Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

BASTIDORES DO PODER

“Brasil está no caminho certo”, diz Bolsonaro ao comemorar 18 meses de combate à corrupção

Publicados

em

Sem mácula

O presidente Jair Bolsonaro voltou a chamar atenção nas redes sociais nesse fim de semana. E não foi por uma nova polêmica. Bolsonaro comemorou os 18 meses de combate à corrupção no governo e foi aplaudido por seguidores e políticos. Também lamentou o número de mortes provocado pela Covid-19. “Apesar da pandemia e do lamentável número de mortos, o Brasil está no caminho certo”, disse o presidente.

Do contra

Quem não curtiu a animação do presidente Bolsonaro quanto ao combate à corrupção foi o ex-ministro Sérgio Moro. Em entrevista ao jornal britânico Financial Times, o ex-ministro da Justiça afirmou que o governo de Jair Bolsonaro utilizou-se de sua presença dentro da equipe ministerial como desculpa para demonstrar que medidas anticorrupação estariam sendo tomadas dentro do governo. À publicação, Moro deixa claro, no entanto, que pouco foi feito pelo governo nesta direção. A agenda voltada ao combate à corrupção, segundo ele, vem sofrendo reveses desde a eleição de Bolsonaro, em 2018.

Sem Covid

Quando o presidente Jair Bolsonaro disse, lá atrás, que se pegasse Covid-19 seria como uma gripezinha, ele estava certo. Se curou com facilidade e já está de volta ao trabalho. Na manhã desta segunda-feira (27) ele retomou a rotina no Palácio do Planalto, após anunciar no sábado (25) ter se recuperado da Covid-19. Bolsonaro foi diagnosticado com Covid-19 no dia de 7 julho e por quase três semanas trabalhou na residência oficial do Palácio da Alvorada, onde mora com a família.

Leia Também:  Deputado Rodrigo Maia espera que Congresso analise vetos à lei do saneamento básico

Pressa estratégica

O fim de semana foi de trabalho para o ministro da Economia, Paulo Guedes. Ele deve antecipar o envio das novas propostas do governo para a reforma tributária como forma de bancar a desoneração da folha de pagamento e financiar o programa Renda Brasil l. Segundo assessores de Guedes, agora, a ideia é enviar de uma só vez um conjunto de medidas que dependam uma da outra. Antes, a previsão do governo era enviar as sugestões ao Congresso em etapas. Tudo seria enviado ao Congresso até o dia 15 de agosto.

PF de olho

Como eu disse na semana passada, a PF não iria descansar. Autorizada pela STF tirou gente graúda da cama nessa manhã. Realizou buscas na casa do governador do Piauí, Wellington Dias (PT) e da primeira-dama do estado, ex-secretária estadual de educação e hoje deputada federal, Rejane Dias (PT), na manhã desta segunda-feira (27). O gabinete da deputada, em Brasília, também foi alvo de buscas. Esta é a terceira etapa da Operação Topique e Rejane Dias, segundo a PF, é o alvo das buscas na investigação de um suposto esquema criminoso para fraudar licitações de transporte escolar.

Sem refresco

O ministro Alexandre de Moraes, do STF atendeu, em 24 horas, pedido protocolado pela deputada federal Perpetua Almeida, do PCdoB, para que seja investigado eventual envolvimento do presidente Jair Bolsonaro ou de seus familiares com os titulares das contas digitais censuradas e bloqueadas por decisão do próprio ministro. Ao todo são 35 contas do Facebook, 14 paginas, um grupo e 38 contas do Instagram que foram suspensas pela censura imposta na decisão monocrática de Alexandre de Moraes. O ministro encaminhou o pedido à PGR, para que se manifeste. Pelo que se vê, a oposição não vai dar refresco a Bolsonarto.

Leia Também:  OPINIÃO DO DIA: Márcia Pinheiro, o presente tem futuro!!!

Gentileza gera gentileza

Futuro presidente do Supremo Tribunal Federal, o ministro Luiz Fux tem como prioridade definir uma pauta da retomada imediata da economia pós-pandemia. Ele já revelou que vai pessoalmente ao Palácio do Planalto para entregar ao presidente Jair Bolsonaro o convite para sua posse, no dia 10 de setembro. Será mais uma oportunidade para os poderes encontrarem o fiel da balança e a consequente harmonia. Afinal, gentileza gera gentileza.

Gás total

A Justiça de Mato Grosso retoma nesta segunda-feira (27) o atendimento presencial em 26 cidades do estado que têm risco baixo de contaminação de coronavírus (Covid-19). O chamado Plano de Retorno Programado às Atividades Presenciais (PRPAP) foi autorizado pelo presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha. É claro que a determinação observa e segue os protocolos de prevenção recomendados pela OMS.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

COLUNA JPM

Bolsonaro lamenta marca de quase cem mil mortes pela Covid-19 e convoca sociedade a tocar em frente

Publicados

em

Por

TOCANDO EM FRENTE

O presidente Jair Bolsonaro disse, em transmissão pelas redes sociais, lamentar as mortes por Covid-19 no país, que devem chegar em breve a 100 mil, mas disse que é preciso tocar a vida e buscar formas de superar o novo coronavírus. “A gente lamenta todas as mortes, está chegando ao número 100 mil… mas vamos tocar a vida e buscar uma maneira de se safar desse problema”, disse Bolsonaro.

EFEITO COVID

Os efeitos da pandemia do novo coronavírus na economia foi mais drástico do que o previsto. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o Brasil encerrou o segundo trimestre com a maior taxa de desemprego em três anos e redução recorde no número de pessoas ocupadas, como consequência das medidas de contenção da pandemia de coronavírus.

ABENÇOADOS

Por outro lado, cerca de 10 milhões de trabalhadores que conseguiram manter os seus empregos retornaram ao trabalho após afastamento por causa da covid-19. De 12 a 18 de julho, estavam nessa condição 6,2 milhões (7,5% da população ocupada). O número de afastados caiu pela oitava semana seguida. Entre essas pessoas, 8,2 milhões (ou 11,3%) trabalhavam remotamente.

BEM NA PRAÇA

O presidente Jair Bolsonaro continua em alta com policiais militares. Uma pesquisa inédita divulgada pelo UOL mostra que parte considerável dos policiais brasileiros usa as redes sociais para interagir com páginas e grupos bolsonaristas. De acordo com o estudo feito pelo FBSP (Fórum Brasileiro de Segurança Pública) em parceria com a empresa de inteligência de dados Decode cerca de 41% dos praças da PM no país são bolsonaristas roxos.

Leia Também:  Bolsonaro se irrita com aliados, ameaça com troca de líderes e abre mais uma porta ao Centrão

BEM NA PRAÇA (2)

Por falar em bem na praça, se a eleição presidencial fosse hoje, o presidente Jair Bolsonaro seria reeleito com 38%, Fernando Haddad teria 14% dos votos, Sérgio Moro ficaria com pífios 10% e Ciro ficaria estacionado nos 6% de intenções de votos que sempre teve. Na pesquisa também aparecem com menos de 5% Henrique Mandetta e João Doria. Pela pesquisa, Bolsonaro lideraria isolado a intenção de votos para o 1º turno da disputa ao Planalto, em 2022. A pesquisa é do PoderData e foi coletada de 3 a 5 de agosto.

GESTO HUMANITÁRIO

Ao que tudo indica o presidente Bolsonaro também vai estar de bem com a comunidade libanesa no Brasil, que é a maior do mundo fora do Líbano. Em contato com a Embaixada do Líbano no Brasil e com a comunidade libanesa em São Paulo, Jair Bolsonaro identificou as necessidades no país e prometeu ajuda financeira. “O Brasil vai fazer mais que um gesto, algo concreto, para atender em parte aquelas pessoas que estão numa situação complicada”, declarou. Foi um gesto humanitário, acima de tudo.

Leia Também:  Bolsonaro cancela compromisso em Israel e antecipa retorno a Brasília. Confira outras informações na coluna JPM

ACERTIVO

O presidente Jair Bolsonaro deu um importante passo ao assinar a MP que abre crédito extraordinário de cerca de R$ 2 bilhões para viabilizar a produção e aquisição da vacina contra a covid-19. Ao menos, Bolsonaro evitou polêmica ao rejeitar a vacina russa e recomendar a compra da que está sendo desenvolvida pelo laboratório AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Oxford. Com isso, caso a eficácia do imunobiológico seja comprovada, o Brasil deverá produzir 100 milhões de doses.

BLINDAGEM

Assessores próximos ao presidente Jair BoIsonaro (sem partido) e a cúpula do governo no Palácio do Planalto estão tentando traçar uma estratégia para blindar o presidente sobre a revelação feita nesta sexta-feira (7) de que o ex-assessor de Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz, depositou R$ 72 mil na conta da primeira-dama, Michelle Bolsonaro. Mesmo com o presidente não tendo relação direta com as atitudes do filho, os fatos poderão respingar na imagem do Planalto. Canja de galinha de galinha e precaução não faz mal a ninguém, não é mesmo?

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA