Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

CARROS E MOTOS

Yamaha Super Ténéré 1200 sai de linha no mercado europeu

Publicados

em


source
Yamaha Super Tenéré 1200
Divulgação

Yamaha Super Tenéré 1200 deixa de ser oferecida por causa das novas leis de emissão de poluentes que passam a entrar em vigor na Europa


A chegada do padrão de emissões Euro 5 para motos, que entra em vigor a partir de janeiro de 2021 na Europa e torna ainda mais rigorosas as normais para esse tipo de veículo, fez uma vítima entre os modelos da Yamaha. Lançada em 2010 no mercado internacional, a big trail Super Ténéré 1200 já não aparece na linha 2021 da marca japonesa para o mercado europeu.


No Brasil, o modelo ainda aparece no site da marca e tem preço de tabela de R$ 71.290. Por aqui, a Super Ténéré 1200 está disponível apenas na versão DX ABS, que traz um motor bicilíndrico de 1.199 cm² de refrigeração líquida, capaz de desenvolver 112 cv a 7.250 rpm  e 11,9 kgfm a 6.000 rpm.

Leia Também:  Mitsubishi Eclipse Cross fica menos polêmico na linha 2022

Em sua lista de equipamentos, o modelo traz suspensão traseira com controle eletrônico, painel digital, controle eletrônico de tração, seletor de modos de pilotagem com duas opções de ajuste e controlador automático de velocidade de cruzeiro. Especificações que fazem com que a moto big trail da Yamaha  dispute o mesmo público e a mesma faixa de mercado de modelos como a BMW R 1250 GS e Triumph Tiger 1.200 XCx .


Mas embora seja bem equipada, o modelo da marca japonesa já está um tanto desatualizado em relação aos concorrentes. Tanto a big trail da empresa alemã quanto o da marca britânica, apesar de serem um pouco mais caras, são bem mais potentes (136 cv e 141 cv, respectivamente) e trazem um pacote tecnológico mais atual, marcado pela presença de itens como faróis de LED e painel digital configurável, que permite a conexão da moto com o celular do piloto.

O destino da Super Ténéré 1200 brasileira — que é feita em Manaus (AM) — ainda não está definido, embora deva durar mais um tempo no mercado. O Promot 5, novo conjunto de regras de controle de emissões para motos que será equivalente ao Euro 5, entra em vigor no mercado brasileiro apenas a partir de 2023.

Leia Também:  Mercado reduz estimativa de crescimento da economia para 0,85%
Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

CARROS E MOTOS

Chevrolet completa 96 anos de Brasil com 17 milhões de carros produzidos

Publicados

em


source
Nova geração do Chevrolet Tracker é um dos modelos montados na fábrica de São Caetano do Sul (SP)
Divulgação

Nova geração do Chevrolet Tracker é um dos modelos montados na fábrica de São Caetano do Sul (SP)

Você viu?

A Chevrolet completa 96 anos de presença entre os fabricantes brasileiros de automóveis. Segunda a montar uma fábrica no Brasil — sendo precedida apenas pela Ford — a marca da gravata douradas atingiu em quase um século a marca de 17 milhões de automóveis produzidos por aqui.

O dia 26 de janeiro de 1925 marcou o registro oficial da filial brasileira da General Motors , que no mesmo ano inaugurou a linha de montagem em um galpão na Avenida Presidente Wilson, na capital paulista. Dois anos, após a montagem do primeiro Chevrolet no Brasil, quando já haviam sido montados 50 mil carros, a empresa iniciou a construção da fábrica de São Caetano do Sul (SP), que até hoje é uma das principais plantas industriais da companhia no Brasil.

Leia Também:  Microsoft investe na General Motors para desenvolver carros autônomos

Nas primeiras décadas, a fábrica localizada no ABC Paulista montava os carros vindos dos Estados Unidos e também produzia carrocerias para ônibus, que seriam montadas sobre os chassis importados. Ao mesmo tempo, trabalhava na nacionalização de alguns componentes.

Mas o primeiro Chevrolet nacional , um caminhão, foi fabricado apenas em 1957. Modelo que no ano seguinte iria ganhar um motor brasileiro, fundido, forjado e usinado na então nova fábrica de São José dos Campos (SP).

Em 1968, foi a vez de General Motors do Brasil fabricar o seu primeiro carro de passeio no Brasil. O Chevrolet Opala unia a carroceria do alemão Opel Rekord C com os motores usados na linha americana da Chevrolet. No ano seguinte, a filial local atingiu a marca de 500 mil carros produzidos.

Nas décadas seguintes, a General Motors do Brasil seguiu a tendência lançada com o Opala e se inspirou nos modelos da alemã Opel para renovar a linha de produtos Chevrolet de passeio.

Foi assim que surgiram modelos como o Chevette , Kadett e Monza , que seguiram em produção até os anos 1990, sendo sucedidos pelos novos Corsa, Vectra, Astra e Omega, Meriva e Zafira, todos também projetos originalmente da Opel.

Leia Também:  Precarização da mulher no mercado de trabalho aumenta no primeiro trimestre

A partir de 2012, com o lançamento do Cobalt, os Chevrolet brasileiros de passeio passaram a serem produtos independentes, desenvolvidos com grande participação da engenharia local e voltados para mercados em desenvolvimento.

A nova filosofia deu origem também aos modelos Spin, Prisma e Onix , hatch que atualmente está em sua 2ª geração e é o modelo mais vendido do Brasil.

A General Motors conta com três fábricas de carro no Brasil: São José dos Campos (SP), São Caetano do Sul (SP) e Gravataí (RS), além de fábricas de componentes em Mogi das Cruzes (SP) e Joinville (SC). Atualmente, são fabricados por aqui os Chevrolet S10, Trailblazer, Joy, Joy Plus, Onix, Onix Plus, Tracker e Spin.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA