Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

ECONOMIA

Exportações do agro caem 19% em dezembro

Publicados

em

O Ministério da Economia divulgou os números da balança comercial brasileira referentes à quarta semana de dezembro de 2020. Foi registrado superávit de US$ 1,856 bilhão. As exportações atingiram US$ 3,913 bilhões e as importações, US$ 2,057 bilhões.

O recuo das exportações foi puxado por retrações de 19,1% na agropecuária, que somou US$ 2,07 bilhões e de 10,3% em indústria extrativa, que chegou a US$ 3,83 bilhões. Já a indústria de transformação alcançou US$ 9,45 bilhões, com crescimento de 5,4%. As principais baixas nas exportações do agro foram de animais vivos, não incluídos pescados ou crustáceos (-34,2%), arroz com casca, paddy ou em bruto (-99,5%) e soja (-91,0%).

Leia Também:  Pesquisa aponta as melhores cidades para investir no agro

Nas importações, até a quarta semana do mês, o aumento foi impulsionado pelo crescimento de 62,1% em indústria de transformação, que alcançou US$ 15,42 bilhões, com destaque para plataformas, embarcações e outras estruturas flutuantes (+13.724,1%), além de aeronaves e outros equipamentos, incluindo suas partes (+155,4%) e medicamentos e produtos farmacêuticos, exceto veterinários (+65,9%).

A agropecuária registrou queda de 3,9% nas compras externas, somando US$ 349,97 milhões até a quarta semana do mês, com destaque para as baixas em trigo e centeio não moídos (-47,5%), cevada não moída (-74,4%) e produtos hortícolas, frescos ou refrigerados (-41,3%). Por outro lado, as compras de arroz com casca, paddy ou em bruto (+1.281,2%), cacau em bruto ou torrado (+240.952,6%) e soja (+612,6%) contribuíram para o aumento geral das importações do país no período.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Agronegócio

Açúcar bruto atinge maior valor desde abril de 2017

Publicados

em

Os contratos futuros do açúcar bruto com vencimento para março subiram 86 pontos nessa quinta-feira (14) e foram firmados em 16.67 centavos de dólar por libra-peso, atingindo o maior nível em mais de três anos e meio. Os contratos para maio/21 foram fixados em 15.72 centavos de dólar por libra-peso, alta de 77 pontos. Os demais lotes valorizaram entre 10 e 59 pontos.

De acordo com a Reuters, “há conversas no mercado indicando compras contínuas da Indonésia, com Austrália, Índia e Brasil sendo citados como origens, enquanto investidores do mercado financeiro ampliam posições compradas na commodity”. No entanto, a agência publicou que alguns analistas, porém, não acreditam que o rali seja totalmente justificado. “A razão é a atividade dos fundos, eu não vejo fundamentos suficientes para o rali. Não há vendas do Brasil para março, então o contrato (spot) sobe livremente”, disse Arnaldo Correa, consultor de hedge de usinas brasileiras”.

Em Londres o açúcar branco também valorizou. Os contratos para março/21 subiram 18,20 dólares e foram fixados em US$ 464,40 a tonelada. Os lotes para maio/21 fecharam em US$ 446,30 a tonelada, alta de 17,20 dólares. Os outros vencimentos subiram entre 2,10 e 14,20 dólares.

Leia Também:  Exportações de algodão podem aumentar 35% em 2019

Mercado doméstico

Segundo o Indicador Cepea/Esalq, de São Paulo, a saca de 50 quilos foi negociada na última quinta-feira (14) em R$ 104,54, recuo de 0,01% no comparativo com a véspera.

Etanol

O etanol hidratado segue em alta, de acordo com o indicador Esalq/BM&FBovespa, posto Paulínia. O metro cúbico do biocombustível foi negociado ontem (14) em R$ 2.160,50, valorização de 0,21% no comparativo com a véspera.

Por: UDOP – UNIÃO DOS PRODUTORES DE BIOENERGIA

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA