Luiz Esmael

O jantar oferecido pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado Eduardo Botelho (PSB), na noite desta quarta-feira (09), ao governador do Estado Pedro Taques (PSDB) foi conciliador e serviu  para afinar ainda mais o discurso de unidade entre os Poderes. Esta é análise do líder do governo na Casa, deputado Dilmar Dal Bosco (DEM), responsável em fazer a interlocução entre o Parlamento e Executivo Estadual.

 

De acordo com ele, do encontro, ocorrido na residência de Botelho, o importante foi o compromisso reafirmado em ajudar Pedro Taques a superar o momento de crise econômica vivida não só em Mato Grosso como em todo o País.

 

Dal Bosco ressaltou que o governo aproveitou o jantar para entregar uma minuta da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) do Teto de Gastos Públicos, apontada como um dos mais importantes neste momento em que todos são unânimes na defesa de cortes e contenção de despesas no Estado. Contudo, o deputado estadual faz questão de afirmar que o recebimento do documento não é oficial, mas simbólico.

 

“O governador Pedro Taques entregou apenas a minuta, a qual está tudo sobre a PEC do Teto dos Gastos Públicos. A oficial mesmo, que iremos apreciar e votar, será encaminhada na próxima semana à Assembleia Legislativa. O importante é que tudo mundo teve oportunidade de falar, de cobrar, de explanar insatisfação.

 

No final, valeu a pena o encontro, reafirmarmos o compromisso de ajudar a governar o Estado”, disse Dal Bosco, ressaltando que dos 24 parlamentares, 15 deles estiveram presentes. Da base aliada, quatro deles justificaram as ausências. Eles são Romualdo Júnior (PMDB), mesmo sendo de um partido de oposição é considerado da situação, Vancley carvalho (PV), Guilherme Maluf (PSDB) e Daltinho Freitas (Solidariedade). Já Janaína (PMDB), Silvano Amaral (PMDB), Zeca Viana (PDT), Valdir Barranco (PT) e Alan Kardec (PT) são oposicionistas ferrenhos.

 

O momento de cobrança ao governador Pedro Taques foi quando os parlamentares perguntaram do pagamento das emendas. Ao todo, são R$ 90 milhões que o Executivo Estadual terá que repassar aos deputados que, por sua vez, atendem as demandas de suas bases eleitorais – municípios.

 

Do bolo dos R$ 90 milhões, cada parlamentar tem direito a R$ 5 milhões em emendas. Segundo Dilmar Dal Bosco, houve o compromisso do governo em repassar as emendas assim que a atual crise for amenizada.

 

Contudo, o líder do governo faz questão de ressaltar que a cobrança das emendas não é ‘uma toma lá, da cá’. Isto é, o repasse em troca de votos para a aprovação dos projetos de interesse do governador Pedro Taques. “Não é troca de favores”, nega Dilmar.

 

O encontro entre o governador Pedro Taques e a base aliada ocorreu uma semana depois do presidente da Casa, deputado Eduardo Botelho ter cobrado duramente o Palácio Paiaguás quanto aos projetos de leis de interesse do Executivo. Irritado, Botelho chegou a chamar de incompetente a equipe do governo responsável em elaborar as propostas governamentais.

 

No Banner to display

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>