Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

Bastidores da República

Peça-chave na crise sanitária, depoimento de Pazuello preocupa Planalto

Publicados

em

CPI DA COVID

 

Na semana em que a CPI da Covid colherá os primeiros depoimentos, o mais esperado é o de Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde e um dos principais nomes na mira das apurações. Ele terá de responder sobre atraso na vacinação, promoção da cloroquina e crise em Manaus. General do Exército e ex-titular da pasta, Eduardo Pazuello é considerado peça-chave no quebra-cabeça para entender o que ocorreu com o país na crise sanitária. Certamente, é Pazuello é também o alvo do governo. O que ele disser poderá jogar tanto uma pá de cal em cima dos ânimos da oposição, quanto um galão de gasolina na fogueira. Ouvidos os ex-ministros, a CPI voltará as atenções para o atual titular da Saúde, Marcelo Queiroga, previsto para depor na quinta-feira.

CPI DA COVID (2)

Lógico que a preocupação do governo federal com a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid tem direta relação com as eleições de 2022, na qual Jair Bolsonaro é candidato natural á reeleição. É que o colegiado se torna um problema a mais para o presidente Jair Bolsonaro equilibrar até lá, além de uma possível terceira onda da pandemia, a dificuldade de vacinar a população, o desemprego e o Orçamento apertado. E se em público o chefe do Executivo diz não se preocupar com o colegiado, nos bastidores o assunto domina o Palácio do Planalto.

Leia Também:  Frente Brasil-China agradece empenho de presidente chinês na liberação de insumos

POPULARIDADE

Teóricos de conspiração voltaram a filosofar sobre o uso de robôs para impulsionar o nome do presidente Jair Bolsonaro nas redes sociais. Até mesmo parte da Imprensa tem feito levantamentos tendo com base números da plataforma Bot Sentinel, na qual o número de postagens com hashtags de apoio ao presidente deu um salto vertiginoso entre fevereiro e março, com crescimento de 3.441%. Além da popularização de hastags já conhecidas como #opovoestacombolsonaro, houve aumento de posts pedindo que Bolsonaro seja reeleito no ano que vem.

 MAIS UM FÔLEGO

Eleito para a presidência da Câmara dos Deputados com apoio do governo federal, Arthur Lira (PP-AL) sinalizou, desta vez em manifestação enviada ao Supremo Tribunal Federal (STF), que a abertura de um processo de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro não está em seus planos, pelo menos a curto prazo. O documento foi encaminhado ao gabinete da ministra Cármen Lúcia, que é relatora de um processo movido pelo advogado Ronan Wielewski Botelho, criador do Movimento Reforma Brasil, contra a Câmara. Botelho pede que o tribunal obrigue o Legislativo a regulamentar os procedimentos para análise dos pedidos de cassação de presidentes, inclusive com a definição de prazos para sua apreciação.

ROBÔS?

Um dos teóricos de conspiração é o senador Humberto Costa (PT-PE), que até solicitou ao Ministério Público Federal (MPF) e ao Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União (MPTCU) a abertura de uma investigação para que seja apurado se o governo federal financiou as atividades de perfis inautênticos no Twitter ao longo de março. Enfim… O senador não se atentou que os dias em que as publicações aconteceram com mais frequência entre fevereiro e março foram no aniversário de Bolsonaro, 21 de março, e na data que marcou o início do golpe militar de 1964, 31 de março. Tá explicado, né?

Leia Também:  OPINIÃO DO DIA: A Greve articulada pelo SINTEP-MT está em descompasso com o caos social que o Brasil sofre

PLANALTO X OAB

Sob comando de Felipe Santa Cruz, a resistência da Ordem dos Advogados do Brasil contra o presidente da República, Jair Bolsonaro, pode estar com os dias contatos. Na semana passada Luiz Viana, que é candidato à presidência da entidade em 2022, encabeçou um movimento que divulgou um manifesto contra o presidente da OAB. O texto, que teve o aval de outros dois integrantes da diretoria e foi endossado por integrantes de seccionais, diz que é preciso “corrigir rumos” da entidade e pede para que a entidade se “afaste das disputas político-partidárias”. Lógico de Santa Cruz já colocou as barbas de molho. Bolsonaro não se manifestou… ainda!

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Bastidores da República

Bolsonaro reage à pesquisa Datafolha e diz que Lula só ganha se fraudar eleição

Publicados

em

SÓ NA FRAUDE

Só nesta sexta-feira o presiden6te Jair Bolsonaro reagiu à pesquisa datafolha, divulgada na quinta (13), que mostra vitória do ex-presidente Lula no pleito de 2022. Para Bolsonaro, Lula só ganhará por meio de fraude. Segundo Bolsonaro, essa fraude será evitada com o voto impresso, no qual ele aposta para a próxima eleição presidencial. “O bandido foi posto em liberdade, foi tornado elegível, no meu entender, para ser presidente na fraude”, sugeriu Bolsonaro.

VAI CRIAR RAIZ

O presidente Jair Bolsonaro foi além ao criticar o resultado da pesquisa Datafolha. Na avaliação dele, caso Lula vença as eleições do ano que vem, “nunca mais vai sair”. “A canalhada da esquerda continua a mesma coisa. E uma turma ainda quer votar nesse filho do capeta aí. Olha, se esse cara voltar, nunca mais vai sair. Escreve aí”, apontou. O problçema maior para Bolsonaro é que Lula é apontado com 18 pontos percentuais à frente dele no primeiro turno e 23, no segundo. Lula teria, de acordo com a pesquisa, 41% dos votos no primeiro embate, enquanto Bolsonaro levaria 23%. No segundo, o placar mostra 55% contra 32% a favor do candidato de esquerda.

“AQUILO NO VENTILADOR”

O depoimento do ex-ministro da Saúde, Eduardo pazuello, na próxima quarta-feira, é visto como o momento propício para se jogar “merda no ventilador” e atrapalhar os planos do Palácio do Planalto. Para evitar que isso ocorra, a Advocacia Geral da União requereu pedido de habeas corpus no Supremo Tribunal Federal para que o ex-ministro possa ficar em silêncio no depoimento à CPI e não corra risco de detenção. O principal argumento é de que a oitiva poderia antecipar um “inadequado juízo de valor sobre culpabilidade” do general nas ações de enfrentamento à pandemia no período em que ele esteve no governo.

Leia Também:  Turismo e pandemia: adaptação começa agora e deve focar em tecnologia

MEIA VITÓRIA

O habeas corpus vai ser relatado pelo ministro Ricardo Lewandowski, do STF, pois um outro pedido semelhante, apresentado por um advogado que não representa o ex-ministro, foi sorteado e ficou com o magistrado. A tendência é de que Lewandowski aceite o pedido de habeas corpus. Interlocutores do ministro dizem que ele avalia existir jurisprudência embasando direito ao “remédio constitucional” nesses casos. O vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), afirmou que o depoimento de Pazuello é central para a CPI, mas que, caso o general não compareça ou permaneça em silêncio, existem outros meios de sanar as dúvidas dos membros do colegiado, requerendo documentos e ouvindo outros nomes do Ministério da Saúde

PORRE DE TUBAÍNA

O presidente Bolsonaro anunciou que irá tomar um porre de Tubaina com a indenização de R$ 55 mil ganha do PCdoB. O chefe do Executivo não deu muitos detalhes do processo. “Associaram a minha imagem e a da minha irmã a um atentado terrorista”, justificou Bolsonaro, acrescentando que o advogado disse a ele não cabe mais recurso. O presidente festejou o resultado e reconheceu que mais perde do que ganha nas ações que costuma entrar na Justiça. “Valeu galera”, agradeceu, sorrindo. Sobre o PCdoB, Bolsonaro disse “que apoia tudo o que não presta no mundo. Levaram uma paulada”, definiu.

Leia Também:  ALERTA: Ministro da Economia ameaça deixar o governo se a PEC da Previdência for desidratada. Confira outras informações na coluna JPM

LOCKDOWN

Ainda sobre o presidente Jair Bolsonaro, ele voltou a ameaçar, indiretamente, baixar um decreto contra as medidas de lockdown adotadas por governadores e prefeitos em meio à pandemia da covid-19 que já vitimou mais de 430 mil brasileiros. Crítico das medidas de restrição, repetiu alfinetadas aos chefes de Executivo locais, reforçando que “não fechou nada” e que o Exército não irá às ruas para fiscalizar o cumprimento das regras, apenas para “manter a liberdade da população”. Declaração foi feita a apoiadores na saída do Palácio da Alvorada nesta sexta-feira.

FAKE NEWS

Com dois comunicados o Supremo Tribunal Federal (STF) desmentiu boatos acerca dos ministros Alexandre de Moraes e de Gilmar Mendes. O STF reiterou que as fakes news sobre as atividades dos ministros estão se expandindo, e pediu cuidado no compartilhamento de informações falsas por parte da população. Sobre Moraes, o tribunal deixa claro que é falsa a montagem apontando que o ministro teria dito “Não terá voto impresso em 2022 e nem talvez Bolsonaro em 2022. O recado está dado”. Segundo o STF, Alexandre de Moraes jamais deu tal declaração. Já sobre Mendes, o Supremo deixou claro que é falsa a informação que circula nas redes sociais apontando viagens do ministro em aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) — com direito a jantares especiais nos voos. A nota explica que a mentira circula desde 2018 e reforça ainda que Gilmar Mendes sequer poderia viajar legalmente em aeronaves da FAB.

 

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA