Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

Capa

Inovações em genética são apresentadas na inauguração do AgriHub Space em MT

Publicados

em

Nesta quarta-feira (4), foi inaugurado na capital matogrossense, Cuiabá, o AgriHub Space. O espaço funcionará como uma incubadora de startups e será um ponto de conexão entre empresas, produtores rurais, pesquisadores, investidores e o ecossistema agrícola e de inovação. A iniciativa da LM Ventures e Sistema Famato tem como uma das empresas parceiras a Tropical Melhoramento e Genética (TMG), junto com Amaggi, Agro Amazônia/Sumitomo Corporation, Bayer e Rede de Fazendas Alfa. Na inauguração, o presidente da TMG, Francisco Soares Neto, mostrou aos participantes do evento as principais áreas de inovação da TMG que permitem o lançamento de produtos mais produtivos e abre possibilidades para o desenvolvimento de soluções genéticas importantes no Brasil, em países da América Latina e nos Estados Unidos.

       Francisco Soares Neto destacou que o propósito da companhia ao ser uma das idealizadoras do AgriHub Space é o de participar do ecossistema de inovação para aprender e interagir com o setor. “A TMG pode atuar tanto como uma empresa que busca em startups soluções para a melhoria de processos internos, novas oportunidades de produtos, negócios e inovações disruptivas, mas também como uma empresa que pode oferecer inovação para o mercado”, colocou.

Leia Também:  Caixa anuncia redução de juros do crédito imobiliário

O presidente acrescentou ainda que a inovação está presente na TMG desde o início de sua história e que faz parte da cultura da empresa buscar soluções genéticas que transformem o trabalho e os resultados do produtor rural. “Certamente teremos novas oportunidades de desenvolver e ampliar ganhos para a agricultura e por isso acreditamos na iniciativa, pontuou.

            A inovação em traits nativos é um dos exemplos consagrados da empresa brasileira que trouxe aos agricultores a possibilidade de aumentar a produtividade em áreas que sofrem com a presença do nematoide de cisto, de conviver com a ferrugem asiática da soja ao utilizar a Tecnologia Inox e também de combater a principal doença do algodão, a ramulária, através de tecnologia inédita no mundo, a RX. “Trouxemos exclusividade na soja e no algodão para problemas que tiravam o sono do produtor, hoje temos patente da nossa inovação e isso nos anima ainda mais a continuar com esse trabalho que é diferenciado”, explicou o presidente.

            Além do desenvolvimento de grãos e fibras que é o trabalho genuíno da empresa, nos últimos anos a TMG também tem se tornado experiente na desregulamentação de tecnologias transgênicas, tendo conquistado a aprovação do uso comercial do gene HB4® em soja no Brasil. O gestor de Pesquisa da TMG, Alexandre Garcia, esteve na inauguração do AgriHub Space e explicou que há trabalhos em andamento para novas desregulamentações no país e que essa iniciativa, somadas a outras como Edição Gênica e uso de RNA de interferência, se incorporam ao escopo de soluções genéticas que a TMG oferece ao mercado. “Temos uma busca contínua por inovação, novas soluções, somos totalmente abertos a parcerias e colaborações”, destacou.

Leia Também:  Saques do FGTS por não correntistas somam R$ 25 bilhões

            O AgriHub Space é o primeiro hub de inovação da agricultura e pecuária em Mato Grosso e tem como objetivo encontrar soluções e inovações para o agronegócio brasileiro. Funcionará como um hub com espaço físico para conectar e possibilitar que startups com potencial possam trabalhar e se desenvolver. As inscrições para o 1º Batch de selecionadas foi prorrogado até o dia 18 de dezembro. Para conhecer mais acesse www.agrihubspace.com.br.

Dayane Pozzer – Assessoria de imprensa

COMENTE ABAIXO:
Propaganda
Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe uma resposta

Capa

Liberados mais R$ 18,6 milhões para os hospitais filantrópicos em Mato Grosso

Publicados

em

Por

Senador Wellington Fagundes voltou a manifestar preocupação com a escalada de vítimas e óbitos da Covid-19

O Ministério da Saúde liberou nesta segunda-feira, 1, a segunda parcela do auxílio financeiro emergencial às santas casas e hospitais filantrópicos sem fins lucrativos. Os recursos fazem parte dos R$ 2 bilhões de ajuda aprovada pelo Congresso Nacional, destinados ao combate à pandemia do coronavírus. Ao todo, foram depositados R$ 18,6 milhões para 21 unidades hospitalares, beneficiando 18 municípios de Mato Grosso.

Ao todo são beneficiados com essa ação emergencial um total de 17 unidades sem fins lucrativos em 14 municípios do Estado, que participam de forma complementar do Sistema Único de Saúde (SUS). Na semana passada, o Ministério já havia liberado R$ 3,1 milhões para Mato Grosso. O projeto de lei que deu origem ao auxílio emergencial havia sido aprovado no Senado no dia 31 de março e 19 de abril pela Câmara.

“Com essa segunda parte da liberação, com certeza os hospitais e santas casas beneficiados poderão ter fôlego para trabalhar de forma articulada com o Ministério da Saúde e os gestores do SUS, oferecendo r mais serviços, principalmente leitos de terapia intensiva” – destacou o senador Wellington Fagundes (PL-MT), líder do Bloco Parlamentar Vanguarda.

Leia Também:  Abril tem a maior criação de emprego formal para o mês desde 2013

Fagundes voltou a manifestar preocupação com a escalada de casos confirmados e de mortes ocasionadas pelo novo coronavírus. No Brasil, os últimos números oficiais, indicam 519.704 casos com 29.534. Em Mato Grosso são 2.429 e 61 óbitos. “Nossa prioridade continua sendo a de salvar vidas” – frisou.

Nesse segundo repasse, serão beneficiados em Cuiabá o Hospital Santa Helena, com R$ 1,8 milhão; Hospital do Câncer, com R$ 1,1 milhão; e Hospital Geral, com R$ 2,8 milhões. Em Rondonópolis serão duas unidades: Associação Beneficente Paulo de Tarso, com R$ 871 mil; e Santa Casa de Misericórdia, com R$ 2,1 milhões.

Outros beneficiados são: Hospital São Luiz, de Cáceres (R$ 1.127 milhão); Centro Hospitalar Parecis, de Campo Novo (R$ 953 mil); Hospital Municipal Coração de Jesus, de Campo Verde (R$ 433 mil), Hospital Nilza Oliveira Pipino, de Claudia (R$ 223 mil); Hospital São João Batista, de Diamantino (R$ 648 mil); Hospital Bom Jesus, de Dom Aquino (R$ 145 mil); Hospital de Jauru, em Jauru (R$ 94 mil); Hospital São Lucas, de Lucas do Rio Verde (R$ 1.132 mil), Hospital Evangélico, de Vila Bela (R$ 428 mil) e Hospital Municipal de Nova Mutum (R$ 586 mil).

Leia Também:  Quase tudo pronto para inauguração da UPA de Cáceres

Completam a lista: Hospital Geral de Poconé, R$ 594 mil; Hospital Vale do Guaporé, R$ 699 mil; Hospital São João Batista, de Poxoréu, R$ 485 mil; Hospital Amparo, de Rosário Oeste, R$ 677 mil; Hospital Santa Marcelina de Sapezal, R$ 578 mil; Hospital Santo Antônio de Sinop, R$ 1,013 milhão; Hospital e Assistência de Sorriso, R$ 10 mil.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA