Com a proposta de se intensificar as ações durante o período de estiagem em Mato Grosso, o Governo do Estado lançou o ‘Plano de Combate e prevenção às queimadas 2017’. O período proibitivo se inicia no dia 15 de julho e segue até 30 de setembro, podendo ser prorrogado em razão das questões climáticas. Nos últimos dois anos, houve necessidade de estender até outubro por falta de chuvas.

Vice-governadoria/Fernando Rodrigues

Vice-governadoria/Fernando Rodrigues

Conforme o secretário executivo da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, André Baby, o plano prevê cerca de R$ 3 milhões em investimentos na estrutura de prevenção e resposta, o dobro do ano passado e cerca de sete vezes superior ao que foi empregado em 2014, que totalizou R$ 438 mil. Em contrapartida, no ano de 2015, a campanha contou com aporte de R$ 1 milhão e, em 2016, totalizou R$ 1,46 milhão. Os recursos são do Comitê do Fogo, que é presidido pela Sema.

“O Governo irá maximizar a estrutura de atendimento contando com o apoio de diversos parceiros e, principalmente, com a população, para que nos ajude a evitar o problema, não fazendo uso do fogo. É importante frisar que a Sema não vai ser conivente com os crimes ambientais, estamos com uma estrutura robusta, organizada e que vai fazer frente às demandas responsabilizando quem teimar em fazer queimadas”, afirmou Baby.

A estrutura de prevenção e combate deste ano contará com as 18 unidades do Bombeiro Militar, instaladas nos municípios mais populosos, com um efetivo de 1,4 mil bombeiros; 11 brigadas mistas, para atender áreas sensíveis, como Água Boa, Colniza, Comodoro, Diamatino, Lucas do Rio Verde, Marcelândia, Nova Mutum, Sinop, Tapurah, Cláudia e Chapada dos Guimarães; oito bases descentralizadas; duas equipes de perícia florestal (Bombeiro e Politec); cinco viaturas ABTF (Auto Bomba Florestal); uma ATC (Auto tanque combustível); 13 caminhonetes (Sema e Bombeiro); duas aeronaves de combate a incêndio florestal e um helicóptero do Centro Integrado de Operações Áreas (Ciopaer).

O comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Alessandro Borges Ferreira, reforçou que todo efetivo estará mobilizado neste período, mas ressaltou a importante de os cidadãos contribuírem com o Estado, adotando medidas mínimas para evitar que o fogo se inicie ou se propague. “Estamos buscando parceria com as prefeituras para que fiscalizem os terrenos, para que eles fiquem sempre limpos; em áreas rurais, é necessário fazer aceiro, ter reserva de água e manter vigilância para proteger a propriedade”.

Pelo terceiro ano consecutivo, haverá atendimento prioritário das unidades de conservação estadual, com um efetivo de mais de 250 combatentes florestais. Entre as mais sensíveis ao fogo, entre as 46 unidades, que contarão com atenção reforçada estão: a Área de Proteção Ambiental (APA) Chapada dos Guimarães, Monumento Natural Morro de Santo Antônio, Parques Estaduais Gruta da Lagoa Azul, Serra de Ricardo Franco, Serra de Santa Bárbara, Araguaia, APAs Estaduais Cabeceiras do Rio Cuiabá e do Rio Paraguai e Transpantaneira.

Crédito: Rose Domingues | Sema-MT
Banner final post

Powered by WP Bannerize

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>