Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

LAVANDAS NO CAMPO

Romance de época retrata condições femininas do século XIX

Publicados

em

Amores improváveis, perdas, preconceito e diferença de classes. Esses são elementos que marcam a narrativa de A Dama das Lavandas, escrita pela professora de português e espanhol Anne Valerry e lançada pela Novo Século Editora.

Por trás de um romance conturbado ambientado no século XIX e repleto de reviravoltas, A Dama das Lavandas apresenta a história da jovem órfã Victoire Martinet. A jardinista acredita que pode mudar a condição feminina de sua época, mesmo sendo uma pobre mulher que semeia lavandas no campo ao lado de sua tia Augustine.

No entanto, trabalhar apenas no plantio e colheita de lavandas não era suficiente para suprir todas as despesas da casa. Ao passar por dificuldades financeiras, Victoire se obriga a criar uma irresistível fórmula de perfume com a intenção de conquistar a nobreza parisiense, a fim de salvar sua família.

 “O fato das mulheres não poderem assumir os negócios e ter ambições profissionais dava margem para que os homens tomassem à frente de tudo. E, se não tivessem herdeiros, algum familiar mais próximo, sendo homem, assumiria o comando. Contudo, a família Martinet era composta somente por duas mulheres: Victoire e Mademoiselle Augustine.” (P. 38)

Tudo muda quando a moça conhece o magnata do vinho Maurice Bourguignon, um milionário galanteador e comprometido que investe o seu charme para seduzi-la. Mesmo de classe social inferior e precisando de dinheiro para sustentar-se e apoiar sua tia, a dama mantém a dignidade em virtude do caráter moral resistindo aos seus encantos, mas sua vida acaba por ser transformada em todos os sentidos.

Leia Também:  Evento online promove debate sobre a posição das mulheres nas artes

Mais do que um livro de romance de época, A Dama das Lavandas traz ensinamentos reais sobre a vida. Com uma escrita dinâmica e surpreendente, Anne Valerry consegue transmitir lições importantes sobre empoderamento feminino, preconceito, machismo, luta de classes e ainda atenta as mulheres em relação às escolhas para o futuro. A obra também consegue misturar uma excitante história de desejos arrebatadores com uma pitada de humor que conquistará todas as leitoras.

Fonte: LC – AGÊNCIA DE COMUNICAÇÃO

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ARTE & CULTURA

Apresentação de vídeos marca data do Museu Nacional

Publicados

em

O Projeto Rede Afetiva dos 84 anos do Museu Nacional de Belas Artes (MNBA) comemora hoje (13) o aniversário da entidade, vinculada ao Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) e situada no centro histórico do Rio de Janeiro, na Cinelândia. Entre os vídeos que serão apresentados nesta quarta-feira estão o do artista plástico Luiz Aquila e da diretora do museu, Monica Xexéo.

O edifício, de arquitetura eclética, foi projetado em 1908 pelo arquiteto Adolfo Morales de los Rios para sediar a Escola Nacional de Belas Artes (EBA), que sucedeu a Academia Imperial de Belas Artes. O prédio foi construído durante as obras de modernização urbanística realizadas pelo prefeito Pereira Passos na então capital federal.

O Projeto Rede Afetiva dos 84 anos do Museu Nacional de Belas Artes ocorrerá nos dias 13, 15, 20, 22 e 27, sempre às 11h, apresentando vídeos de profissionais que compõem o universo da arte e da cultura falando sobre o museu. Também serão divulgados vídeos do adido Cultural da França Pierre Romain, do jornalista Joaquim Ferreira dos Santos, além da curadora e crítica de arte Araci Amaral.

O MNBA foi criado oficialmente em 1937, por decreto do presidente Getúlio Vargas, e dividiu a ocupação do prédio com a Escola Nacional de Belas Artes até 1976, quando a EBA foi deslocada para a Ilha do Fundão, na zona norte da capital fluminense. Nesse mesmo ano, com a criação da Fundação Nacional de Arte (Funarte), houve novo compartilhamento. Em 24 de maio de 1973, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) determinou o tombamento do edifício da Avenida Rio Branco, número 199 e, a partir de 2003, a construção passou a abrigar o MNBA em sua totalidade.

Leia Também:  Projeto permite depoimento antecipado de vítimas ou testemunhas de crimes sexuais

Outras atrações

No dia 14, às 11h, haverá a exibição do vídeo Antinoo, sobre a escultura original romana em mármore da época do Imperador Adriano, que foi encontrada em 1878 nas escavações patrocinadas pela Imperatriz do Brasil Tereza Cristina nas vizinhanças de Roma, mais precisamente em Veio, antiga cidade etrusca. O busto de Antinoo está na Galeria de Moldagens do MNBA, de cujo acervo é uma das obras mais conhecidas. O vídeo conta um pouco também da história do equipamento.

No dia 26, às 17h, será divulgada exposição do Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB) no MNBA, comemorando 100 anos da entidade. No próximo dia 28, às 11h, está prevista uma performance do artista ítalo-brasileiro Lucio Salvatore, intitulada Campo, Cuide Um do Outro. Na ocasião, Salvatore vai criar uma obra de arte usando elementos da pandemia do novo coronavirus e da vacinação contra a covid-19.

Patrimônio

O MNBA continua em obras de modernização e requalificação. Elas foram iniciadas no ano passado e prosseguirão até 2022, informou à Agência Brasil a assessoria de imprensa do museu. Devido aos trabalhos de restauração de cúpulas e fachadas, a visitação foi totalmente suspensa. As obras têm custo de R$ 25 milhões, com recursos do Fundo de Direitos Difusos do Ministério da Justiça.

Leia Também:  Apresentação de vídeos marca data do Museu Nacional

Para a diretora do MNBA, Monica Xexéo, a reforma abre nova perspectiva para o museu, “que será entregue modernizado, com os equipamentos de segurança e preservação de todo o patrimônio, que é a joia cultural de todos os brasileiros”. Monica não tem dúvida de que depois de todos os trabalhos concluídos, o museu será devolvido à visitação em melhores condições físicas, de segurança e de conservação do acervo, que já atingiu 100 mil itens.

Quarentena

Durante a pandemia do novo coronavírus, o MNBA/Ibram criou o projeto Arte em Diálogo – Na Quarentena, para proporcionar aos artistas contemporâneos e à sociedade uma interação afetiva e reflexiva. O projeto é apresentado nas redes sociais do MNBA (Facebook: MNBARio e Instagram: @mnbario) a partir de um vídeo, feito em celular ou com câmera pelo próprio artista, em um clima de conversa informal. O artista fala a respeito do seu processo de criação e o seu laboratório de trabalho. A ideia é fazer comentários sobre algumas das obras produzidas.

Os vídeos serão incorporados ao acervo do canal do MNBA no Youtube: MNBA Rio, ficando disponíveis para consultas dos interessados. O projeto Arte em Diálogo – Na Quarentena não tem fins lucrativos. A ideia é proporcionar ao público acessibilidade e divulgação de capítulos importantes da arte brasileira contemporânea.

Edição: Graça Adjuto

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA