Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

VALOR

Petrobras fechou 2020 com lucro líquido de R$7,1 bilhões

Publicados

em

A Petrobras apresentou  relatório com resultado financeiro do quarto trimestre do ano passado. A estatal obteve lucro líquido de R$59,9 bilhões. As cifras apontam uma superação das dificuldades registradas nos primeiros nove meses de 2020, quando a estatal foi deficitária devido aos impactos da pandemia de covid-19. No consolidado do ano, o lucro foi de R$7,1 bilhões.

Trata-se de um valor bem inferior ao de 2019, quando a Petrobras fechou com o melhor desempenho de sua história um lucro de R$40,1 bilhões. Dessa forma, o novo balanço revela uma queda de 82,3% no resultado financeiro de 2020.

“Conseguimos vencer um ambiente extremamente desafiador causado pela pandemia e por um forte choque negativo sobre a indústria de petróleo em termos globais”, avaliou o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, em coletiva de imprensa para apresentar o relatório.

Na última sexta-feira (19), a substituição de Castello Branco foi comunicada publicamente pelo presidente Jairo Bolsonaro, que indicou o general Joaquim Silva e Luna para assumir o cargo máximo da estatal. O anúncio causou queda nas ações da companhia.

Leia Também:  Caixa Economica anuncia antecipação do saque-aniversário do FGTS

Castello Branco não comentou a situação. Ele avaliou que a Petrobras está caminhando para sair da crise melhor do que entrou. “Nosso fluxo de caixa livre foi o maior entre todas as empresas de Petróleo. Fomos também a única grande companhia do setor a reduzir a dívida”. Segundo a estatal, a dívida total foi reduzida de US$ 87,1 bilhões no fechamento de 2019 para US$ 75,5 bilhões no fechamento de 2020.

O presidente da Petrobras também destacou os resultados da estratégia de desinvestimento em curso desde o início de 2019. Segundo a estatal, o objetivo é realocar recursos de ativos de baixo retorno para ativos de alto retorno, além de reduzir a dívida e o risco. Entre ativos que já foram vendidos, estão as subsidiárias TAG e BR Distribuidora e diversos campos de petróleo.

Atualmente, há cerca de 50 ativos à venda em diferentes estágios. Cinco refinarias, a Petrobras Gás S.A. (Gaspetro) e vários campos maduros de petróleo já estão na etapa final de assinatura dos contratos. “Isso não significa desmonte nenhum. Recebemos cerca de US$ 18 bilhões até agora”, disse Castello Branco.

Leia Também:  Entrada de dólares supera saída em US$ 334 milhões em outubro

Lucro operacional

O relatório também registra o valor de R$ 143 bilhões de Ebitda, que é o lucro operacional excluindo-se os juros, impostos, depreciação e amortização. Trata-se de um crescimento de 11% na comparação com 2019. Esse desempenho, segundo a estatal, foi alcançado graças às iniciativas adotadas no início da pandemia que aumentaram eficiência tais como aumento das exportações, redução de gastos administrativos e ganhos pela exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS/COFINS.

Com base no resultado de 2020, a Petrobras prevê a remuneração aos acionistas sob a forma de dividendos no valor de R$ 10,3 bilhões. O montante equivale a R$0,78 por ação ordinária e preferencial em circulação. O pagamento está agendado para o dia 29 de abril de 2021.

Edição: Claudia Felczak

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ECONOMIA

Setor energético terá investimentos de R$ 3 tri até 2030, diz ministro

Publicados

em

O setor energético brasileiro terá investimentos de R$ 3 trilhões até 2030, diz o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, entrevistado deste domingo (18) no programa Brasil em Pauta, da TV Brasil. Na entrevista, o ministro fala sobre a diversidade da matriz energética no Brasil, a produção de petróleo e gás, a mineração e a capitalização da Eletrobras, entre outros assuntos.

“O maior investimento realizado no país tem sido no setor de energia, seja no setor de petróleo, gás e biocombustíveis, seja no setor elétrico. São investimentos bilionários – nos próximos dez anos, devemos ter investimentos da ordem de R$ 3 trilhões, e isso tem ocorrido ano a ano”, afirma o ministro. “Investimentos estão sendo feitos de centenas de bilhões de reais nos últimos dois anos, e teremos aí mais outros R$ 2,5 trilhões até 2030.”

De acordo com Bento Albuquerque, esses investimentos ocorrem porque o Brasil tem atratividade, diversidade de fontes de energia e segurança jurídica e regulatória. “Isso é extremamente importante para atrair investimentos privados.”

O ministro destaca outro fator importante, que é a retomada dos leilões no país: em 2021 serão seis leilões só de energia elétrica, de petróleo e de gás. “É importante dar previsibilidade para o mercado.”

Leia Também:  Entrada de dólares supera saída em US$ 334 milhões em outubro

Energia renovável

Na entrevista, o ministro ressalta ainda que o Brasil é uma referência no mercado internacional de energia, reconhecido pelas Nações Unidas. “O Brasil foi convidado, por exemplo, para liderar um grupo de países na transição energética, e nós vamos apresentar o nosso trabalho na Assembleia Geral das Nações Unidas em setembro. Então, o Brasil é uma referência no mundo, e a energia é estratégica para qualquer país, ainda mais no momento em que o mundo vive uma transição energética para uma economia de baixo carbono.”

Segundo Bento Albuquerque, 83% da energia brasileira é renovável e, se for considerada a energia limpa, o índice sobe para 85%. No mundo, a média dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) é 25%.

Mineração

Sobre a exploração das riquezas minerais do país, atualmente em 0,7%, o ministro considera é pequeno o percentual frente ao potencial que o Brasil tem. “Nós temos mais de 80 variedades de minerais na pauta de exportações. Por exemplo, o minério de ferro é o segundo item [da pauta de exportações], só sendo superado pelo agronegócio. O petróleo é o terceiro. A mineração traz muito investimentos para o Brasil”, enfatiza.

Leia Também:  Projeto do Senai vai qualificar trabalhadores para a indústria 4.0

Para Bento Albuquerque, o importante é que o país tenha programas de incentivo à mineração, e isso está sendo construído com a indústria e com o Congresso Nacional. “Investimentos vultosos também estão ocorrendo [na mineração]. Cerca de US$ 40 bilhões serão investidos nos próximos quatro anos. Ano passado também batemos recorde de exportação em minério de ferro, ouro e outros minerais”, destaca.

Edição: Nádia Franco

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA