Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

ESTILO DE VIDA

Exposição mostra universo de mulheres ciganas de Mato Grosso

Publicados

em

A resistência, a diversidade e a beleza de mulheres ciganas de Mato Grosso podem ser vistas na Exposição Multimídia Calin, já disponível em plataforma digital. O trabalho registrou ciganas da etnia Calon, que no estado se autodenominam Calin. São mulheres de diferentes idades, em uma mostra que propõe novas possibilidades do que é ser Calin, cigana, mulher, mato-grossense e brasileira.

PROJETO “DIVA E AS CALINS DE MATO GROSSO: ONTEM, HOJE E AMANHÔ PROJETO “DIVA E AS CALINS DE MATO GROSSO: ONTEM, HOJE E AMANHÔ

Projeto “Diva e as Calins de Mato Grosso: ontem, hoje e amanhã” – Divulgação

A exposição Calin é um dos produtos transmídias que integram o projeto Diva e as Calins de Mato Grosso: Ontem, Hoje e Amanhã; aprovado no edital Conexão Mestres da Cultura, da Lei Aldir Blanc, da Secretaria de Estado de Cultura, Esportes e Lazer de Mato Grosso (Secel-MT). O projeto foi proposto pela Associação Estadual das Etnias Ciganas de Mato Grosso (Aeec-MT), e homenageia a raizeira e benzedeira cigana Maria Divina Cabral, a Diva, como mestra da cultura mato-grossense.

A exposição une as famílias da mestra Diva e suas parentes Nerana, de Tangará da Serra; Irandi e Terezinha, ambas de Cuiabá; e Nilva, da cidade de Rondonópolis. Todas elas são consideradas mestras da cultura cigana, pois conservam os saberes, as filosofias e as identidades dessa cultura milenar.

Além de mostrar a diversidade, o projeto busca registrar e valorizar seus significados, tradições e saberes. Também é uma forma de combater estereótipos e preconceitos sobre as mulheres ciganas.

Mestra Diva Mestra Diva

Mestra Diva – Karen Ferreira/Divulgação AEEC

Segundo os realizadores, trata-se da primeira exposição multimídia com foco no universo das mulheres ciganas Calon do país.

“O material multimídia exposto é resultado de um encontro sutil e delicado entre nossa equipe e o modo como nos vemos, nos mostramos e, principalmente, queremos ser vistas. Assim, brindamos o público com novas autorrepresentações do universo romani, especialmente do tronco étnico Calon. Esperamos que a plataforma se transforme numa referência nacional, quiçá internacional”, disse a coordenadora geral do programa, Fernanda Alves Caiado, presidente da Aeec-MT.

A teoria mais aceita entre os estudiosos é que os ciganos têm origem na Índia, a partir de uma dissidência de castas no país asiático, há cerca de mil anos, que fez com que o grupo se espalhasse primeiro pela Europa e depois para as demais partes do mundo (diáspora). No Brasil, acredita-se que os primeiros ciganos chegaram em 1574 ou um pouco antes, segundo registros dos padres jesuítas.

Há três etnias mais importantes: os Calon, grande maioria no país, oriundos da Espanha e Portugal, os Rom, com origem na Romênia, Turquia e Grécia, e os Sinti, que vieram principalmente da Alemanha e da França.

Exposição

Em fotos, vídeos e textos, Calin vislumbra a criação de novas narrativas para que mais mulheres ciganas se inspirem e possam criar os próprios caminhos, informa a associação. O site é composto por menus explicativos apresentando a exposição, o projeto, a mestra Diva, e as mulheres que participam do trabalho. Além disso, disponibiliza vídeos e links para o blog e redes sociais da Associação Estadual das Etnias Ciganas de Mato Grosso.

“Apresentamos um universo ora onírico, ora de realidade, que se revela através da compreensão feminina de uma cultura milenar de resistência, cuja medicina tradicional se baseia na natureza. Como as raízes profundas das árvores retorcidas e sertanejas do cerrado, que resistem ao fogo e a seca, produzindo flores e frutos, as mulheres ciganas produzem cultura e cura que precisam chegar a mais e mais pessoas, ainda mais nesses tempos em que vivemos de pandemia, em que a saúde tornou-se uma questão central”, enfatiza a fotógrafa e curadora, Karen Ferreira.

PROJETO “DIVA E AS CALINS DE MATO GROSSO: ONTEM, HOJE E AMANHÔ PROJETO “DIVA E AS CALINS DE MATO GROSSO: ONTEM, HOJE E AMANHÔ

Projeto “Diva e as Calins de Mato Grosso: ontem, hoje e amanhã” – Divulgação

Edição: Kleber Sampaio

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Iniciativa distribui livros e cestas básicas para trabalhadores da cultura
Propaganda

ARTE & CULTURA

Festival integra pessoas com e sem deficiências em atividades paralímpicas neste sábado

Publicados

em

Na manhã do próximo sábado (04.12), pessoas com e sem deficiências se reúnem em 70 cidades de todas as regiões do País  na 3ª edição do Festival Paralímpico, promovido pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB).

Em Mato Grosso, o evento de inclusão será realizado em parceria com a Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT), das 7h30 às 11h30, no ginásio Dom Aquino, em Cuiabá.

Para promover a experimentação esportiva, serão oferecidas cinco opções de esportes adaptados: tênis de mesa, basquete em cadeiras de rodas 3×3, futebol de cinco, atletismo e ciclismo para cego. As atividades são abertas a todas as pessoas, com e sem deficiência.

“Queremos possibilitar que todos os participantes conheçam as limitações e dificuldades a serem superadas pela pessoa com deficiência”, explica o titular da Secel, Alberto Machado, o Beto Dois a Um.

Além de possibilitar integração e inclusão, as atividades têm o objetivo de iniciar os participantes no esporte por meio de práticas que simulam movimentos e objetos de modalidades paralímpicas. Haverá também mostras de produtos na área de saúde, como próteses e cadeiras de rodas.

Leia Também:  Trabalhadores nascidos em março podem sacar auxílio emergencial

Várias instituições de assistência a pessoas com deficiência participam com a Secel do evento, como o Instituto dos Cegos do Estado de Mato Grosso (Icemat), Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), Associação Mato-grossense de Deficientes (AMDE), e representantes do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência, dentre outras.

O Festival é uma iniciativa do CPB para celebrar o Dia Nacional do Atleta Paralímpico, 22 de setembro, mas por conta da pandemia de Covid-19, o evento foi adiado e acompanhará o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência (3 de dezembro).

Na edição deste ano, o evento obedecerá a todos os protocolos sanitários e deverá reunir 7 mil crianças nas 70 sedes.

Fonte: GOV MT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA