Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

BASTIDORES DA REPÚBLICA

Bolsonaro confirma Jorge Oliveira para o TCU e Senado marca sabatina de Kassio Nunes

Publicados

em

AGORA É OFICIAL

O presidente Jair Bolsonaro confirmou a indicação do ministro da Secretaria Geral da Presidência, Jorge Oliveira, para o Tribunal de Contas da União (TCU). A sabatina dele na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado está prevista para o dia 20. No dia seguinte, será a vez do desembargador Kassio Nunes, indicado por Bolsonaro para o Supremo Tribunal Federal (STF) ser questionado pelos senadores. As duas indicações devem ser votadas pelo plenário também no dia 20, conforme decidiram hoje os líderes partidários em reunião com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

PERDÃO PRESIDENCIAL

O presidente Jair Bolsonaro demonstrou o seu lado solidário ao anunciar que vai tentar falar com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, ainda nesta terça-feira, sobre o caso do motorista Robson Oliveira. Ele está preso há mais de 500 dias por transportar medicamentos proibidos no país a pedido do sogro do jogador de futebol Fernando. Em suas redes, Bolsonaro afirmou que buscará contato com o governo russo para pedir a liberação do brasileiro.

CHEGA DE BAIXARIA

O presidente Jair Bolsonaro voltou a defender seu indicado para o Supremo Tribunal Federal (STF), o desembargador Kassio Nunes Marques. Bolsonaro afirmou que “acusaram o cara de tudo, parecia até que ele era um dos bandidos mais procurados do Brasil”. A declaração foi feita a apoiadores na saída do Palácio da Alvorada nesta terça-feira. “Deixo claro que sou passível de crítica, mas não dá para partir para a baixaria também, tá de sacanagem, né”, rebateu o presidente.

Leia Também:  Deputados entregam a candidatos à Presidência da Câmara carta para a educação

MEDALHA A RAMAGEM

O pupilo do presidente Jair Bolsonaro que foi barrado para direção da Polícia Federal, Alexandre Ramagem, foi um dos agraciados com a medalha Mérito Estado-Maior, concedida pelas Forças Armadas. A medalha foi instituída em 2015 e é entregue a militares e civis, brasileiros ou estrangeiros, organizações militares e instituições civis nacionais que tenham prestado serviços relevantes às Forças Armadas. Já tem gente procurando saber o que Ramagem fez de louvável às Forças Armadas. Será mais uma discussão a de desenrolar durante a semana.

BYE BYE MORO

A família do ex-ministro da Justiça, Sergio Moro, está pressionando-o para que saia do Brasil. A intenção é fazer com que o ex-juiz passe um tempo dando aulas de Direito em outro país. Rosângela Moro, mulher do ex-ministro, tem dito que o marido já deu a contribuição que tinha que dar ao país. Ela afirma também que a política partidária não seria o melhor para ele. O próprio Moro já anunciou que não se sente inclinado a disputar um cargo eleitoral. No entanto, o que se comenta aqui em Brasília é que com o fim da quarentena obrigatória, Sérgio Moro estaria com receio de ficar exposto sem a segurança da Polícia Federal. Enfim, pode se dizer que Moro é água passada.

Leia Também:  Arranjos produtivos locais trarão mais competitividade para empresas de Mato Grosso

TRUMP VETADO

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sentiu hoje o gostinho de ser cortado pelo Facebook. A rede social removeu uma postagem de Trump na qual ele afirma que a covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, é menos letal que a gripe. “A temporada de gripe está chegando! Muitas pessoas todos os anos, às vezes mais de 100.000, e apesar da vacina, morrem de gripe. Vamos fechar o nosso país? Não, aprendemos a conviver com isso, assim como estamos aprendendo a conviver com a Covid”, declarou Trump. O presidente ficou irritado, lógico, mas já se conformou.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Bastidores da República

Bolsonaro cancela manifesto, mas anuncia alíquota zero do diesel e GLP

Publicados

em

DEU PRA TRÁS

 

O presidente Jair Bolsonaro recuou de uma gravação que faria na noite desta terça-feira para falar sobre política de preços em rede nacional. Segundo fontes do Planalto, em meio à pressão de caminhoneiros e parte da população, Bolsonaro ressaltaria o decreto que zera os impostos federais do diesel por dois meses e do gás de cozinha (GLP) de forma permanente. Há a possibilidade de que o manifesto seja levado ao ar ao longo da semana, mas o presidente sequer chegou a gravar o vídeo antes da suspensão. Vai entender!

ALFINETADA

Há quem aposte que o presidente Bolsonaro voltaria a reforçar pressão sob governadores sobre o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) estadual. No último dia 12 de fevereiro, a apoiadores, na saída do Palácio da Alvorada, o presidente ressaltou que a população deveria “culpar as pessoas certas” pela crise. Na mesma data, ele alfinetou governadores e criticou a bitributação dos combustíveis: “(Os governadores) Jogam a população contra o governo federal como se fosse o único a arrecadar”, defendeu-se.

PASSOU O RODO

De uma só vez três senadores foram diagnosticados com covid-19. Nas duas últimas semanas, prefeitos e assessores se aglomeraram em gabinetes de parlamentares em busca de recursos pra o Orçamento de 2021, o que talvez fosse a causa da contaminação em cadeia. São eles: Major Olimpio (PSL-SP), Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e Lasier Martins (Podemos-RS). Os três parlamentares não apresentam reações graves e já disseram que vão continuar participando dos trabalhos. De forma remota, é claro!

Leia Também:  OPINIÃO DO DIA: Salve Moro e Avante Dallagnol. O Brasil estará sempre com vocês!

EFEITO LOCKDOWN

Por causa do aumento significativo do número de casos de covid-19 aqui em Brasília, o Congresso Nacional está, atualmente, com a circulação de visitantes restrita. Mas, nas duas últimas semanas, prefeitos e assessores se aglomeravam em gabinetes de parlamentares em busca de recursos para o Orçamento de 2021, em discussão no Parlamento. Dois senadores já morreram em decorrência de complicações da covid-19: José Maranhão (MDB-PB), aos 87 anos, e Arolde de Oliveira (PSD-RJ), aos 83 anos.

ALTO LÁ

No momento em que governadores reivindicam que o Auxilio Emergencial seja pago de forma retroativa, o presidente da Câmara, deputado Arthur Lira, antecipa que o benefício pode custar até R$ 50 bilhões ao governo federal. Lira falou nos valores na abertura da reunião com governadores na tarde desta terça-feira. O parlamentar afirmou também que já existem R$ 20 bilhões assegurados para imunização da população, e que há margem para aumentar receita. No entanto, Lira não disse se apoia ou não a reivindicação dos governadores.

Leia Também:  Covid-19: Brasil assina memorando com Pfizer, afirma Ministério

PAPO RETO

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), voltou a dizer que o “vírus do autoritarismo ameaça o sistema eleitoral e a própria democracia”. Sem citar nomes, o magistrado fez diversas críticas contra quem coloca o sistema eleitoral em dúvida e disse que o Brasil vive uma regressão democrática. O magistrado destacou ser necessário manter vigilância constante para proteger o regime democrático. “É legítimo governo que decorre de eleições regulares e, portanto, atende às demandas do povo. Mas é ilegítimo um governo que passa a atuar contra a normalidade constitucional”, afirmou. Nem preciso dizer que o recado foi para o presidente Jair Bolsonaro.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA