Obama aponta concentração de riqueza como motivo da instabilidade política no mundo

0
57

Por Mailson Prado

Líderes empresariais reuniram-se nesta quinta-feira (5) em São Paulo para acompanhar palestras relacionadas ao gênero comunitário global. O encontro promove os alicerces que direcionam a importância da cidadania global, e teve como o palestrante principal o ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

Foto: Elizabeth Shafiroff/Reuters
Foto: Elizabeth Shafiroff/Reuters

“Em um mundo em que só 1% controla a riqueza, não haverá estabilidade política”, descreveu Obama no Fórum Cidadão Global, organizado pelo Valor e pelo Santander/AAdvantage, segundo a versão online do jornal Valor Econômico. “Concentração de riqueza é a receita para polarização [política]”, completou.

O principal tema do fórum é debater sobre as principais vertentes e as ferramentas utilizadas para estimular a cidadania, onde o cenário é de constante mudança. Outro vetor é o aspecto do desenvolvimento econômico e as alternativas para reduzir as desigualdades sociais. “Conforme trabalhamos para reduzir a desigualdade, precisamos trabalhar para fechar a distância entre ricos e pobres”, afirmou o ex-presidente Obama.

Barack Obama em seminário do Valor na quinta-feira (5/10/2017). Foto: Silvia Constanti/Valor

O ex-presidente continuou sendo um líder de comunicação em relação ao avanço da civilidade em todo o mundo. Além de ser um dos maiores defensores dos papéis do cidadão.

Nomes como Martin Wolf, editor e comentarista econômico do “Financial Times”, e Robert Salomon, professor da Stern School of Business da New York University participaram do evento nesta quinta-feira.

Crescimento

O jornalista afirmou que para ampliar o crescimento no Brasil é necessário que o país faça poupança doméstica de cerca de 25% do Produto Interno Bruto (PIB), segundo ainda o jornal Valor Econômico. Atualmente, esse índice de dinheiro interno é de cerca de 16%, segundo dado do segundo trimestre deste ano.

Wolf afirmou que o Brasil tem condição de crescer em torno de 3% a 4%. Ele destacou o bom potencial do Brasil no recursos naturais, empreendedorismo e melhorias no capital humano e educação.

Os ingressos para o evento com Obama e outras personalidade variaram de R$2.500,00 à R$7.500,00 com duração de cerca de 4 horas no total. A última visita de Obama ao Brasil foi em 2011, quando esteve no Rio de Janeiro e Brasília, onde visitou a ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

Crédito: Edição: Jonas da Silva