Transporte público em Cuiabá tem pontos de ônibus precários

0
50

Coberturas são ineficazes para proteger a população do sol, uma das intempéries mais comuns da vida cuiabana

Por Emily Magalhães

Grande parte da população cuiabana utiliza o transporte público todos os dias, e enfrenta diversas dificuldades, como a superlotação e outros problemas diários paras aqueles que dependem do sistema. Segundo dados da Secretaria de Mobilização Urbana (Semob), na Capital estão disponíveis 2.400 pontos de ônibus. Porém, apenas 800 deles possuem abrigo. E mesmo contendo a cobertura, alguns ainda apresentam problemas para o uso da população.

Senhora tenta se proteger do sol atrás do poste. (Foto: Widson Maradona)

Senhora tenta se proteger do sol atrás do poste (Foto: Widson Maradona)

Em alguns desses locais, como o do Morro da Luz, que recebe um fluxo muito grande de usuários do transporte público, nos horários em que o sol está mais intenso os abrigos não protegem as pessoas. Assim, elas ficam expostas ao sol. Algumas se deslocam e preferem ficar aglomeradas atrás do ponto, onde existem pequenas sombras formadas.

O arquiteto Felipe Coutinho comenta sobre a adequação dos abrigos que não protegem as pessoas do sol. “Se for pensar na questão do sol, ele não é adequado. Então, teria que criar alguma solução arquitetônica ou construtiva que no período da tarde conseguisse diminuir essa incidência para quem está no ambiente do ponto de ônibus”, explica o arquiteto.

O estudante Álvaro de Oliveira Menacho, 23 anos, é cadeirante e utiliza o ponto de ônibus do Morro da Luz diariamente, e enfrenta essas dificuldades. “É ruim, porque o ônibus demora muito. E essa cobertura que colocaram aqui não adianta muita coisa. Porque o sol pega aqui de frente, não adianta de nada. Acho que deveria ter maior atenção das autoridades”, lamenta o estudante.

“Abuso”

O mesmo ocorre com a diarista Cleuza Aparecida da Cunha, 60 anos, que também utiliza com frequência o mesmo abrigo de ônibus que Álvaro, e pensa que situações como essas são um abuso contra a população.

“É um abuso, eles deviam cuidar um pouco melhor. Não é somente neste ponto que ocorre isso, são em vários. Em alguns lugares estão todos quebrados. Eles deixam pedaços de ferros em que as pessoas podem se machucar”, afirma. “Eu acredito que eles deveriam pesquisar melhor para fazerem as coisas para resolver os problemas das pessoas. Porque aqui em Cuiabá eles não olham os problemas da gente, eles vão fazendo. Mas não comunicam com a gente, e nós ficamos perdidos”, declara.

O diretor de Transportes da Semob, Nicolau Budib, disse que tem o conhecimento sobre esses problemas. “A Semob tem o conhecimento dessa situação, tanto que esses abrigos de ônibus foram implantados, desenhados e projetados em 2015. Desde que foram implantados esses novos abrigos, houve reclamações nesse sentido”, pontua.

Budib também conta que existe uma nova licitação para resolver os problemas estruturais do transporte público e que serão instalados novos abrigos em vários bairros da Capital. “Agora nós conseguimos regulamentar uma Lei chamada ‘Adote um Abrigo’, através dela conseguiremos implantar abrigos em parceira público-privada com lotes para atender não só a região central. Mas, principalmente as regiões mais afastadas, onde há realmente uma demanda muito grande por abrigos de ônibus.”, diz.

O representante público fala em mudanças dos novos modelos de ponto de ônibus a serem utilizados. “Esses novos abrigos que foram projetados, não são em um padrão só, assim como esses. Nós projetamos quatro modelos diferentes para atender às necessidades da população de Cuiabá”, explica o diretor.

Contratos

Por enquanto, os abrigos das regiões centrais que enfrentam problemas continuarão os mesmos. Já que existe um contrato firmado com prazo determinado para empresas que exploram a publicidade em alguns pontos. Após o vencimento desse prazo, a pretensão é substituí-los. Em contrapartida, a partir do mês que vêm, devem ser implantados os primeiros novos pontos de ônibus em alguns bairros.

O sistema de transporte coletivo de Curitiba é exemplo de uma proposta inovadora em transporte urbano. As plataformas de transporte público da cidade são modelos, possuem elevadores para cadeirantes, são cobertas e protegidas. Porém, em cada região exige que os abrigos sejam planejados para atender as particularidades do local.

Pensando nessa proposta de modernização e necessidade, aqui em Cuiabá, será inaugurada a Estação Alencastro, no lugar do antigo ponto de ônibus da praça. Esse será o primeiro ponto climatizado da cidade, que deve ficar pronto no final de outubro. O abrigo contará com ar-condicionado movido a energia solar.