Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

PROMOÇÃO DA SAÚDE

Ministro defende atividade física como essencial na pandemia

Publicados

em

Participantes de audiência pública promovida pela Comissão do Esporte nesta segunda-feira (5) defenderam que o trabalho do profissional de educação física deve ser considerado essencial, assim como as atividades físicas para a promoção da saúde, especialmente neste período de pandemia da Covid-19.

Michel Jesus/ Câmara dos Deputados
Audiência Pública - O Educador Físico para a Saúde Preventiva e sua Essencialidade. Ministro da Cidadania, Sr. João Roma
João Roma participou da audiência pública desta segunda por vídeo

O ministro da Cidadania, João Roma, afirmou que a atividade física é parte crucial da saúde e do desenvolvimento do sistema imunológico. A Secretaria Especial do Esporte é ligada ao ministério. Respondendo a uma pergunta da deputada Flávia Morais (PDT-GO) sobre a situação das academias de ginástica, que vêm fechando as portas por não conseguirem se manter no cenário de pandemia, João Roma afirmou que há algumas perspectivas.

“Nós temos expectativa de um pacote do Ministério da Economia, assim como no ano passado ocorreu, para dar um certo alívio econômico, tanto na questão da flexibilização do emprego quanto em novos financiamentos, linhas de crédito para algumas atividades específicas.”

Ailton Mendes, presidente da Associação Brasileira de Academias, cobrou uma lei clara que trate da “essencialidade” das academias. Segundo ele, são mais de 30 mil academias no país, e mais de 700 mil profissionais — entre educadores e parte administrativa.

Mendes citou dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) que colocam o Brasil como o quinto país mais sedentário do mundo, o que ele considerou uma segunda pandemia, já que a atividade física pode combater doenças não transmissíveis como pressão alta e diabetes — que, além de tudo, também agravam o quadro da própria Covid. Segundo Ailton Mendes, quando se determina o fechamento de academias e se coloca meio milhão de profissionais de braços cruzados, se retira um exército de pessoas que poderiam estar auxiliando no enfrentamento da pandemia.

Leia Também:  BB lança renegociação de parcelas do Fies em atraso

“Nós somos o único país do mundo que tem um profissional da saúde que ensina atividade física, que é o profissional da educação física. A atividade física sofreu uma visão equivocada de que era só lazer, entretenimento, mas não, ela é um pólo gerador de saúde, ela gera vida, ela salva vida”, disse.

Crime
O presidente da Comissão do Esporte, deputado Felipe Carreras (PSB-PE), afirmou que o gestor que ainda não optou pela abertura das academias está prevaricando.

Michel Jesus/ Câmara dos Deputados
Audiência Pública - O Educador Físico para a Saúde Preventiva e sua Essencialidade. Dep. Felipe Carreras (PSB - PE)
Felipe Carreras, presidente da Comissão do Esporte

“O benefício é muito maior do que o malefício. O governante que não quer enxergar isso ou não tem nenhum conhecimento ou tem raiva de quem pratica atividade física. Ele está indo de encontro à ciência. Está fechando os olhos, está prevaricando e teria que ser penalizado”, defendeu o deputado.

O deputado Joaquim Passarinho (PSD-PA) fez um relato pessoal sobre sua relação com a atividade física e o enfrentamento à Covid. Segundo contou à comissão, ele e a esposa contrataram um profissional para acompanhá-los em treinos ao ar livre durante a pandemia.

“Eu perdi peso, ganhei massa muscular, melhorei minha condição física, minha esposa também. Acabei tendo Covid em janeiro deste ano, quando estive no Pará, e quando voltei para cá, fiquei 14 dias recluso. Passei muito bem, sem nenhum problema, nenhuma sequela, praticamente nada, e devo muito à atividade física que pratiquei de março até agora”, afirmou.

Leia Também:  Colíder comemora 41 anos com obras em infraestrutura, educação e saúde

Cuidados
Hesojy Gley Pereira Vital da Silva, da Câmara Técnica de Medicina do Esporte do Conselho Federal de Medicina, fez uma lista de cuidados para quem quer praticar atividade física.

“Se houver aglomeração no local, deixe para se exercitar em outro momento. Mantenha distância de pessoas de acordo com o exercício, faça adaptações de seu treino em casa e, se possível use máscara durante a atividade física ao ar livre, de acordo com as orientações da autoridade e a distância que você estará das pessoas. Se você faz parte do grupo de risco, espere mais um pouco antes de se exercitar próximo de outras pessoas”, orientou. Segundo o médico, as orientações podem mudar a qualquer momento com as novas descobertas científicas. “Não pratique atividade física se apresentar sintomas, isso precisa ficar bem claro.”

Hesojy também ressaltou que quem já teve Covid, ainda que leve, precisa procurar auxílio médico para retomar as atividades físicas, para prevenir quaisquer riscos.

Incentivo
O presidente da comissão defendeu a aprovação de um projeto de sua autoria (PL 10367/18) que permite a dedução de despesas com nutricionista, profissionais de educação física e com academias de ginástica da base de cálculo do imposto de renda, a exemplo do que ocorre com consultas e procedimentos médicos. Esse projeto está anexado a outro (PL 2866/15) e aguarda análise da Comissão de Finanças e Tributação.

Reportagem – Paula Bittar
Edição – Ana Chalub

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

EXECUTIVO

Educação em MT inaugura nova fase do regime de colaboração

Publicados

em

A educação é parte essencial na vida de todas as pessoas, sejam crianças, jovens ou adultos. Em Mato Grosso e em qualquer lugar do mundo a educação é um dos principais fatores para a formação de cidadãos conscientes e mobilidade social.

É para amparar e dar todo o suporte técnico e financeiro a este movimento que o governador Mauro Mendes apresentou, o “Programa Educação Já, Mato Grosso”, uma série de ações cujos conceitos centrais são o trabalho em regime de colaboração com prefeitos e secretários municipais para elevar a alfabetização e a aprendizagem de qualidade entre os alunos dos dois primeiros anos iniciais do Ensino Fundamental.

Vamos trabalhar em regime de colaboração com o Estado, municípios, escola e sociedade organizada pela qualidade no sistema educacional, pelo regime previsto na Constituição Federal (CF) e no Plano Nacional de Educação (PNE). Com boas práticas educacionais, baseadas em evidências de outros estados e do mundo. Juntos, vamos colocar a educação de Mato Grosso em índice alto de qualidade.

A organização do programa requer estabelecer e definir metas, indicadores e governança que serão monitorados permanentemente para que a alfabetização e todo o ciclo inicial da educação da primeira infância tenham resultados satisfatórios de ensino e aprendizagem dos alunos.

Leia Também:  Eleições 2020: eleitores não podem ser presos a partir de hoje

Uma das premissas centrais do programa baseia-se no fato de que o aluno é do município, independente da rede. E por isso vamos todos juntos fomentar apoio técnico e financeiro necessários para atingir nossos objetivos. E para isso, o governador Mauro Mendes, no lançamento do programa, já deixou claro que haverá recursos públicos suficientes e bem aplicados para investir e prover de infraestrutura física e tecnológica as unidades escolares, graças ao acúmulo de verba pública obtida pela redução de gastos e equilíbrio fiscal rigoroso implantado pela gestão estadual entre 2019 e 2020.

Essa atitude de gestão responsável em todo o governo e, especificamente na educação, permitiu os investimentos para criar as condições adequadas para a melhoria do ambiente humano e de infraestrutura das escolas estaduais.

Mas, sabemos que o sonho de entender e interpretar o mundo pelo conhecimento permitido pela educação de qualidade requer um esforço coletivo. Com participação de pais, mães e responsáveis pela longa caminhada de pessoas desde a primeira infância até à formação profissional adulta.

Leia Também:  Colíder comemora 41 anos com obras em infraestrutura, educação e saúde

Por isso, vamos perseguir nossas convicções, fundamentos, práticas educacionais e planos traçados para melhorar a educação com foco na alfabetização no primeiro e segundo anos do Ensino Fundamental, amparados em um trabalho diário da Seduc e dos municípios.

Queremos colocar a educação de Mato Grosso entre as 5 melhores do Brasil. Para atingir a meta, sabemos claramente que 70% do sucesso da educação é gente. E, paralelo ao programa de alfabetização colaborativa, já temos planos de valorização profissional, formação continuada dos professores e técnicos e a avaliação periódica da qualidade do ensino ofertado aos nossos estudantes de Mato Grosso.

Sabemos dos obstáculos e barreiras, mas, vamos implementar o regime de colaboração entre o Estado e os municípios na alfabetização para alcançar os sonhos do conhecimento advindo com a educação. E permitir no médio e longo prazo os primeiros degraus da escada para a mobilidade social de que muita gente depende em Mato Grosso e no Brasil para a sobrevivência e a felicidade efetiva.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA