Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

BASTIDORES DA REPÚBLICA

Augusto Aras é a sexta autoridade a participar da posse de Luiz Fux no STF e testar positivo para a Covid-19

Publicados

em

NEM ARAS ESCAPOU

Augusto Aras, procurador-geral da República, é a sexta autoridade a ter o diagnóstico de covid-19 confirmado entre os convidados que estiveram na posse do ministro Luiz Fux como presidente do STF na quinta-feira passada. Na linha sucessória de comando do país, só o vice-presidente Hamilton Mourão escapou até agora da covid. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-DF), também testou positivo, provavelmente infectado na posse do ministro Luiz Fux no comando do STF ou no casamento da filha do ex-presidente do STJ João Otávio Noronha, Anna Carolina, com o empresário Eduardo Oliveira, no último sábado.

ESTADO DE ALERTA

 

Após cinco autoridades que acompanharam a cerimônia de posse do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, testarem positivo para covid-19, a Corte informou que estuda procedimentos para reforçar os protocolos de segurança em suas instalações. Ninguém vai escapar de fazer o exame para dar segurança ao ambiente de trabalho.

BARBAS DE MOLHO

Um dos 24 deputados distritais está com a “pulga atrás da orelha”. Outros 23 estão com as “barbas de molho”. Aqui em Brasília o clima tá tenso. É que o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) instaurou inquérito para apurar suspeitas de “rachadinha” no gabinete em um dos gabinetes. O procedimento foi publicado no Diário Oficial da União, mas a identidade do suspeito não foi divulgada. Tá explicado!

Leia Também:  Pivetta procura ‘chifre em cabeça de Senado’. Pra quê?

FORÇA TÁTICA

Uma nova força policial planejada por Hamilton Mourão e endossada pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, foi encampada pelo presidente Jair Bolsonaro. O grupo, com poder de polícia, vai atuar exclusivamente na região amazônica. A ideia é tirar as Forças Armadas e dar lugar à Força Tática da Amazônia em paralelo ao trabalho que já é realizado pelo Ibama e pelo Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio).

MAKTUB

“Velhos amigos vão sempre se encontrar. Seja onde for, seja em qualquer lugar. O mundo é pequeno”. Esse trecho da canção ‘Velhos amigos’, de Oswaldo Montenegro, traduz bem o momento vivido pelo ex-presidente Lula e o senador Renan Calheiros (MDB-AL). Renan, que se recupera de uma cirurgia, recebeu Lula no hospital e matou a saudade dos tempos em que foram aliados. Pior que já tem mimimi dizendo que o ‘velho MDB de guerra’ poderá apoiar Lula no futuro. Será apenas conversa de bastidores? Em política, tudo é possível!

“GOLPE PORCARIA”

O ex-ministro da Agricultura, Blairo Maggi, levou um susto pela manhã ao descobrir que alguém estava se passado por ele e pedindo dinheiro aos amigos via WhatsApp. Diferente dos tradicionais golpes, Maggi teve a sorte de não ter a sua conta clonada. O golpista utilizou um número com prefixo de São Paulo (011) e uma foto de Blairo Maggi para solicitar os empréstimos. Maggi, que é um dos maiores nomes do agribusiness, classificou o caso como ‘Golpe Porcaria’ e tratou de avisar os amigos.

Leia Também:  Desentendimento poderá provocar novas baixas no Ministério de Paulo Guedes, que já ameaçou pegar o boné e dar no pé

NO BATENTE

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública e especialista no combate à corrupção, Sérgio Moro, já está habilitado para ir ao batente como criminalista. Ele já está com a carteira da OAB em mãos. Além de advogar, quando terminar a quarentena funcional, Moro deve continuar como professor no Uniceub em uma disciplina voltada para a pós-graduação com foco no combate a corrupção e lavagem de dinheiro. Ele volta às origens, mas por enquanto está garantido. Ao deixar o Ministério da Justiça em abril, ele entrou num período de quarentena remunerada, com salário de ministro, ou seja, R$ 31 mil.

CAIU NA REDE

Não se fala em outra coisa, aqui em Brasília, que não seja sobre o vídeo em que mostra o ministro Napoleão Nunes Maia, do Supremo Tribunal de Justiça (STJ), flagrado lixando e roendo as unhas durante um julgamento virtual. Em outra sessão anterior, Maia havia aparecido em outra sessão usando um pente para desembaraçar os cabelos durante sessão. O que tem de errado nisso? Nada!

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Bastidores da República

Bolsonaro chama governadores de aprendizes de ditadores, idiotas e boçais achando que mandam

Publicados

em

DITADORES

 

Sérgio Lima/Poder360

Nessa polêmica da tal vacina Coronavac, o presidente Jair Bolsonaro acabou chamando alguns governadores de “aprendizes de ditadores”. Segundo ele, trata-se de uma manobra arquitetada pelo governador de São Paulo, João Dória, para conseguir que o STF determine aos estados o poder de definir se compram ou não a vacina chinesa. “São figuras nanicas, hipócritas, idiotas, boçais, achando que mandam no estado dele. Vai tomar vacina. Vai tomar você, vai tomar o que você entender, coca-cola, tubaína”, afirmou Bolsonaro.

SOBROU PRA TODOS

Sérgio Lima/PODER 360

Após a polêmica da vacina contra a Covid-19 protagonizada pelo presidente Jair Bolsonaro e o governador de São Paulo, Joao Dória (PSDB), além do ministro da Saúde Eduardo Pazuello, a coisa esquentou aqui em Brasília. O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, disparou contra o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos. Salles se referiu a Ramos como “banana de pijama” e “Maria Fofoca”. Salles usou Twitter para criticar a ala militar do governo que saiu em defesa de Pazuello nesse episódio. Tudo em casa. Dá nada não.

VAI NA FÉ

Ao que tudo indica e, se depender da torcida, os cassinos estarão de volta ao Brasil. É que a Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR) do Senado deu parecer favorável à aprovação do Projeto de Lei (PL) que regulamenta os cassinos no país. O PL foi apresentado ainda em 2019 pelo senador Roberto Rocha (PSDB). O relator, Ângelo Coronel (PSD/BA), defendeu a iniciativa e ressaltou que a arrecadação vinda com a legalização de cassinos pode fomentar o Renda Cidadã, projeto do governo Jair Bolsonaro.

Leia Também:  Superior Tribunal de Justiça lança Revista de Estudos jurídicos

CORTE NA CARNE

O presidente Jair Bolsonaro foi obrigado a fechar diversas embaixadas para reduzir os gastos do governo. De início, foram encerrados dois postos na África e cinco embaixadas em países do Caribe. Como tem feito rotineiramente, Bolsonaro não usou as redes oficiais e fez o anúncio em suas páginas pessoas nessa sexta-feira. Segundo o Palácio do Planalto, outras embaixadas poderão ser fechadas ao longo de 2021.

NOVA POLÊMICA

Por outro lado, o governo federal anunciou que poderá contratar 51.021 servidores no ano que vem e já começou a receber críticas. Previsão de admissão de novos servidores consta da proposta orçamentária encaminhada ao Congresso em agosto, ao custo de R$ 2,9 bilhões. Para analistas, medida contraria intenção manifestada pelo Executivo de enxugar a folha de pagamentos da União. Será mais uma boa polêmica para o fim de semana.

PROBLEMÃO

A presidência do Senado está com uma batata quente nas mãos. É que a suplência de Chico Rodrigues tornou-se um problema sério para o Senado. Em condições normais, assumiria seu filho, Pedro Arthur Rodrigues (DEM-RR), que é o primeiro suplente, mas, após divulgação de novas informações do relatório da Polícia Federal, a situação complicou-se por causa não apenas da apreensão de uma pedra suspeita de ser uma pepita de ouro, mas também de um revólver Taurus 38 Special, de seis munições avulsas para a arma e de duas caixas de munições de espingarda calibres 20 e 36.

Leia Também:  Abertas inscrições para a 2ª Olimpíada de Inglês; de 1º a 31 de outubro

NA PRESSÃO

Após pressões de todos os lados, o ministério da Economia liberou 60 milhões de reais para que o Ibama pudesse retomar o Prevfogo e mandar brigadistas de volta à campo. Atuação dos 1.400 brigadistas, junto à Força Nacional de Segurança e Corpo de Bombeiros, foi fundamental para controlar os incêndios florestais no Pantanal, mais recentemente. Enfim, grana em caixa e trabalho retomado.

SEXTOU COM DESEMPREGO

O número de pessoas desocupadas no Brasil chegou a 13,5 milhões em setembro, equivalente a 14% dos trabalhadores, maior taxa mensal da série histórica do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Esses dados integram a edição mensal da Pnad Covid-19. Em maio a população desocupada era de 10,1 milhões, saltando para 12,9 milhões em agosto e 13,5 milhões no mês passado. Isso representa alta de 33,1% desde o início da pesquisa. Em agosto a taxa de desocupação era de 13,6%.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA