A Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) identificaram, nos últimos anos, o potencial do mercado chinês para os cafés especiais nacionais e ranquearam o país asiático como mercado-alvo no projeto setorial “Brazil. The Coffee Nation”. Em 2017, as 14 empresas que participaram da Hotelex Shanghai Expo Finefoods, maior feira do setor de hotelaria e food service da China, realizaram, entre 28 e 31 de março, US$ 2,025 milhões em negócios e estimam mais US$ 22,435 milhões nos próximos 12 meses. No ano passado, a participação de sete companhias brasileiras gerou US$ 3,5 milhões.

 Segundo a diretora da BSCA, Vanusia Nogueira, o crescimento dos negócios na China evidencia a precisão que os gestores do projeto setorial tiveram no trabalho de pesquisa e “ranqueamento”, o que atraiu mais empresários brasileiros e despertou maior interesse por parte dos compradores e do público asiático. “A ascensão financeira chinesa nas últimas décadas tornou esse mercado muito atrativo. Realizamos um trabalho de pesquisa e promoção da qualidade dos cafés especiais brasileiros e, com isso, estamos confirmando a projeção de aprimoramento do paladar dos chineses para a bebida e de crescimento constante na aceitação do produto brasileiro”, explica.

 
A China é um mercado novo para café, cujo hábito do consumo ainda é pequeno na cultura local, mas com enorme potencial. “Esse cenário torna fundamentais as ações de promoção dos cafés especiais brasileiros que BSCA e Apex-Brasil têm realizado. Apesar da pouca tradição cafeeira, os chineses consomem, conforme a Organização Internacional do Café, cerca de 2 milhões de sacas, com crescimento de 16% ao ano na última década. Aliada a isso, a expansão das redes comerciais e das casas de café no país evidenciam excelentes perspectivas e acreditamos em um futuro promissor no consumo de cafés especiais, pois esse setor cresce a taxas anuais de 50% “, aponta o presidente da Associação, Adolfo Henrique Vieira Ferreira.

 Em 2016, os chineses investiram US$ 2,063 milhões na aquisição dos cafés especiais do Brasil, volume aproximadamente 1.400% superior ao registrado em 2009 (US$ 139,5 mil), quando teve início o projeto setorial coordenado em parceria por Apex-Brasil e BSCA. Até 2016, segundo os dados do “Brazil. The Coffee Nation”, a China realizou investimentos da ordem de US$ 5,9 milhões nas importações do produto especial brasileiro. “A projeção de negócios das empresas nacionais em 2017 na Hotelex Shanghai Expo Finefoods evidencia o enorme potencial desse mercado para café. O Brasil, por ter identificado esse cenário no início, através de nosso projeto setorial, pode ter grandes vantagens comerciais e se tornar um parceiro fiel no fornecimento de qualidade e quantidade de café à China”, conclui Vanusia.

 
ROAD SHOW CHINA
Além da participação na feira, seis empresas integrantes do “Brazil. The Coffee Nation” também realizaram, entre 1º e 7 de abril, um road show por três das maiores cidades chinesas: Beijing (Pequim), Guanghzou e Shenzhen. Com o objetivo de promover a qualidade dos cafés especiais brasileiros e ampliar a penetração no mercado local, foram realizadas sessões de degustação e reuniões de negócios com potenciais clientes, ações que possibilitaram o fechamento de mais US$ 30 mil nesses sete dias e a projeção para a concretização de US$ 1,420 milhão até março de 2018.

Crédito: BSCA - Associação Brasileira de Cafés Especiais

No Banner to display

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>