Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

LITERATURA

Esqueça o que te disseram… mistura ficção e opinião sobre relacionamentos

Jornalista com especialização em Antropologia, André Alves encontrou na literatura o elo que faltava para tratar sobre o amor e o sexo

Publicados

em

A obra pode ser adquirida pelo site www.eviseu.com

Em pré-lançamento, o livro “Esqueça o que te disseram sobre amor & sexo”, do jornalista André Alves, é um convite a lançar novos olhares sobre os relacionamentos atuais. Reúne 16 textos, entre crônicas, crônicas-conto e artigos sobre novas formas de amar.

Publicado pela Editora Viseu, o jornalista bebeu das fontes das pesquisas sobre o tema que realiza desde 2016 em livros, filmes, documentários e pessoas com quem entrevistou ao longo dos anos. Os 16 textos que compõem o livro abordam de forma leve, mas não superficial, as vivências que estão em nosso dia-a-dia, mas muita gente prefere não ver.

Assim, ao questionar o tabu da traição ou mostrar a fragilidade do sexo masculino, o livro busca mostrar que muito do que nos foi ensinado – ou o que acreditamos – sobre sexualidade e relacionamentos não encontram consistências na vida prática.

Mas também mostra, logo em um dos primeiros textos, que o amor romântico tem lá seus problemas, mas não deixa de ser uma vertente da maioria. Mas que essa não é a única forma de amar. E que está tudo bem. Que cada um saiba viver sua sexualidade de forma plena.

André Alves: “Abordo temas inerentes ao ser humano, mas não falado da forma como deveria ser”

Em um dos textos, André Alves revisita um filme de ação meio bobinho, Sr. e Sra. Smith, e aborda um possível subtexto da trama: a liberdade sexual feminina, os segredos que todos os casais carregam e como se livrar de certos dogmas morais pode ser muito bom para os relacionamentos.

Leia Também:  Municípios começam a receber recursos emergenciais para o setor cultural

Há espaços para temas mais atuais, como a não-monogamia, a homo, bi e transexualidade, a vida de uma profissional de sexo, mas a vida a dois também está lá.

“A opção por uma variedade de gêneros textuais e até certa hibridização deles (artigo, conto, crônica, crônica opinativa, artigo narrativo, conto-crônica) tem relação estreita com o tema abordado, já que todas as narrativas indicam que o velho hábito de “classificar” pessoas está obsoleto”, diz o jornalista que fez a primeira revisão e apresentação do livro, Edelson Santana.

A ideia de fazer o livro, de acordo com o escritor, foi o de mostrar que as formas de amar e de ver o sexo estão em constantes mudanças. Mas não era intuito fazer um livro com um viés jornalístico, nem tinha a audácia de querer entrar no terreno de sexólogos experientes como a brasileira Regina Navarro Lins ou a belga Esther Perel. Misturar textos literários com opinativos foi a ideia de fazer uma abordagem diferente, ora ousada, ora inquieta.

Sobre o autor

André Alves nasceu no interior de São Paulo, mas reside em Cuiabá atualmente. Jornalista com especialização em Antropologia, encontrou na literatura o elo que faltava para tratar sobre o amor e o sexo, temas tão inerentes ao ser humano, mas não falado da forma natural como deveria ser. Desde 2018, mantém o site Vamos Falar de Sexo: www.vamosfalardesexo.

Leia Também:  Homenagem à professora Marília Beatriz Integra programação

Onde Comprar: 

www.eviseu.com

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ARTE & CULTURA

Secel apresenta informações de editais que irão fomentar mais de 500 projetos culturais

Publicados

em

Nos próximos dias, a cultura mato-grossense terá acesso a variadas fontes de fomento que irão assegurar a retomada do setor. Com recursos da Lei Aldir Blanc, mais de 500 projetos poderão ser realizados por meio dos editais da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel). No total, serão investidos quase R$ 25 milhões.

O processo para abertura dos editais está em fase final. Devido ao caráter emergencial, haverá um curto prazo para inscrição após o lançamento, por isso a secretaria estadual orienta para que os interessados comecem a estruturar seus projetos.

“Pela urgência em minimizar o impacto da pandemia no setor cultural, tudo precisa ser muito rápido. Então, preparem-se. É importante que o projeto já tenha pelo menos a concepção inicial, com objetivo, motivo, duração, número de envolvidos e público que será atingido. Teremos editais para todas as ações culturais e artísticas. É uma oportunidade única que não pode ser perdida”, adianta o titular da Secel, Alberto Machado.

Serão cinco editais que abrangerão diferentes possibilidades de ações em cada um deles. Abrangendo todos os segmentos culturais, as seleções públicas preveem demanda livre para a maioria das propostas, ou seja, não será especificado formato definido de execução. Nesses casos, serão aceitos quaisquer projetos que tenham relação direta com a manifestação artística citada no referido edital.

Leia Também:  Após mal-estar, governador de Mato Grosso Mauro Mendes é internado

O maior de todos os editais será o MT Nascentes, que contempla todas as áreas, segmentos e linguagens. Com investimento de mais de R$ 13 milhões, a publicação vai selecionar 390 projetos.  Artes cênicas e visuais, literatura, música, artesanato, patrimônio histórico e culturas de matrizes africanas, urbanas e LGBTIA+ estarão acolhidas no edital, que contará ainda com ações formativas, implantação e revitalização de bibliotecas comunitárias, além de produções audiovisuais.

Para homenagear personalidades culturais mato-grossenses, o edital Conexão Mestres da Cultura une pesquisa, registro histórico e conceito de transmídia. Serão selecionados 60 projetos que incluem o pagamento obrigatório ao mestre referenciado ou ao detentor de direitos quando In Memoriam.  A homenagem poderá ser contada em diversas plataformas com a produção do conteúdo em no mínimo duas mídias diferentes.

Na área de economia criativa haverá um edital específico que vai impulsionar projetos de criação e desenvolvimento de produtos, serviços e processos inovadores em Mato Grosso. Serão selecionados 30 projetos divididos em mundo das artes, negócios digitais e criações funcionais.

Leia Também:  TV AL transmite 12º edição de Arte e Cultura Mato Grosso

Já o edital Conexão Cultura Jovem visa fomentar práticas de educomunicação em comunidades. A seleção vai beneficiar cinco projetos de instalação e gestão de laboratórios de comunicação e cultura.

Mostras e festivais são contemplados no edital que vai selecionar 30 projetos de diferentes categorias.  Nessa seleção pública, o objetivo é promover festivais, mostras, exposições coletivas, seminários, festividades e atividades formativas, abrangendo ações com e sem edições passadas. A execução poderá ser online ou presencial.

Poderão se inscrever nas seleções públicas pessoas físicas e jurídicas com ou sem fins lucrativos, desde que domiciliados no estado nos últimos seis meses.

Os editais completos serão lançados até a próxima semana. Para oferecer mais informações que possam ajudar na estruturação antecipada dos projetos, a Secel realiza uma transmissão ao vivo pelo facebook nesta sexta-feira (23.10), às 16h.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA