Acesse outros veículos da Rede de Mídias!

LOGÍSTICA

Aprosoja comemora aprovação da construção da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste

Publicados

em

O Movimento Pró-Logística da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) comemora a aprovação, por unanimidade pelo Tribunal de Contas da União (TCU), da construção da Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (FICO) no segmento que liga Mara Rosa (GO) a Água Boa (MT), pela companhia Vale.

“Estamos comemorando mais uma grande vitória com aprovação pelo TCU da prorrogação antecipada da malha a Estrada de Ferro Vitória Minas e da Ferrovia dos Carajás. Com essa prorrogação antecipada, fica também aprovado o investimento na FICO, no trecho entre Mara Rosa (GO) e Água Boa (MT). Uma super notícia para toda Região do Vale do Araguaia, toda Região Nordeste e Leste de Mato Grosso. Será uma Ferrovia de 388 km que vai conectar o Vale do Araguaia na BR158, em Água Boa a Mara Rosa na Ferrovia Norte Sul. Que a partir de Mara Rosa poderão ser acessados portos de Itaqui ou de Santos”, celebrou Edeon Vaz, diretor-executivo do Movimento Pró-Logística.

Leia Também:  Governo torna 100% digital o registro de transportadores de cargas

Presidente da Aprosoja, Antonio Galvan, aponta que a obra será de extrema necessidade o Vale do Araguaia, importante Região produtiva do Estado, que por muito tempo ficou esquecida pelo poder público. “Isso foi muito aguardado por todos nós, pelo Movimento Pró-Logística, pelos produtores e por todo Mato Grosso. Aquela Região demanda por muita logística, por conta da área que é plantada e agora o progresso ali vai chegar”, pontuou

Edeon Vaz lembra que os trabalhos do Movimento Pró-Logística continuam e buscam a extensão da ferrovia de Água Boa até Lucas do Rio Verde. “Outra luta vai ser trazer a FIOL para Mara Rosa e, assim, passaremos a ter três portos. Isso será muito bom e vai trazer um ganho substancial para a região Vale do Araguaia e redução de 20% no valor do frete que se paga hoje”, assinalou.

Galvan lembrou que o mês de julho foi produtivo para o setor logístico, primeiro com a assinatura da ordem de serviço para construção da ponte sobre o Rio Araguaia na BR-080, e agora com a aprovação da construção da Fico. Presidente agradeceu o Governo Federal pelas obras que vão garantir mais agilidade no escoamento da safra na Região do Araguaia.

Leia Também:  Milho internacional tem fechamentos mistos

“Agradecer ao ministro Tarcísio Freitas e nosso presidente Jair Bolsonaro pelo anúncio de tantos anos de luta de duas importantes obras para Mato Grosso, em especial para o Vale do Araguaia. E com anúncio da obra da ponte sobre o Rio Araguaia, na BR-080, que vai ligar os Estados de Mato Grosso e Goiás, ganha toda Região, e ganha todo Estado de Mato Grosso”, finalizou o presidente.

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Agronegócio

Alta do milho brasileiro repercute no mercado global

Publicados

em

A alta histórica dos preços do milho no Brasil acabou repercutindo no mercado mundial, de acordo com informações divulgadas pela TF Agroeconômica. “Em parte, os temores sobre o mercado doméstico do Brasil continuaram a alimentar preocupações, já que a B3, mais uma vez estabeleceu um novo recorde histórico de R$ 103,36/saca”, comenta a consultoria.

“Ao lado disso, os primeiros sinais de compra sul-coreana por pouco mais de um mês iluminaram a Ásia, quando a FLC entrou em cena para coletar 65.000 toneladas de milho de forma privada, pagando à Viterra US$ 296,79/tonelada. Por sua vez os dados alfandegários da China, mostraram que mais de 6,7 milhões de toneladas de milho foram importadas no primeiro trimestre de 2021 – um aumento de cinco vezes em relação ao mesmo período de 2020. Em Dalian, os futuros do milho caíram uma fração, uma vez que caíram CNY6/t para CNY2.675/t ($ 408,75/t)”, completa.

Além disso, o mercado do Vietnã registrou ofertas de US$ 297,10/t CFR para carregamento em maio, com um player oferecendo entrega no segundo semestre de 2021 por US$ 279/t. “No Mar Negro, as ofertas no mercado de milho ucraniano foram ouvidas a partir de $ 263/t HIPP para carregamento em maio até a primeira parte do dia, mas também foram ouvidas em níveis muito mais altos no final do dia, aumentando para ocupar $ 267- $ 268/t para FOB HIPP nas mesmas datas. Além disso, rumores de que as negociações de papel estavam em US$ 262/t FOB para carregamento em maio, embora a atividade do mercado físico permaneça baixa”, indica.

Leia Também:  TCE autoriza retomada de licitação de R$ 20,7 mi em Jaciara

Por: AGROLINK –Leonardo Gottems

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

vídeo publicitário

POLÍTICA

POLÍCIA

AGRONEGÓCIO

ECONOMIA

GERAL

MAIS LIDAS DA SEMANA