Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

CORTE NA CARNE

Brasil suspende importações de carne in natura de porco da Alemanha

Publicados

em

O Ministério da Agricultura suspendeu, nesta segunda-feira (14), a importação de carne de porco in natura ou pouco processada da Alemanha, após a confirmação de um caso de peste suína africana em um javali morto.

No comunicado ao país europeu, o governo brasileiro solicita informações detalhadas às autoridades sanitárias sobre as medidas de biossegurança adotadas pelas plantas industriais alemãs. O ministério não informou por quanto tempo valerá a suspensão. A Alemanha é o maior produtor de proteína animal da Europa.

A contaminação foi confirmada na última quinta-feira (10) pelo governo alemão, que encontrou a peste suína africana em um javali morto nas proximidades da fronteira com a Polônia. Uma área de 15 quilômetros quadrados, onde o animal foi encontrado, foi colocada em quarentena.

Além do Brasil, outros países como China e Coreia do Sul também suspenderam temporariamente a importação de carne suína da Alemanha.

Dados do governo federal indicam que o Brasil importou 1,8 mil toneladas da proteína suína alemã, de janeiro a agosto deste ano. De acordo com a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), os principais produtos adquiridos do país europeu são tripas de porco in natura e congeladas.

Leia Também:  Dia Mundial do Café homenageia bebida mais popular para o brasileiro

*Com informações da Reuters

Edição: Denise Griesinger

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Agronegócio

Governador destaca que trabalho dos mato-grossenses fez do Estado o maior produtor do agronegócio

Publicados

em

O governador Mauro Mendes esteve em Sorriso com o presidente Jair Bolsonaro nesta sexta-feira (18.09) e destacou que o Estado produz e se desenvolve graças ao trabalho da população que vive em Mato Grosso.

“Tudo o que estamos fazendo no Governo é mérito do povo corajoso e trabalhador, que vive neste Estado. Por isso, tenho muito orgulho em dizer que tudo o que estamos fazendo é possível porque esse é um Estado de gente valente, que produz e preserva o meio ambiente. Esses homens e mulheres aqui em Sorriso representam milhares de mato-grossenses que estão fazendo a maior e melhor agricultura do Brasil, uma das maiores e melhores do planeta. Tudo isso em apenas 37% do nosso território, pois 63% de Mato Grosso está preservado”, afirmou Mauro Mendes, lembrando que obras já foram retomadas e entregues em todas as regiões, além de colocar em dia repasses aos municípios e pagamentos de salários e de fornecedores.

Ele fez questão de frisar que “tem pessoas que falam desse pedaço do Brasil, mas nunca pisaram o pé aqui. Diferente dos senhores, que chegaram aqui há 40 anos e hoje estão colhendo o fruto daquilo que plantaram durante décadas”.

Leia Também:  Brasil: ativos financeiros crescem, não seguindo tendência global

“Mato Grosso tem uma agricultura forte e produtores fortes construindo cidades prósperas. Vamos continuar fazendo o que é correto para que os investimentos tragam mais desenvolvimento para todas as regiões deste Estado”, destacou o governador.

Regularização fundiária

Governador Mauro Mendes e presidente Jair Bolsonaro entregam títulos de regularização fundiária em Sorriso
Créditos: Tchélo Figueiredo – SECOM/MT

Mauro Mendes participou da entrega de 1.655 títulos de regularização fundiária pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) junto com o presidente. Os títulos foram entregues a famílias que possuem propriedades rurais em Nova Ubiratã, município próximo a Sorriso.

Em seu discurso, Bolsonaro falou da importância dos títulos para as famílias de pequenos produtores, que passarão a ter segurança jurídica em suas terras.

“Mato Grosso é um Estado que tem vocação para o agronegócio e todos os anos temos que provar isso para o mundo. Mas, quando todos pararam, os produtores deste Estado não pararam em nenhum momento. Vocês venceram obstáculos e são nosso orgulho”, concluiu o presidente.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA