Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

COTAÇÃO

Mercado do boi gordo mais calmo depois da tempestade

Publicados

em

Após R$10,00 de queda na cotação da arroba do boi gordo ao longo da última semana, os preços ficaram estáveis na última sexta-feira (11/12) em São Paulo. No entanto, os frigoríficos pressionaram o mercado ofertando R$5,00 a menos por arroba, travando os negócios no último dia útil da semana anterior.

Apesar dos negócios travados em São Paulo na última sexta-feira (11/12), nas demais 32 praças pecuárias monitoradas pela Scot Consultoria, houve queda em 14 delas. Apesar da oferta restrita de animais ser fator limitante para maiores ajustes negativos, a exportação comedida de carne bovina in natura nos primeiros dias de dezembro, associada ao escoamento lento no mercado interno, foram os fatores das quedas no preço da arroba do boi gordo ao longo do primeiro decêndio do mês.

SCOT CONSULTORIA

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Milho internacional tem preços de estáveis a mais fracos
Propaganda

Agronegócio

Índia não quer transgênicos do Brasil

Publicados

em

A partir de 1º de março passam a valer as novas regras de exportação de vegetais, frutas e grãos para a Índia. O país faz exigências que valem para 24 produtos e diz respeito a proibição de sua origem em organismos geneticamente modificados.

O Ministério da Agricultura recebeu a notificação da Food Safety and Standards Authority of India (FSSAI), autoridade alimentar indiana. “A exportação desses produtos deve estar acompanhada por um certificado oficial, conforme modelo estabelecido pela autoridade indiana, e que deverá ser emitido pelo Mapa no ponto de saída da mercadoria”, explica o diretor do Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas, Carlos Goulart.

Todos esses produtos vegetais, independente do grau de processamento e do uso proposto, devem receber a referida certificação não-OGM. Os exportadores deverão solicitar a emissão do certificado na unidade da Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro) de saída da mercadoria.

Somente para os produtos que têm autorização para cultivo OGM no Brasil –  feijão (Phaseolus vulgaris), milho, soja e cana-de-açúcar , deverá ser apresentado o laudo de análise laboratorial, emitido por laboratório da rede credenciada Mapa, atestando a ausência de evento OGM na partida a ser exportada.

Leia Também:  Órgãos internacionais destacam papel da pecuária na segurança alimentar

Os produtos vegetais sujeitos ao cumprimento da exigência são os seguintes: abacaxi, abóbora, alfafa, ameixa, arroz, batata, beterraba, soja, feijão, feijão caupi, cana-de-açúcar, milho, cártamo, maçã, canola, chicória, beringela, linhaça, melão, mamão, nabo, pimentas e pimentões, tomate e trigo.

AGROLINK –Eliza Maliszewski

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA