Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

INFRAESTRUTURA

Governo dá ordem de serviço para início das obras de ponte e pavimentação na MT-100

Publicados

em

Governo dá ordem de serviço para início das obras de ponte e pavimentação na MT-100

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra), emitiu ordem de serviço para início da obras de construção da ponte de concreto sobre o rio  Tinhoso e da pavimentação de 18 quilômetros da MT-100 entre os municípios de Torixoréu e Pontal do Araguaia, na região Araguaia em Mato Grosso.

A ponte sobre o rio Tinhoso, localizada na MT-100 no município de Pontal do Araguaia, terá 50 metros de extensão. Além da ponte, também serão executadas as obras de encabeçamento das cabeceiras, em uma extensão de 1,93 quilômetro. Serão investidos R$ 4,5 milhões para a realização  dessas melhorias.

Já o asfaltamento será executado do trecho que vai do fim da pavimentação no município de Torixoréu até o início da pavimentação para Pontal do Araguaia. Este trecho é o único que falta ser pavimentado para interligar os municípios por via asfaltada. Serão investidos R$ 19 milhões nessa obra.

Governo dá ordem de serviço para início das obras de ponte e pavimentação na MT-100

De acordo com o secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, Marcelo de Oliveira, as obras são fundamentais para contribuir com o desenvolvimento de toda a região Araguaia, uma vez que a MT-100 é considerada umas das principais rodovias estruturantes no Araguaia e de Mato Grosso.

Leia Também:  Pinheiro relata maior dificuldade para fiscalização após decisão judicial

A rodovia interliga ao menos 10 municípios, entre a região da rodovia federal BR-158 e a da BR-364.  Além disso, permite o escoamento da produção do agronegócio, através da continuidade da MT-100 em direção ao município de Alto Taquari, até a divisa de Mato Grosso do Sul, tornando-se fundamental para o acesso ao Porto de Santos, em São Paulo.

“O retorno das obras de pavimentação e pontes da MT-100, interligando Alto Araguaia e Barra do Garças, é a clara demonstração de que este governo está valorizando toda essa região, que deixa de ser o ‘Vale dos Esquecidos’. A MT-100, como já disse, faz a interligação da BR-158 com o terminal ferroviário em Alto Taquari e também será a grande ligação rodoviária de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e São Paulo”, explicou o secretário.

Ponte sobre o rio Ouro Fino na MT-100 

Além das obras a serem iniciadas, o Governo do Estado está realizando outras melhorias na rodovia. Está em andamento a construção de quatro pontes de concreto na MT-100, sobre o Córrego Pitomba e rio Ouro Fino, em Barra do Garças, além do Córrego Sete Voltas, em Ponte Branca, e o Rio Claro, em Alto Araguaia. Os investimentos somam aproximadamente R$ 10 milhões.

Leia Também:  Sefaz intensifica fiscalização em estabelecimentos de MT que não emitem nota fiscal

Outras obras de infraestrutura também já estão previstas de serem executadas. Um exemplo é a pavimentação de 49,3 quilômetros da MT-100. Será asfaltado um trecho de 29,3 quilômetros entre Araguainha e Ponte Branca, e outros 20 quilômetros do entroncamento da MT-463, em Ponte Branca, até o acesso ao município de Ribeirãozinho. O processo licitatório para contratação dessas obras já está em andamento.

Também está em licitação a realização dos serviços de melhoramento em 45,4 quilômetros da MT-110 no trecho que compreende o entroncamento da MT-461, que dá acesso a Ribeirãozinho, até o entroncamento da MT-466, em Torixoréu.

Ponte sobre o rio Ouro Fino na MT-100 

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

EXECUTIVO

Mais de 800 profissionais da saúde já foram capacitados para identificar e notificar indícios de violência doméstica

Publicados

em

A Secretaria Municipal da Mulher já capacitou cerca de 800 profissionais da área da saúde que atendem mulheres vítimas de violência doméstica. Estão entre os qualificados médicos, psicólogos, odontólogos e enfermeiros. A medida está de acordo com regulamentação da lei nº 13.931/2019, que determina a notificação compulsória às autoridades policias sobre esses casos que envolvem pacientes, em até 24 horas.

De acordo com a secretária da Mulher, Luciana Zamproni, somando o Hospital Municipal de Cuiabá (HMC) e as Unidades Básicas de Saúde (UBS), mais de 400 cirurgiões dentistas foram capacitados e receberam orientações de como preencher o formulário para notificação compulsória.

“Mesmo antes da aprovação da lei, seguindo as determinações do prefeito Emanuel Pinheiro e da primeira-dama Márcia Pinheiro, já nos organizamos para capacitar os esses profissionais. Em parceria com o Conselho Regional de Odontologia, desenvolvemos o projeto Sorriso Protetor para que eles também aprendam a identificar possíveis violências, além de entregarmos o Espaço de Acolhimento da Mulher”, observa.

A secretária relata que, na grande maioria dos casos, as mulheres que chegam nas unidades de saúde com dores de cabeça, dentes quebrados ou hematomas pelo corpo, não falam a real causa. Nesses casos, os profissionais, ao constatar uma possível vítima de violência doméstica, informam à polícia. Os agentes entram em contato com a suposta vítima e se inicia uma investigação para saber os motivos da paciente não ter efetuado uma denúncia.

Leia Também:  Governo divulga dados sigilosos da reforma da Previdência e garante economia de R$ 1,236 trilhão em 10 anos. Confira outras informações na coluna JPM desta quinta-feira(25)

Para Zamproni, a regulamentação da lei ocorre em um dos momentos críticos da história, em que o mundo enfrenta um período de pandemia. Ela explica que, conforme a Lei 10.778/03, a rede de saúde já era obrigada a notificar casos de violência. Porém, com a mudança trazida pela Lei 13.931, os profissionais devem notificar também os indícios. Além disso, foi definido um prazo de até 24 horas, o que antes não existia.

“Muitas vezes entendia como uma notificação compulsória aquela mulher que dava entrada em uma rede hospitalar de urgência e emergência toda machucada. Agora, isso mudou. Não importa se ela está em um posto de saúde ou em um atendimento clinico, qualquer agente da saúde, sejam enfermeiros, psicólogos, dentistas podem notificar e informar a Polícia Militar”, explica.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA