Unidos foi colocado em isolamento, por recomendação da Anvisa. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e um outro integrante da comitiva, testaram positivo ainda no início da semana.

Leia Também:  LUTO: Empresário maçom não resiste à covid: 'exemplo de dedicação'

Na live desta quinta-feira (23), Bolsonaro disse que duas pessoas conhecidas foram infectadas com covid, mesmo após a vacinação e, mais uma vez, o presidente usou o fato para desacreditar o poder das vacinas.

“Vou amanhã ligar para elas, para elas divulgarem. Mostrar que vacinas tomaram, para a gente realmente ter um protocolo que funcione”, apontou o chefe do Executivo.

O presidente, que também está isolado, deve realizar um novo teste RT-PCR no fim de semana.

ISTOÉ DINHEIRO

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA