Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

CARROS E MOTOS

Confira cinco dicas para reduzir o consumo de combustível

Publicados

em


source
consumo de combustível
Divulgação

Eficiência energética está na ordem do dia, mas ainda existem alguns modelos com consumo acima do ideal


Embora tecnologias como os motores turbo de baixa cilindrada e os pneus de baixa resistência à rodagem tenham contribuído para reduzir o consumo de combustível nos carros atuais, boa parte do trabalho de tornar o veículo mais ou menos eficiente ainda depende da maneira como o proprietário cuida e guia o veículo.


Por este motivo, a reportagem do iG Carros foi atrás de algumas dicas do Cesvi Brasil (Centro de Experimentação e Segurança Viária), que se seguidas à risca certamente vão resultar em economia de combustível . A lista inclui desde orientações de manutenção até a forma mais eficiente para se guiar.

1 – Elimine o peso extra

No desenvolvimento de um novo modelo de carro, as montadoras dedicam parte dos seus esforços para reduzir o peso do conjunto. O objetivo disso é simples: quanto menos peso o motor precisa “carregar”, menos esforço vai fazer e menos combustível vai gastar.

Leia Também:  Cinco versões do Ford Fiesta que não tivemos no Brasil

Por essa razão, nunca carregue objetos desnecessários no interior do veículo ou no porta-malas. Muitas vezes, você pode estar carregando um passageiro extra em peso morto sem que tenha se dado conta disso.

2 – Nada de banguela

Diferente do que se imagina, guiar um carro com injeção eletrônica na banguela não ajuda a economizar combustível, além de comprometer a segurança pela perda do efeito freio-motor.

A maneira mais eficiente de guiar em declives é tirar o pé do acelerador e manter o carro engrenado. Nessa condição, o sistema de injeção reconhece a descida e interrompe automaticamente a injeção de combustível.

3 – Direção tranquila

Para reduzir o consumo de combustível, um ponto fundamental é não forçar o veículo de maneira desnecessária. Evite acelerações bruscas ou rodar por muito tempo com o motor em rotação muito alta.

Em caso de dúvida, o manual do proprietário pode ajudar a esclarecer qual é a marcha recomendada para cada velocidade desenvolvida.

4 – Termostática

Componente responsável por controlar a circulação de líquido no sistema de arrefecimento, a válvula termostática pode travar na posição “aberta”, permitindo que o motor trabalhe muito frio e fazendo com que a injeção envie mais combustível para o sistema.

Leia Também:  Chevrolet Onix Plus Midnight aposta no estilo para conquistar

Nos carros equipados com o medidor, uma maneira fácil de identificar uma termostática defeituosa é observar se a temperatura oscila demais ou fica muito baixa ao se rodar em uma estrada. O ideal é que o líquido de arrefecimento esteja sempre por volta de 90° C com o motor quente.

5 – Manutenção

A manutenção geral do veículo é importantíssima para garantir o seu melhor rendimento. Componentes como velas , cabos e catalizador com problemas podem comprometer bastante funcionamento correto do motor.

O mesmo vale para pneus descalibrados, suspensão desgastada e a direção desalinhada. Situações que acarretam em um consumo maior de combustível .

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

CARROS E MOTOS

BMW 320i M Sport: um sedã premium de bom gosto

Publicados

em


source
BMW 320i M Sport traz pacote esportivo inspirado na 'BMW Motorsport', o que inclui as rodas de aro 19 diamantadas
Divulgação

BMW 320i M Sport traz pacote esportivo inspirado na ‘BMW Motorsport’, o que inclui as rodas de aro 19 diamantadas

O BMW Série 3 é um carro fora da curva. Enquanto as rivais do ‘trio de ferro alemão’ focam nos SUVs como modelos de volume, o sedã premium é o carro mais vendido da marca bávara no Brasil –  muito à frente de seu utilitário de maior destaque, o BMW X1.

Isso fica bem evidente no fechamento das vendas do primeiro semestre de 2021. Segundo a Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), a BMW emplacou 2.983 unidades do Série 3 nos seis primeiros meses deste ano. Isso coloca o sedã de luxo na posição de veículo premium mais vendido do Brasil. Já o X1 teve apenas 1.459 unidades emplacadas neste período.

Produzido em Araquari (SC), o BMW Série 3 pode ser adquirido nas versões 320i GP (R$ 267.950), 320i Sport GP (R$ 284.950), 320i M Sport (R$ 299.950), 330e M Sport (R$ 354.950) e M340i xDrive (R$ 542.950). Os três pacotes mais em conta são responsáveis pela maior parte do volume das vendas do sedã no Brasil.

Para nosso contato com o sedã, a BMW emprestou a versão 320i M Sport , com rodas diamantadas aro 19 de cinco raios, revestimento interno na tonalidade marrom-conhaque e acabamento do painel em imitação de alumínio. Um verdadeiro charme! Afinal, não basta ter dinheiro para comprar um 320i. O bom gosto também é necessário.

Equipamentos

O pacote de segurança traz seis airbags (frontais, laterais e cortina), assistente de permanência em faixa, alerta de tráfego cruzado, sistema de frenagem de emergência, assistente de partida em rampa, alerta de colisão frontal e controle de estabilidade e tração.

Leia Também:  8 dicas para puxar papo com o crush!

Na parte de conforto, a versão tem ar-condicionado digital de três zonas (motorista, passageiro e banco traseiro), assentos dianteiros com regulagens elétricas, controle automático de velocidade, assistente de estacionamento semiautomático, chave presencial com sistema start-stop e teto-solar.

A central multimídia tem conexão sem fio para celulares. Dessa forma, o motorista não precisará plugar o cabo para replicar aplicativos como Waze, Spotify e Whatsapp na tela de nove polegadas. Apesar de ser um recurso interessante, a conexão sem fio dá algumas ‘engasgadas’, interrompendo músicas por alguns segundos.

O Série 3 tem espaço suficiente para levar quatro adultos e uma criança com conforto. O túnel central é alto por conta do eixo cardã que transfere a força às rodas traseiras. Logo, sentar ao centro do banco traseiro pode não ser tão aconchegante, dependendo da altura do passageiro.

Apesar de estar maior nessa geração – com 4,70 m de comprimento, 1,82 m de largura e 2,85 m de entre-eixos –  o 320i M Sport está longe de ser desengonçado. O diâmetro de giro é de apenas 11,4 metros, proporcionando manobras precisas e pouco esforço para estacionar, mesmo nas vagas mais apertadas.

O porta-malas é o grande pênalti deste belo sedã catarinense com sotaque alemão. Ele tem apenas 365 litros, graças ao estepe que rouba espaço. A alça no estilo ‘pescoço de ganso’ também não é a melhor alternativa para otimizar a área útil do compartimento.

Você viu?

Sedã bom de guiar

É realmente uma pena. Com mais espaço no porta-malas, o BMW 320i M Sport seria o carro ideal para viajar. Abaixo do capô, a BMW instalou o motor 2.0 turbo de 184 cv de potência e 30,6 kgfm de torque, com câmbio automático de oito marchas, que transmite sua força apenas às rodas traseiras.

Este é o ponto em que o modelo se destaca dos rivais: a dirigibilidade. Por conta da tração traseira, o BMW 320i tem melhor transferência de peso durante as acelerações e um estilo de condução mais direto.

BMW 320i M Sport traz a melhor sensação ao volante da categoria, justificada pela tração traseira
Divulgação

BMW 320i M Sport traz a melhor sensação ao volante da categoria, justificada pela tração traseira

Modelos de tração traseira também possuem maior capacidade de reboque e são melhores encarando aclives. O ótimo raio de giro que mencionamos anteriormente também é uma característica que se deve a este tipo de tração.

Leia Também:  Chevrolet Onix Plus Midnight aposta no estilo para conquistar

O BMW 320i M Sport é um daqueles carros que poderia passar horas guiando sem me cansar. A posição de dirigir é ótima, com o assento do motorista posicionado mais baixo, deixando o condutor próximo do centro de gravidade. Na comparação com os sedãs da Mercedes-Benz e Audi, o volante é pesado na medida certa.

Segundo a BMW, o 320i pode acelerar de 0 a 100 km/h em 7,2 segundos, com velocidade máxima de 240 km/h. O consumo de combustível, de acordo com o Inmetro, é de 11,1 km/l na cidade e 12,5 km/l na estrada, sempre com gasolina.

A suspensão é bem calibrada para o nosso asfalto judiado. O 320i tem bom balanço vertical, filtrando a maioria das imperfeições. Em curvas mais rápidas, a suspensão traseira no arranjo multibraço contém a rolagem da carroceria, garantindo mais estabilidade ao sedã.

Conclusão

O BMW 320i M Sport mereceria ‘nota 10’, se não fosse pelo pouco espaço do porta-malas. Pneus run-flat fariam mais sentido, uma vez que abdicam da necessidade do estepe, que é um item obrigatório por lei no Brasil.

Estamos falando de um sedã imponente, gostoso de dirigir e prático, do jeito que só os alemães conseguem desenvolver. A liderança absoluta do segmento premium é merecida, e não há sinais de que o Série 3 possa perder este posto nos próximos anos.

Ficha técnica: 320i M Sport Preço: R$ 299.950 Motor: 2.0, turbo, gasolina Potência: 184 cv Torque:  30,6 kgfm Transmissão: automática, oito velocidades, tração traseira Suspensão: McPherson (dianteira), multibraço (traseira) Freios: discos ventilados (dianteira e traseira) Proporções: 4,70 m de comprimento, 1,82 m de largura e 2,85 m de entre-eixos Porta-malas: 360 litros 0 a 100 km/h: 7,2 segundos Velocidade máxima: 240 km/h Consumo: 11,1 km/l na cidade; 12,5 km/l na estrada (Inmetro)

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA