Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

DESENVOLVIMENTO

Prefeitura de Colíder e Sebrae investem no desenvolvimento da piscicultura

Publicados

em

A piscicultura é mais uma das atividades econômicas incentivadas pela Prefeitura de Colíder e pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico. O governo municipal, em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), apoia as propriedades rurais na reforma e construção de tanques para criação de peixes, assistência técnica e comercialização. A objetivo é fortalecer e diversificar os meios de subsistência de pequenos e médios produtores.

O secretário Ronaldo Vinha acredita que a piscicultura terá um papel fundamental na melhora socioeconômica em áreas rurais de Colíder. “Estamos dando esse apoio. O engenheiro do Sebrae participará de todos os trabalhos para que os tanques fiquem melhores e funcionais. Não é só o tanque. Tem que ver a questão de água, o PH e se o fluxo se mantém na época da seca, entre outros detalhes. Tenho certeza que os produtores beneficiados terão lucros e ficarão muito contentes”, afirma Vinha.

O projeto teve início em 2019 e conta hoje com a participação de 16 proprietários rurais. A ação foi retomada há duas semanas, após ser temporariamente interrompido para aguardar a passagem do período chuvoso e devido à pandemia. “Reiniciamos esse trabalho agora, em julho”, informa o consultor e engenheiro de pesca Jailson Baumgartner.

Leia Também:  Sebrae confirma participação em Fórum Ibero-americano

O especialista diz que Colíder tem grande potencial para a atividade. As espécies sugeridas são a tabatinga, piau açu e pintado. “É um local adequado, com água disponível e o clima ajuda muito para o desenvolvimento das espécies. Será um trabalho contínuo, até dezembro, reformando e construindo tanques em todas as propriedades que aderiram ao programa”, pontua Baumgartner.

PRODUTORES FELIZES

Na sexta-feira (31.07), a equipe da Secretaria de Infraestrutura, Obras e Urbanismo trabalhou na abertura de tanque no sítio Dois Irmãos, de propriedade do seo João Pereira Alves. “A Infraestrutura está aqui, no apoio à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, abrindo os tanques para poder desenvolver o criame de peixes. É uma fonte de renda a mais que o produtor rural está tendo a oportunidade de viabilizar na propriedade”, comenta Hiran Sales.

Seo João Alves diz que a criação de peixe sempre foi uma vontade dele. “Agora, tive essa oportunidade. A minha represa era pequena. Estão alargando para seis metros e tá ficando bonita. A prefeitura ainda abriu a estrada até o tanque. Agora posso ir de carro. Muito bom o trabalho dos meninos”, comemora.

Leia Também:  Publicada lei que abre crédito para desenvolvimento do setor pesqueiro

Alessandro Larentes Alves, do sítio Três Irmãos, diz que o programa ajuda a diversificar a produção nas pequenas propriedades. “A piscicultura é um meio de a gente tirar uma renda extra. O trabalho aqui tá ficando muito bom. Agora, tem que jogar um calcário e daqui a uns dois meses a gente já pode colocar uns peixes aqui”, diz o agricultor familiar.

Fonte: AMM

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Agronegócio

Alta do milho brasileiro repercute no mercado global

Publicados

em

A alta histórica dos preços do milho no Brasil acabou repercutindo no mercado mundial, de acordo com informações divulgadas pela TF Agroeconômica. “Em parte, os temores sobre o mercado doméstico do Brasil continuaram a alimentar preocupações, já que a B3, mais uma vez estabeleceu um novo recorde histórico de R$ 103,36/saca”, comenta a consultoria.

“Ao lado disso, os primeiros sinais de compra sul-coreana por pouco mais de um mês iluminaram a Ásia, quando a FLC entrou em cena para coletar 65.000 toneladas de milho de forma privada, pagando à Viterra US$ 296,79/tonelada. Por sua vez os dados alfandegários da China, mostraram que mais de 6,7 milhões de toneladas de milho foram importadas no primeiro trimestre de 2021 – um aumento de cinco vezes em relação ao mesmo período de 2020. Em Dalian, os futuros do milho caíram uma fração, uma vez que caíram CNY6/t para CNY2.675/t ($ 408,75/t)”, completa.

Além disso, o mercado do Vietnã registrou ofertas de US$ 297,10/t CFR para carregamento em maio, com um player oferecendo entrega no segundo semestre de 2021 por US$ 279/t. “No Mar Negro, as ofertas no mercado de milho ucraniano foram ouvidas a partir de $ 263/t HIPP para carregamento em maio até a primeira parte do dia, mas também foram ouvidas em níveis muito mais altos no final do dia, aumentando para ocupar $ 267- $ 268/t para FOB HIPP nas mesmas datas. Além disso, rumores de que as negociações de papel estavam em US$ 262/t FOB para carregamento em maio, embora a atividade do mercado físico permaneça baixa”, indica.

Leia Também:  Mamão/Cepea: disponibilidade de frutas graúdas aumenta em outubro

Por: AGROLINK –Leonardo Gottems

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA