Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

NEGÓCIO

Restaurantes de Cuiabá se reinventam para driblar crise nos dias das Mães

Publicados

em

Mais que especial, assim será a celebração do Dia das Mães no restaurante Serafina em Cuiabá. A casa reforça a data com pratos exclusivos e originalmente italianos e ainda presentes.

Intitulada carinhosamente de “Festa della Mamma” ganha quatro sugestões de cardápio com preços especiais para duas ou quatro pessoas. Entre as opções tem mini carpaccio malatesta como entrada e o prato principal gnocchi. Para quem ama proteína tem a opção de entrada de bruschetta al pomodoro e prato principal salmão assado com risoto siciliano, este prato para 4 pessoas sai por R$ 189,90. Quem preferir as delícias das massas especiais Serafina, pode saborear uma suculenta lasagna ala bolognese com entrada de salada Giuliana. Para dois o combo sai
por R$ 129,90.

O Serafina faz questão de presentear as mães durante o almoço e ainda com descontração. A Casa inova com o estourou, ganhou. “As mães vão ganhar, 10% off, 1 drink ou uma sobremesa ou uma taça de vinho.

O presente é surpresa, dependerá do bônus que estiver dentro do balão, ou seja será desconto ou cortesias.

Leia Também:  Ninguém acerta as seis dezenas e prêmio da Mega-Sena acumula

É o nosso jeito italiano e amoroso de celebrar esta importante data, que não pode deixar de ser celebrada, ainda mais neste momento de pandemia, onde as relações pessoais continuam ainda mais distantes. A vida precisa e merece ser reverenciada”, define Ronaldo Poiatti, gerente Serafina no Centro-Oeste.

Para atender melhor neste final de semana, a casa é beneficiada com o novo decreto do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, que permitiu horário ampliado de funcionamento até às 24 horas neste sábado e domingo.

“Mesmo com a flexibilização de horário no restaurante, vamos priorizar todos os protocolos de biossegurança. A casa reforça as medidas de contenção para evitar a disseminação do novo coronavírus, com distanciamento de mesas, álcool em gel altamente disponível, aferição de temperatura e itens individuais e embalados. Somos cumpridores da lei e preservadores da vida”, finaliza o empresário Amir Maluf.

A casa orienta ainda reservas para garantir a almoço no Dia das Mães.

SERVIÇO:
Serafina: Trevo do Santa Rosa – Cuiabá
Reservas: (65) 9676-8381/ 2129-2660

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ECONOMIA

Produção de aço cresce 20,3% de janeiro a maio

Publicados

em

A produção nacional de aço bruto cresceu 20,3% no acumulado de janeiro a maio, em comparação ao mesmo período do ano passado, totalizando 14,9 milhões de toneladas, a maior produção da série histórica. A produção de laminados nos cinco primeiros meses do ano cresceu 29,7%, em relação ao resultado registrado em igual período de 2020, com 11,1 milhões de toneladas. A produção de semiacabados para vendas somou 3,3 milhões de toneladas de janeiro a maio, um acréscimo de 0,5% na mesma base de comparação. As informações foram divulgadas hoje (17) pelo Instituto Aço Brasil (IABr).

De janeiro a maio, as vendas internas foram de 10 milhões de toneladas, o que representa uma alta de 46,4% quando comparada com o apurado em igual período do ano anterior, disse o presidente executivo da entidade, Marco Polo de Mello Lopes. Já o consumo aparente de produtos siderúrgicos no país foi de 11,5 milhões de toneladas no acumulado até maio, com expansão de 50,7% frente ao mesmo período de 2020.

As importações alcançaram 2 milhões toneladas até maio, aumento de 128,4% em relação ao mesmo período do ano anterior. Em valor, as importações atingiram US$ 1,8 bilhão, crescimento de 92,2% no mesmo período de comparação. Já as exportações somaram 4,3 milhões de toneladas e US$ 3 bilhões de faturamento nos cinco primeiros meses do ano, representando retração de 13,6% e aumento de 20,5%, respectivamente, na comparação com igual período do ano passado.

Produção

Marco Polo informou que em maio deste ano, a produção brasileira de aço bruto alcançou 3,1 milhões de toneladas, um crescimento de 40,1% frente ao apurado no mesmo mês de 2020, constituindo a maior produção mensal desde outubro de 2018. Os resultados foram favoráveis também em relação à produção de laminados e de semiacabados para venda. Foram produzidas 2,4 milhões de toneladas de laminados, 70,9% a mais do que em maio de 2020; já a produção de semiacabados para vendas totalizou 797 mil toneladas, aumento de 26,5% em relação ao mesmo mês do ano passado

Leia Também:  Estados e municípios poderão ter mais prazo para se adequarem à reforma da Previdência

As vendas internas avançaram em maio 73,9% frente ao apurado no mesmo mês de 2020 e atingiram 2,1 milhões de toneladas. O consumo aparente de produtos siderúrgicos foi de 2,5 milhões de toneladas, 83% superior ao apurado em maio de 2020.

As exportações em maio foram de 746 mil toneladas, o equivalente a US$ 636 milhões. Os números mostram queda de 12,2% em quantidade e aumento de 50,8% em valor, na comparação com o mesmo mês de 2020. Nas importações de maio, o IABr apurou 550 mil toneladas em quantidade e US$ 488 milhões em valor, o que representou alta de 267,7% e 195,3%, respectivamente, em relação ao registrado em maio de 2020.

Marco Polo disse que “os dados mostram que a indústria brasileira do aço está produzindo e colocando no mercado interno mais aço do que vinha sendo demandado antes da pandemia”. Segundo o executivo, a demanda atual pode ser explicada pela retomada dos principais setores consumidores e, também, pela formação de estoques defensivos de alguns segmentos que querem se proteger de cenário de volatilidade do mercado. “Volatilidade esta provocada pelo movimento mundial de boom nos preços das commodities. Quase todos os insumos e matérias primas, em especial minério de ferro e sucata, continuam com significativa elevação de preços, causando forte impacto nos custos de produção da indústria do aço”, disse o presidente executivo do IABr.

Leia Também:  Petrobras registra lucro líquido contábil de R$ 4 bilhões

O executivo disse que não há qualquer situação de excepcionalidade no mercado doméstico de aço. “O fornecimento está normalizado e as empresas siderúrgicas estão em ritmo de produção superior àquele verificado no período anterior ao início da pandemia da covid no país”.

Confiança

O instituto divulgou também hoje (17) o Indicador de Confiança da Indústria do Aço (Icia), referente ao mês de junho. O indicador recuou 7,3 pontos frente ao mês de maio, para 63,8 pontos, após dois meses de crescimento.

De acordo com o IABr, a redução da confiança dos executivos da indústria do aço ocorreu, exclusivamente, pela piora das expectativas para os próximos seis meses. Ainda assim, o indicador se mantém 13,8 pontos acima da linha divisória de confiança de 50 pontos e 2,6 pontos acima da média histórica do indicador, de 61,2 pontos.

Valores acima de 50 pontos indicam confiança, enquanto valores abaixo de 50 pontos apontam falta de confiança.

Edição: Fernando Fraga

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA