Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

Agronegócio

Negócios da soja parados no Brasil

Publicados

em

O mercado brasileiro esteve parado nesta quinta-feira (06.12), com zero de oscilação nos preços pagos nas praças internas, segundo apurou a pesquisa diária do Cepea. Já na exportação, embora também os negócios estejam parados, as cotações dos compradores caíram 0,68%, para R$ 80,10/saca sobre rodas nos portos, aumentando a queda em dezembro para 3,24%, segundo a mesma pesquisa do Cepea.

FUNDAMENTOS

Os mapas climáticos analisados pelos consultores da Consultoria AgResource trazem a reafirmação do padrão de chuvas escassas sobre o Médio-Sul do Brasil e a intensificação das precipitações no Médio-Norte, nestes próximos 5 dias: “Entretanto, a partir do dia 11 dezembro, índices pluviométricos entre 40-50mm acumulados voltam a regar a região Sul do Brasil. No mesmo período, o cenário climático se torna mais árido para o Centro e Nordeste.

“Na Argentina, que passa pelo mesmo intervalo da falta de chuvas no curto prazo, também será beneficiada com totais significantes, em meados deste mês. O plantio da soja argentina acelerou nestes últimos dias, atingindo 56% nesta semana. O milho de segunda safra de nossos ‘hermanos’ também começa a ser semeado, com um progresso total em torno dos 47%, atualmente”, concluem os analistas da ARC.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Saiba qual biológico é melhor para sua lavoura

Propaganda

Agronegócio

Alta do milho brasileiro repercute no mercado global

Publicados

em

A alta histórica dos preços do milho no Brasil acabou repercutindo no mercado mundial, de acordo com informações divulgadas pela TF Agroeconômica. “Em parte, os temores sobre o mercado doméstico do Brasil continuaram a alimentar preocupações, já que a B3, mais uma vez estabeleceu um novo recorde histórico de R$ 103,36/saca”, comenta a consultoria.

“Ao lado disso, os primeiros sinais de compra sul-coreana por pouco mais de um mês iluminaram a Ásia, quando a FLC entrou em cena para coletar 65.000 toneladas de milho de forma privada, pagando à Viterra US$ 296,79/tonelada. Por sua vez os dados alfandegários da China, mostraram que mais de 6,7 milhões de toneladas de milho foram importadas no primeiro trimestre de 2021 – um aumento de cinco vezes em relação ao mesmo período de 2020. Em Dalian, os futuros do milho caíram uma fração, uma vez que caíram CNY6/t para CNY2.675/t ($ 408,75/t)”, completa.

Além disso, o mercado do Vietnã registrou ofertas de US$ 297,10/t CFR para carregamento em maio, com um player oferecendo entrega no segundo semestre de 2021 por US$ 279/t. “No Mar Negro, as ofertas no mercado de milho ucraniano foram ouvidas a partir de $ 263/t HIPP para carregamento em maio até a primeira parte do dia, mas também foram ouvidas em níveis muito mais altos no final do dia, aumentando para ocupar $ 267- $ 268/t para FOB HIPP nas mesmas datas. Além disso, rumores de que as negociações de papel estavam em US$ 262/t FOB para carregamento em maio, embora a atividade do mercado físico permaneça baixa”, indica.

Leia Também:  RECONHECIMENTO: Amaggi tem a nota mais elevada entre as empresas brasileiras de soja

Por: AGROLINK –Leonardo Gottems

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA