Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

302 ANOS

302 anos de Cuiabá: Prefeitura é parceira da Romaria das Águas e Carreata da Fé

Principais hospitais da cidade, profissionais e assistidos, irão receber benção especial na data também

Publicados

em

A Prefeitura de Cuiabá é parceira de uma das festividades comemorativas do aniversário dos 302 anos da capital, no dia 8 de abril. Em sua 4ª Edição, o evento em celebração ao padroeiro da cidade “Romaria das Águas e Caminhada da Fé. Sob a organização da Arquidiocese de Cuiabá e, do Padre Felisberto Samoel da Cruz, será um evento macro-ecumênico com a participação de todos os segmentos religiosos.

Responsável pelo evento, o Padre Felisberto Samoel da Cruz  explica que a 4ª Celebração pretende fazer da Capital o grande palco de todas as manifestações de fé, em torno do Padroeiro Senhor Bom Jesus. “A proposta é mostrar a unidade inter-religiosa ao padroeiro representando a todos que nele crê. Assim, a capital irá se transformar num lugar sagrado onde seja possível a convivência pacífica entre os povos e credos. A força da fé encontra-se no Senhor Bom Jesus, lugar onde ele escolheu para morar”, declarou.

“Não poderia deixar que a Prefeitura ficasse de fora de um evento grandioso como esse, principalmente nos 302 anos da Capital em que estamos vivenciando esse momento de pandemia que tem gerado muita angustia e preocupação em toda população. Para nós é motivo de grande satisfação em colaborar para manter essa tradição. Precisamos elucidar nossa fé”, disse o prefeito Emanuel Pinheiro.

Leia Também:  Vendas do comércio sobem 6,1% no fim de semana da Black Friday

A concentração será às 14 horas desta quinta-feira (8), na Comunidade de São Gonçalo Beira Rio. Na sequência, terá início a procissão fluvial, saindo do Marco Zero indo até a Marina da Marinha na Avenida Beira Rio, com a condução da imagem do padroeiro de Cuiabá.

Depois da chegada, terá início a caminhada da fé onde os principais hospitais da capital serão visitados em uma benção especial aos profissionais e pacientes internados.

“Quando fomos convidados ficamos muito felizes. Por representar a pasta do Turismo no município, essa celebração vem ao encontro as propostas de trabalho já em andamento que é de transformar a Comunidade de São Gonçalo Beira Rio num potencial turístico da Capital, o que irá fomentar a geração de emprego e renda e nesta oportunidade levar o reconhecimento e acolhimento aos meus colegas profissionais da saúde pelo trabalho hercúleo frente a covid-19”, declarou o secretário municipal de Turismo, Oscarlino Alves.

Programação:

14 horas- Concentração dos barcos na Comunidade de São Gonçalo Beira Rio
15 horas- Saída da Romaria das Águas
16 horas- Chegada no bairro Porto- Marina Beira Rio
16:30- Carreata da Fé

Leia Também:  Justiça decreta indisponibilidade de bens de servidores e empresários

17 horas- Encerramento da carreata na Praça Alencastro

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

GERAL

Nova defesa de mãe do menino Henry insiste em outro depoimento

Publicados

em

A nova defesa de Monique Medeiros, mãe do menino Henry Borel, vem insistindo nos últimos dias para que ela seja ouvida novamente pelos investigadores da Polícia Civil do Rio de Janeiro. Cabe ao delegado Henrique Damasceno, que está à frente do caso, optar pela coleta de um  segundo depoimento. Ainda não foi divulgada nenhuma decisão.

“Dentro do objetivo de atuar com a verdade, a defesa da sra. Monique Medeiros insiste na necessidade da sua nova audição pelo senhor delegado de polícia que preside o inquérito e faz um público apelo, para a referida autoridade policial, neste sentido. Se várias pessoas foram ouvidas novamente, não tem sentido deixar de ouvir Monique. Logo ela que tanto tem a esclarecer. Não crê a defesa que exista algum motivo oculto para ‘calar Monique’ ou não se buscar a verdade por completo”, diz nota divulgada ontem (17) pela defesa da mãe de Henry.

O menino Henry Borel, de 4 anos, morreu no dia 8 de março em um apartamento onde morava com a mãe e o padrasto: o vereador do Rio de Janeiro, Dr. Jairinho. O laudo de necropsia do Instituto Médico-Legal (IML) indicou que a criança sofreu 23 ferimentos pelo corpo e a causa da morte foi “hemorragia interna e laceração hepática”. Ela apresentava lesões hemorrágicas na cabeça, lesões no nariz, hematomas no punho e abdômen, contusões no rim e nos pulmões, além de hemorragia interna e rompimento do fígado.

Leia Também:  Ladrão tenta sacar arma e é morto por PM após roubar picape

Monique e Dr. Jairinho estão presos desde o dia 8 de abril. Eles são investigados por homicídio duplamente qualificado. No mesmo dia da prisão, Dr. Jairinho, que está em seu quinto mandato como vereador, foi expulso do Solidariedade, partido em que estava filiado.

No seu primeiro depoimento Monique disse acreditar que Henry havia se acidentado ao cair da cama. Após o interrogatório, o delegado afirmou que a versão apresentada buscava proteger Dr. Jairinho. No curso das investigações, foram recuperadas mensagens em que a babá de Henry relata à Monique um episódio em que o menino foi vítima de agressão de Dr. Jairinho. A mãe da criança, segundo o delegado, não denunciou o ocorrido na época e omitiu a informação no depoimento.

“Não procurou a polícia, não afastou a vítima do agressor, do convívio de uma criança de 4 anos, filho dela. É bom que se diga que ela tem obrigação legal”, pontuou Henrique Damasceno após o interrogatório.

No início das investigações, a defesa do casal era realizada pela mesma pessoa: o advogado André França Barreto. A mãe do menino Henry, no entanto, decidiu recorrer a outros profissionais no início da semana passada e passou a ser representada por Thiago Minagé, Hugo Novais e Thaise Mattar Assad. Na última quarta-feira (14), eles apresentaram formalmente o pedido para que Monique fosse novamente interrogada e sustentam que ela tem outras informações para relatar.

Leia Também:  Redes sociais ganham força entre senadores na reta final das eleições

Na nota divulgada ontem, os três também buscam chamar atenção para o perfil de Dr. Jairinho. Eles se referem aos depoimentos colhidos de outras mulheres que se relacionaram com o vereador no passado. “A defesa observou, do estudo dos novos elementos do inquérito, que há repetição de um comportamento padrão de violência contra mulheres e crianças. Neste lamentável caso, a diferença foi a morte da criança”, diz o texto.

Após Monique contratar novos advogados, André França Barreto decidiu abandonar a defesa de Dr. Jairinho. O rompimento, segundo nota divulgada, foi consensual e buscou evitar um conflito de interesse já que não seria mais possível representar o casal. Até então, a defesa de Dr. Jairinho vinha reiterando sua inocência. Novos advogados ainda não foram constituídos.

Edição: Claudia Felczak

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA